Foi o que eu pensei quando vi as fotos dele no Facebook.

Mas vamos começar do começo: o Renan, aquele menininho que eu gostava quando tinha 8 anos e falava sobre ele apaixonadamente no meu diário, me adicionou no Facebook e eu fui ver seu álbum de fotos. Ele tinha poucas fotos e em uma delas eu vi um cara. Resolvi clicar no nome dele meio de bobeira, e dar uma zapeada no seu perfil. Enquanto via as fotos dele, ia lançando no Twitter as minhas impressões em tempo real:

Depois de ver as fotos mandei essa mensagem que está por último na imagem. Apenas isso: “eu seria sua amiga.”. Sei lá, fui com a cara dele e minha vida andava meio sem surpresas. Por que não deixar uma mensagem aleatória para um desconhecido no Facebook? Não costumo muito fazer isso mas ele tinha cara de ser legal, então apertei ENVIAR. 2 segundos depois, a resposta dele chegou na minha inbox! Ele disse que, coincidentemente, também estava olhando meu perfil. Uou! Como assim? Mais uma coincidência bizarra para a minha coleção de coincidências. Quando contei isso no Twitter, a galera falou: “Ah… Té parece, o cara só é bom de xaveco!”. Incrível como as pessoas são descrentes nessas coisas. Eu acreditei. E mesmo que fosse mentira, não mudaria o fato deu ter gostado dele antes. Mas por que não poderia ser uma coincidência real, né? Todo mundo sempre tem que ser malandro? Acho que não.

Ele entrou no meu perfil porque viu o amigo me adicionando. Mas também foi totalmente aleatório. O cara parecia ser legal e a notícia boa era que ele não gostava de Pânico na TV, hahaha, disse que curtiu aquela página no Facebook para ajudar uns amigos – ufa! Em algumas horas de conversa, ele me chamou pra sair. “Vamos fazer alguma coisa amanhã?”. Glupt, eu não esperava por essa assim tão cedo, mas como gosto de fortes emoções, aceitei. Fui dormir e cheguei até a sonhar com nosso primeiro encontro, mas no sonho ele era bem chato e meio gordo.

No dia seguinte, quando estava no metrô indo encontrar com ele, bateu aquela vontade de vomitar que sempre me dá antes do primeiro encontro. Aff, que sentimento ruim, não sei como as pessoas gostam! Nunca demorei tanto para subir aquela escada rolante do metrô Consolação, afinal eu sabia que assim que chegasse no topo, ele estaria lá me esperando. Será que ele estaria mais gordo como no sonho? Será que estaria mais bonito? Será que estaria usando um tênis feio e acabaria com todo o encanto?

Não. Ele era exatamente como eu tinha visto nas fotos! O começo foi como um começo de primeiro encontro normal. Os dois meio que com vergonha, falando coisas idiotas e pensando consigo mesmo: “aff, por que eu falei isso?”. Mas eu tinha acertado em cheio, ele realmente era muito legal. Acho que mais legal do que eu esperava até. Além de ser legal, comecei a achar ele bem bonitinho também. Eu sou dessas: se a pessoa é legal, acabo achando ela linda depois de um tempo. Isso também funciona com os bonitos: se são babacas, ficam feios. Mas quando nos vimos ao vivo, acho que até mudei um pouco de ideia. Se a gente se encontrasse numa balada ou num vagão de metrô, eu flertaria com ele por livre e espontânea vontade. Principalmente porque ele usava tênis de pessoas legais!

 Acho que aquele papo sobre “como achar o par ideal na internet” me inspirou. Aconselho a todo mundo fazer o mesmo. Alguém aí tem uma história de flertes virtuais que viraram reais? Me contem nos comentários, quem sabe alguém tem uma boa ideia para abordar pessoas online? :D

 
38
Compartilhe esse post:

38 comentários em “Ele não é bonito mas tem cara de ser legal”

  1. Incrível sua espontaneidade. O jeito desinibido de contar as coisas que resulta em textos tão gostosos de se ler! Esse post inspira muito, sabia? Adorei ver isso hoje! hahahaha


  2. Mano, eu quero te adotar (sério)


  3. Eu casei com meu flerte do ICQ, serve??? Porém, eu fui mais antiquada e demorei 3 anos para conhecê-lo pessoalmente.


  4. Adorei,parabéns…


  5. Namoro a quatro anos e tudo começou mais ou menos assim!


  6. Fernanda Santos

    18/07/2011 a 16:30:43

    O tempo passa e eu não paro de me surpreender com esses seus posts, haha. Quero ser vc quando eu crescer e continue assim, sempre se jogando na vida!


  7. “Local”:ICQ.
    Ano: 2001.
    Recebo uma mensagem simples, direta e pouco polida: “que bandas você curte?”
    Falei as minhas, perguntei as dele. Fomos num show juntos sem nunca termos nos visto porque mais ninguém queria ver o bobo do Malmsteen. Houveram outros shows, outros papos sem importância, alguns encontros para ouvir música ou não fazer nada. Um dia, outra pergunta, feita pessoalmente e tão direta quanto a primeira: “quer namorar comigo?”. Nem pensei antes de responder que sim e foi bom não ter pensado. Ficamos juntos dois anos e foram preciso mais dois para esquecê-lo. Ficou a lembrança boa e a certeza de que compatibilidade musical é capaz de unir para sempre duas pessoas.


  8. Adrianne Meyer-Gruhl,
    uau, que lindo! Também acho que compatibilidade musical ajuda MUITO uma relação a dar certo. Se curto o cara e vejo que ele curte umas bandas meio nada a ver, já sei que não vai dar tão certo. E já aconteceu de me apaixonar pelo cara depois de descobrir seus gostos musicais. hehehe
    Que bom que vc viveu essa história. Mesmo demorando para esquecer, valeu a pena. Certo?

    Beijão!


  9. Leandro Guima

    18/07/2011 a 18:55:38

    mano, sou sempre teu fã. S2


  10. A minha história com meu ex foi virtual, mas não foi rápida e sim muito pleo ao contrário, durou quase 1 ano pra gente só se conhecer.
    Mas eu lembro que eu tinha ele no msn, achava bonitinho por ser todo estilosinho, me atrai muito mais como o cara se veste do que de fato a beleza.
    Conversavamos muito pouco pela net, ele sempre ficava 1horinha no máximo. Dai teve um natal, que ele me mandou uma mensagem muito fofa ( eu nem me lembrava pq ele tinha meu número), lembro que fiquei super feliz, mas eu sempre pensava “no máximo eu ficaria uma vez com ele e só”.
    Depois disso, ele me pediu meu tel de casa, pra conversamos e não queria dar, mas fizemos uma aposta de perguntas sobre o filme diários de motocicleta e se eu perdesse eu teria que passar o número e então perdi, eu dei meu tel e ele disse que ligaria a meia noite.Fiquei super nervosa, pq achava que não teria assunto pra conversar com ele, pq ele nem era muito de conversar pela net, imagina por tel. Masss, ele me surpreendeu, tinhamos muiiita coisa em comum e muito assunto sempre pra conversar.
    O tempo foi passando, cada vez mais a gente conversava mais pelo tel, a chegar ao ponto dele me ligar todos os dias a meia noite e ficarmos de papo até as 3h hauahaua, de começar a deixar de sair de balada, só pra poder conversar com a pessoa.
    Cada dia ele foi me surpreendendo e a gente foi se apaixonando, até o dia que recebi uma carta em casa escrita apenas no canto da carta ” te amo”. Eu finge que não recebi, pq não sabia o que responder, ele chegou até comentar se eu tinha recebido algo em casa e eu disse que não. Até que me deu uma coisa, resolvi ligar pra ele no meio de uma tarde (o que não era comum pq só nós ligavamos a meia noite), ele disse alô e eu só respondi “estou ti ligando apenas pra ti dizer uma coisa: eu te amo e eu nunca disse isso pra ninguém” e desliguei hehe.
    Enfim, depois disso tudo (finalmente), resolvemos nós encontrar no dia do meu niver e foi quando começamos a namorar.
    Ufa, falei d+, mas juro que resumi >_<. Bjos


  11. Renata (minha chará, hehehe),
    que jeito lindo de dizer eu te amo pela primeira vez! Também ficaria muito feliz se alguém me surpreendesse assim. Acho que isso é algo que falta nas relações de hoje, por isso gosto sempre de surpreender as pessoas. Seja alguém que eu gosto, ou um desconhecido na rua. Fico achando que quando surpreendemos as pessoas, a gente planta uma sementinha nelas que, depois que cresce, faz elas gostarem de surpreender também. Adorei a sua história e adoro comentários grandes! Um beijão!


  12. Putz, há oito anos atrás conheci um garoto na internet, eu tinha meus quinze anos e um miguxês (mas um miguxês contido) de doer… Conheci por causa de um blog, na época do weblogger, e começamos a conversavamos por icq… Enfim, eramos amigos, começamos a namorar e hoje é meu noivo! hahahahaha Como tudo aconteceu eu não faço idéia, mas deu certo! ;)


  13. Eu e meu namorado somos dessa. Somos amigos virtuais desde nossos 14 anos, amicíssimos desde os 17, e começamos a namorar com 21. Pela internet mesmo. 3 meses depois, fiz minha mala, ele foi me buscar (nosso primeiro encontro foi em frente a um supermercado xD) e moramos juntos a mais de 2 anos.


  14. Ei Rebiscoito!

    Adoro seus posts… Não vou ficar tietando mto, pq não sou mto disso… hehehe.
    Mas encontrei seu site por aí e o que me fez voltar e voltar e voltar foi o fato de me achar meio parecida com vc… Tbm respiro amor e se não to bem com essa área da vida, o resto todo tá ruim tbm. E acho que vc é de agosto, certo? Eu tbm… e pode ser que sejamos 2 virginianas?! Sei lá… rs
    Mas enfim… a minha história de “par ideal pela internet” é a seguinte:
    Um dia um carinha me adicionou no orkut assim: “Posso te adicionar assim do nada?”
    Eu aceitei e respondi: “Pode =)” Pq o perfil dele me chamou atenção e tals… Não que ele fosse lindo maravilhoso, mas tinha um rostinho simpático, parecia ser gente boa e gostei do jeito que ele me adicionou e ficou assim. Nessa época eu tava namorando até… Então ficou por isso mesmo… Ele falou só que queria ver as minhas fotos que eram bloqueadas pq ficou curioso pelo perfil e ficou quietinho como mais um contato no meio dos outros. Tbm pq tinha uns 400 km de distância entre a gente pq eu morava em MG e ele em Vitória ES daí não deu em mais nada. Passou um tempo, meu namoro ía de mal a pior, aí esse garoto da net comentou alguma coisa no meu orkut e a gente retomou o contato e trocamos MSN. Descobri que ele era a pessoa mais interessante que eu já tinha conhecido.
    Blz… Deu um feriado, e ele me chamou pra ir lá na casa dele. Eu num podia ir pq ainda tava com a peste do ex. Nisso, uma amiga minha me contou que tava indo passar o feriado em Vitória e me chamou pra ir com ela… Na mesma noite, terminei com o ex, e arrumei as malas. Consciência super pesada por ter terminado tão de repente e com a maior vergonha por ter aceito o convite pra passar o feriado com ele… enfim… essas coisas. Mas fui. Combinei de ficar em um hotel com as minhas amigas mas que não ía nas festas e sair com elas todos os dias. Nos conhecemos num shopping, e apesar do friozinho na barriga de primeiro encontro, não ficamos parecendo 2 idiotas sem saber o que falar um com o outro. Foi super natural, parecia que a gente se conhecia há anos… perfeito! Passei o resto do feriado e fim de semana na casa dele. Hj temos 1 ano de namoro. Ele se mudou pra minha cidade, e a gente tá super feliz junto.
    Foi estranho no começo. Eu sempre ficava me censurando pelo jeito que tdo aconteceu. Tinha medo dele me achar uma puta por ter aceitado ficar na casa dele, medo do tal ex suicidar de tristeza pelo término, peso na consciência por ter terminado só pra ficar com outro cara que parecia ser mais legal… essas coisas… Mas hj fico feliz por ter me permitido viver isso. Exatamente como foi!
    Ninguem morreu, o ex já até casou e tá feliz da vida, eu tbm to super feliz, moramos pertinho agora, e pronto. Apesar do clichê, valeu a pena seguir a minha intuição quando percebi que podia dar certo.

    É isso.

    Bjs


  15. Ludimila,
    ai menina… Fico lendo histórias como a sua e pensando: será que um da vai dar certo pra mim assim também? :)
    Vivo várias histórias incríveis, que se dessem certo teriam o começo mais legal de se contar para os filhos. Mas até agora me permiti viver todas essas e nenhuma deu certo. Digo… Não continuou para todo o sempre, né? Porque não acho que o “dar certo” tem que durar até o final. Acho bonito essa coisa de pensar que “deu certo enquanto durou”, mas enfim… Você entende o que eu quero dizer? hehe
    Te desejo toda a sorte do mundo com esse seu amor começado no Orkut! Pelo menos ele serviu pra alguma coisa, né? Eu, por hora, continuarei tentando. Seja aqui ou em Londres. Ainda acho que um dia vai rolar! Beijããão, super obrigada pelo comentário!


  16. Oi Rebiscoito
    Parabéns, o layout ficou lindo! Então, conheci o meu maridon na internet, através do site Par Perfeito. Dei sorte pq ele foi a segunda pessoa que sai (o primeiro, era um babaca!). Engraçado que num primeiro momento, nao fui com a cara dele (hihihi), mas resolvi conhece-lo melhor. No primeiro encontro, ele me levou pra fazer a Trilha da Pedra Grande. Lembro que ele me oferecia água e eu nao aceitava com medo de ele ter colocado alguma coisa e fazer um boa noite Cinderela. Aconselho todo mundo a se arriscar, mas sempre tomando precauções. Nunca imaginei que iria encontrar uma pessoa que me completa tanto qto ele!
    Boa sorte pra vc Rebiscoito
    Beijinhos


  17. Veja bem: boa parte dos meus amigos vieram da internet. Mas além disso, meu ex e atual namorados também! haha.

    Meu atual foi um flerte de 2004, mas ele não me deu bola na época! Ficamos bastante amigos e nunca perdemos o contato, apesar de não nos vermos praticamente nunca já que meu ex o detestava – e eu era idiota o suficiente pra me submeter a essas coisas. hehe

    Eis que cinco anos depois nos reencontramos em uma festa de ano novo na casa do melhor amigo dele, começamos a sair mais com amigos em comum e de repente ficamos e foi tudo lindo e legal. Estamos juntos há dois anos e dois meses e ele já me trouxe coisas incríveis. Se não fosse por ele, não teria tomado coragem pra ir pros estados unidos, por exemplo.

    Amores virtuais dão certo sim e podem ser realmente surpreendentes! :)


  18. A minha é mais uma história que deu certo, porém, não consigo ser breve ao contar histórias haha.
    No dia 31 de janeiro, quando o Orkut ainda era a minha rede social oficial, recebi um scrap “Ah, Caio Fernando Abreu!”, se referindo a uma frase que tinha no perfil – incrivelmente “não há nada a ser esperado ou desesperado”. Pela foto, tracei o perfil de um cara super ligado a cultura, divertido mas que, aparentemente, gostava de O Teatro Mágico, o que me brochou um pouquinho.
    Ele de São Paulo, eu de Jundiaí, mas fazendo faculdade em Minas. Caio Fernando Abreu ainda permeava essa conversa que aparentemente, não levaria a nada. Fato que me fez esquecer totalmente o Teatro Mágico: o cara era fotógrafo e usava xadrez com All Star <3. Eu, para a conclusão de uma matéria da faculdade, tive que montar um portfólio com dez fotos e escolhi o nu como temática. Coincidentemente, ele tinha no seu perfil um álbum com um ensaio de nus que também tinha feito. Foi minha deixa para continuar o assunto – porque, nesse ponto, já estava intrigada com o menino e aquele monte de coisa do Orkut que tava bloqueada ainda, porque não nos tínhamos adicionado. Comentei, então, sobre esse ensaio e ele pediu que lhe enviasse as fotos via email – cujo endereço também era o msn.
    Ele sempre entrava e vinha falar comigo. Tudo começava com um 'vocêêêê!' que eu achava lindo. Estava, na época, numa fase estranha, em que fazia e falava o que dava na telha e lembro de todas as nossas conversas serem muito leves e verdadeiras. Dias e dias foram se passando e as coisas começaram a mudar. Mais de dois meses de conversa fizeram que começássemos a nos gostar e sentir falta de falar um com o outro todos os dias. Passamos, então, para as conversas de web cam – nas quais me escondia atrás de qualquer papel, com medo dele me achar feia – e, posteriormente, trocamos números de celular.
    Nestas conversas, finalmente, combinamos que nos veríamos quando fosse pra São Paulo, no dia da Virada Cultural. Nos encontraríamos no metrô, assistiríamos ao show da Tiê e ficaríamos por lá. Ele conheceria meus amigos, conversaríamos, passearíamos e veríamos o Beatles Forever no Anhangabaú. Por mais clichê que os primeiros encontros pareçam, nada parecia óbvio entre nós. Eu, por exemplo, não tinha certeza absoluta que ficaria com ele nesse dia, como senti outras vezes… e, como já acostumados a fugir do padrão, o primeiro encontro assim também o foi. Cheguei com uma hora de atraso, perdi o show e já comecei tudo com alguns pontinhos a menos com ele.
    O encontrei no metrô São Bento, junto com seu primo (que enquanto conversávamos, fui saber disso depois, só ficava gesticulando pro menino para eles irem embora, que aquilo era furada). Ele era cheiroso, andava "diferentinho" e era mais baixo do que eu pensava. Mas tinha um sorriso lindo lindo, como já tinha previsto pela web cam. Esperei mais um amigo, também naquele metrô, e fomos encontrar o pessoal de Jundiaí. Meu amigo virou o 'par' do primo dele e nós começamos, então, nosso primeiro encontro.
    Me permitia alguns apertos e abracinhos nele de vez em quando, por ser a menos tímida. Conversa vai, conversa vem, duas cervejas depois, muitos risos e coisas em comum, pra mais de meia-noite – nos encontramos às 19h – demos nosso primeiro beijo. Ele ficou comigo até perto das três, com a promessa de que logo nos veríamos. Quando saiu, já me sentia sua namorada.
    Às dez da manhã, depois de ficar a noite toda só relembrando os momentos com ele e ainda no meio da Virada, sem planos de ir embora, mandei uma mensagem falando que queria vê-lo. Ele respondeu dizendo que também era só o que queria e que dali uma hora me encontraria no mesmo lugar. Depois, também fui saber, que ele também se sentia como namorado já ao sair dali…
    Não sei ser breve, como já dito, mas está tudo dando certo desde então, três meses depois. Fazemos muitos planos para o futuro e sinto que encontrei meu complemento. Escrevi uma vez no meu blog que 'ele não é nada que eu esperava, mas que é tudo que eu queria'. Sei que, com essa minha sorte pra relacionamentos, se o tivesse conhecido do jeito 'normal', as coisas provavelmente não teriam dado certo. Então, hoje, mesmo depois de todo preconceito que eu sofri dentro da minha família por ele ser 'um cara da internet', fico muito feliz com essa nossa história – que estamos compilando num livrinho, pra mostrar a nossos filhos (: haha.
    A dica é se jogar – mesmo que com cautela no começo. Eu mesma só parei com o pé atrás que tinha com ele depois que conheci o lugar e as pessoas com quem trabalhava hahaha. Achava que ele podia me sequestrar a qualquer momento – por influência da minha mãe.

    Por fim, suas histórias são inspiradoras, Re ;) beijão.


  19. Laís!!
    que história lindinha! E olha, também envolve distância. Não é a primeira que contam aqui assim… As minhas são sempre mais perto, hahaha, esse do posr por exemplo também tem alguns amigos em comum comigo, o que facilita não ter esse medinho do cara ser duvidoso ou sequestrador.
    Te desejo muita sorte, e que você aproveite esse amor que começou com Caio Fernando de Abreu, que eu tanto gosto. Beijão!


  20. Lilian,
    adorei que você mal me conhece e já veio comentar no blog. Sei que tenho vários leitores que me leem quetinhos e não comentam, mas adoooro receber comentários ainda mais fofos como o seu. Aháá, se deu bem heim? Conseguiu um dos mais gatos do twitter! hahahaha
    Adorei a história. Há males que vem para o bem, né? Nesse caso foi uma virose. hahaahha
    Beeeeijo


  21. Oi, Rê!

    Conheci meu ex pelo twitter, um @ aí meteu ele numa conversa, e fomos nos falando. Trocamos msn, etc. E uns dias depois, ele veio da cidade dele (BSB) pra SP. Disse que tava vindo me ver. Acreditando ou não, e morrendo de medo eu fui.
    Engraçado, como parecíamos um casal, conversando, saindo juntos, andando por aí.
    Três dias depois, ele voltou pra cidade dele. Foi difícil viu. Mas aconteceu que a gente se gostou demais. E decidiu namorar. Eram viagens todo mês, muita internet, muito sms. E por sete meses foi lindo.
    Mas distância desgasta. E no fim, acabou que terminamos.
    Foi totalmente rápido, louco. Mas foi lindo :)


  22. Meu namoro no começo foi bem mais offline, apesar de nós mantermos um contato inicial através de uma comunidade do Orkut. Ela, Amanda, tinha passado para Jornalismo na Universidade Federal do Ceará, e eu já tava cursando o terceiro semestre de Publicidade na época. A gente foi se conhecendo, com algumas desventuras, sempre conversando muito no MSN e em outras redes sociais. Ficamos, desficamos, ficamos de novo. Até que um belo dia ELA me pediu em namoro, numa tarde de uma segunda feira, dia 13 de abril de 2009. À noite, quando chegamos em casa, conversando pelo MSN ela me “concedeu” o direito de por o status de “namorando” no Orkut (aqui o print http://bit.ly/qbNFs2). Enfim, até hoje trocamos mensagens, e-mails, conversamos em chats e etc. Estamos a 2 anos e 3 meses juntos, a gente sempre compra um livro por mês um para o outro, divide e conversa sobre todas as novidades, e posso dizer com certeza que essa é a mulher que eu vou levar para o altar e que vai ser a mãe dos meus filhos. ^^


  23. Renata Tomaz

    20/07/2011 a 00:52:00

    Conheci meu ex na internet em um jogo de golfe online…chamado Pangya…deu certo por 2 anos e meio e dps terminamos…

    Mas antes disso, bem antes…conheci alguém numa sala de bate papo uol, chamada Hogwarts, todos eram fãs de Harry e jogavam RPG um com os outros nessa sala. Lá conheci o Guilherme, ele morava num bairro próximo ao meu, nos comunicávamos por ICQ, evoluímos e fomos pro MSN, depois de alguns anos, enquanto eu namorava o cara do golfe online, ele se mudou pro bairro da minha avó a 2 ruas da casa dela, eu deixei um livro emprestado pra ele que não achava pra comprar e eu tinha, já que sabia onde ele morava. Foram 7 anos de amizade via internet, sempre estávamos num msm local, num msm show, próximos mas nunca nos conhecemos pessoalmente. Até que ano passado, minha mãe vendeu a casa onde morávamos e construímos no terreno da minha avó, que é muito grande.Mas não nos falávamos a uns meses nessa época. Até que voltamos a nos falar numa madrugada de sábado e domingo eu fui na casa dele, depois de 3 anos com meu livro, resolvi ir buscar e desde então a vontade crescia de se ver, e resolvemos ficar juntos (:
    Acredito que as coisas acontecem nas horas certas, não existem segredos, nos conhecemos bem demais…vivemos nossa adolescência numa amizade virtual, sabendo um do outro…E quem diria que ele após tantos anos só tendo encontros casuais, nunca ficando com alguém mais de 2x o que era um recorde, se apaixonou pela primeira vez, isso pq me zoava por namorar, assumir compromissos…e hoje já planejamos nosso futuro, mesmo só 1 ano juntos.Quando ele colocou status namorando em redes sociais causou o caos entre os amigos…Mas essa é minha historinha de amor (:
    Adoro o blog e tudo (: beijos


  24. Meu primeiro namorado só rolou por causa do icq e do grupo de rpg…coisa bem nerd ne?
    Alguns rolos começaram por conta do twitter e ate tastebuds! :) E meu namoro por só rolou pela reaproximação via Facebook e (olha o mico) msn…isso pq odeio msn haha!
    Adoro suas histórias Re <3


  25. Renata Tomaz (outra chará),
    que história inacreditável! Anos e anos… Me fez parar pra pensar em pessoas que hoje em dia eu não vejo nenhuma possibilidade. Quem sabe daqui a uns anos né? Adorei! :)


  26. Ah, eu tb casei com meu amor virtual!

    Tinha terminado um namoro de 2 anos, tava terminado a faculdade, saindo vida em república e voltando pra SP….aquela coisa sem rumo.

    Minha irmã caçula – que já não aguentava mais eu indo a todas as baladas e a obrigando a ir junto – chegou em casa e falou “Ó, vou instalar um programa novo aqui muito legal que uso no trabalho, chama MSN. Tenho 5 (!!) amigos, conversa com eles e me deixa em paz esta noite”. Conversei com um amigo dela que trabalhava de madrugada e,vixe, conversamos tanto que conversamos de madrugada até hoje.Seis anos juntos!

    Fizemos de tudo (opa, sem pensamentos maliciosos,hein!) pela internet: o primeiro ovo de páscoa eu ganhei pela webcam, a primeira foto minha para ele, o pedido de namoro e de casamento.As 1as brigas também foram pela internet, mas esta parte eu esqueço.

    Adoro mesmo seu blog. Eu “si divirto” até hoje com a saga do vizinho, do poste.Vc até conhceu no metrô um menino que foi meu bixo na faculdade. Ri muito, muito mesmo, percebendo como o mundo é petitico.

    Depois,na loucura da vida real, fiquei um tempão sem te acessar. Mas há alguns meses, do nada, lembrei de vc e, desde então, coloquei o blog no Favoritos para não esquecer nunca mais.

    Um bjo!

    Bjs!


  27. Gabi R.,
    hahahaha as histórias que tenho lido aqui são as melhores! Que legal a sua, imagino que você pediu pra sua irmã ser madrinha de casamento, NE? hahaha
    Sério que vc era veterana de um cara que eu conheci no metrô? Uou, mundo pequeno mesmo. Deve ser o Jonas.. Né? Ou é outro?
    Que bom que agora você não se perde mais de mim. Espero que aproveite o blog! Valeu pelo comentário, um beijão!


  28. Renata,
    Buscando perfis interessantes em blogs e twitter que escrevem “cousas com cousas”, te achei! Através de um amigo que temos em comum. =)
    Adoro a maneira desencanada que você escreve, é uma inspiração e tanto!
    Nunca deixe de escrever para as pessoas que, como eu, adoram “te” ler!! rs
    Coloquei seu site em minhas recomendações de blog, no meu blog ok??? Caso não queira, eu retiro ;)
    Um beijo Gi


  29. Oi Gi!
    claro que pode colocar meu link no seu blog, eu até agradeço :)
    Fico feliz em receber comentários como o seu. Muito obrigada! Beijos


  30. Ai, Rê, sou cara-de-pau. Lembra a vez que mandei um correio elegante prum menino que eu estava meio afinzinha? Não deu em nada, mas acho que, como a gente não está cara a cara com a pessoa, fica com mais coragem pra falar na cara que está afim ;)


  31. Haha. Bati no teu blogue agora. Nem se como vim parar aqui, mas gostei dos posts. Principalmente deste. \o
    Aliás como terminou essa história aí? Beijos.


  32. Lucas,
    por hora, ainda estamos nos vendo. E eu mudei de opinião, além de ser legal, ele é lindo :)


  33. Rê! (hahaha, desculpa, mas toda Renata que encontro já me sinto íntima, ok?)
    Conheci teu blog ontem (através da Maíra, que estudou contigo) e… caramba! Que grata descoberta. Adorei tudo e a simplicidade com que escreve (:
    Já virei tua fã … hahahaha

    Beijos


  34. ele dança estranho. e acho q é um ponto positivo


  35. Ai adorei essas histórias… tb fico pensando em um dia acontecer comigo.
    E essas pessoas que hj parece que não tem nada a ver… qm sabe no futuro?

    Heheh
    Bjsss


  36. E sabe, sempre fui mais conservadora!! Sempre acreditei que o cara deveria vir atrás e etc… mas to lendo mais e abrindo minha mente sabe! Mas é difícil, pois… mandei um sms para um cara q estamos paquerando e flertando há umas semanas já… convidei p sair.
    Ele nem respondeu, e o pior… fiquei tão nervosa.. Tb odeio esse tipo de ansiedade!! É horrível e olha q só mandei uma msg hahahaha Mas p pegar o cel dele tb foi respirar fundo, fechar o olho e perguntar logo antes q eu desistia. hehehe
    Ai mas às vezes isso para mim parece um fracasso. Tão dificil achar um cara legal, que conversa com você, tem humor (ele fica me zoando, eu tb)!! bom… to esperando… qm sabe ele não me responde mais tarde!! hahhahah
    Adoro vc e seus posts…
    Bjs


  37. Oi, Rê! Bom, eu sei quem você é desde que você ganhou um iPad(?) no Gengibre, mas sempre tive aquela vergonha de comentar algo. HAHAHAHAHAHAHA Sempre gostei de ouvir as coisas que você colocava lá, sempre te achei bem interessante e divertida. Na verdade, tenho 2 sons daqueles que você postou lá, porque eu os achei bem legais, MESMO!! HAHA Enfim, o mais próximo que eu cheguei de um relacionamento, digamos, “à distância”, por incrível que pareça, foi com o meu vizinho. Foi uma coisa louca, tipo… Eu estava saindo do banho, entrando no quarto nua, e de repente ouço uma pessoa dizer:”Ei! Você tá louca? Não sabe que tem vizinhos, não?!”, daí eu fiquei muito envergonhada com a situação e fui fechar a janela e a cortina com a cara pegando fogo sem falar nada, e ele disse:”Tudo bem, depois conversamos então…”. Achei que era papo, também… Mas quando eu abri de novo, lá estava ele, me perguntando se eu tinha um caderno de desenho e uma canetinha querendo conversar por papel, só que eu achei meio ridículo no começo, algo como Taylor Swift, sabe?! LOL Depois me surpreendi, ele gostava das mesmas bandas que eu, tinha o mesmo sendo “eclético” que eu, conversava naturalmente sobre qualquer coisa. O tempo foi passando, e o nosso papo pós-banho foi se tornando essencial, mesmo pq, ele SEMPRE estava lá, me esperando pra conversar. Aí eu fiquei super na dele, mas nunca dava pra se encontrar, nunca mesmo. Não por má vontade dele, menos ainda minha. Apenas não dava no dia em que ele estava livre nem no meu, continuamos conversando dia após dia. Massssss, como nada é perfeito, ele se mudou e nunca mais nos falamos… Essa é minha história de vida LOL


  38. Beleza não é a coisa mais importante, mas é fundamental….pode apostar…que embora no começo sejam só flores…uma hora isso vai pesar…



Deixe seu comentário