Esse foi um conselho que minha mãe me deu um dia e eu não entendi direito na época mas depois de alguns anos passei a concordar. Ela me disse que a mãe dela, minha vó, um dia deu esse conselho a ela também achou horrível, não concordou e disse que minha vó estava errada. Mas assim como eu, depois de alguns anos e alguns tapas na cara, ela passou a acreditar que o conselho era mais do que válido.

“Escolha alguém que goste mais de você do que você dele(a).”

Parece frio né? Porque quando se trata de amor, normalmente achamos que nossos sentimentos devem ser vividos e a gente deve seguir nosso coração. Eu também pensava assim, até quebrar muito a cara com relacionamentos onde eu gostava mais da pessoa do que a pessoa de mim.

Chega uma hora que cansa. Você gosta, tem tanto para dar praquela pessoa e a pessoa simplesmente não quer, porque não gosta tanto assim de você. Parece uma perda de tempo, um desgaste inacreditável. E daí você fica pensando que o mundo é muito injusto. Você tem tando amor pra dar, você guardou o seu melhor para dar àquela pessoa e ela simplesmente não quis, não aproveitou ou não deu o devido valor. Você tenta até onde pode mas sempre acaba saindo machucado da relação e pensa consigo mesmo: “Nunca mais vou gostar tanto de alguém quanto gostei dessa pessoa.”.

Daí você conhece outra pessoa incrível e a história se repete. Você se cansa de novo, se machuca de novo… E depois de umas 3 ou 4 vezes que isso acontece você resolve parar. “Agora só vou gostar de quem gosta de mim” (como já dizia o sábio rei Roberto Carlos…). Então você resolve dar uma chance praquele carinha que sempre esteve atrás de você te dando a maior bola, te agradando com presentes e sempre disposto a te ajudar com tudo. “Ele não é feio, é super legal e gosta de mim. Será que eu consigo gostar dele também?” e você fica com ele. Ilude ele do mesmo jeito que os outros iludiram você. Mas chega uma hora que você não aguenta mais o carinha legal e decide que não consegue se forçar a gostar de ninguém, por mais legal e fofa que a pessoa seja. Aliás, só o fato de você achar a pessoa “fofa” já quer dizer que tem algo errado aí.

Você se chateia. Resolve ficar um tempo sem gostar de ninguém. E continua achando injusto que você tenha tanto amor para dar e ninguém, que também goste de você, queira receber.

Felizes das pessoas que conseguem viver com alguém que goste mais delas do que elas da pessoa. Eu não sei se consigo e nem sei se algum dia vou conseguir. Só sei que agora o meu ciclo está parado pois eu finalmente encontrei alguém que goste de mim do mesmo jeito que eu gosto dele. Assim como eu, ele estava cansado de disperdiçar tudo que ele tinha de bom com as pessoas erradas. A gente deu a sorte de se encontrar, mas também não posso dizer que isso vá durar pra sempre pois moramos em continentes diferentes e logo logo estarei voltando para o meu país, portanto estou aproveitando ao máximo o presente, deixando o futuro pra depois.

Mas algumas perguntas ainda assombram minha mente:

- É possível ficar com alguém que goste mais de mim do que eu da pessoa, ou eu sempre vou estar esperando o príncipe encantado?

- Quando eu achar o príncipe encantado, será que vou enjoar dele?

- Será que é possível começar um relacionamento sem gostar muito da pessoa e se apaixonar perdidamente por ela com o tempo?

- É válido ser correto e não iludir ninguém, mas acabar velho e sozinho na vida?

- Se a pessoa souber da verdade, é válido estar com ela por conveniência e/ou falta de opção, ou isso é egoísmo?

 

 
41
Compartilhe esse post:

41 comentários em ““Prefira alguém que goste mais de você.””

  1. Oh céus.. poderia dizer que essas perguntas saíram da minha cabeça!

    Mocinha, fui acompanhando pelo twitter sua história toda, desde que saiu daqui do Brasil e foi pra Inglaterra, e digo que achei super bacana isso que aconteceu de vc achar um cara gente boa pra ficar junto. É incrível como as vezes nossa vida dá uma guinada inesperada!

    Quanto ao post, eu, particularmente, não consigo ficar com uma pessoa que gosta mais de mim.. me sinto mal, em parecer que estou fazendo a outra desperdiçar uma chance de encontrar alguém que goste dela.
    No fundo, por mais utópico que seja, acho que temos que achar uma relação balanceada.. é raro mas.. bom, é o que dá certo né?


  2. Difícil mesmo esta questão, mas hoje, depois de tantas bordoadas da vida, acho que conseguimos sim dar a chance a quem gosta da gente, de tentar pelo menos, e não creio que isso seja egoismo não, pois nós mulheres, se o sujeito for um cara carinhoso, atencioso e leal a nós, conseguimos sim nos entregar a essa relação, mas o importante é que ele realmente seja apaixonado por nós e que pelo menos admiração pela pessoa que ele é exista entre os dois, senão não rola nada, já pensou ficar com um cara que você acha uma decepção??? Não dá né!!! Então, havendo afeição e admiração pelo cara que é apaixonado por nós mulheres, acredito sim que role algo duradouro! <3


  3. Cara rebiscoita, que sinceridade mais bonita. Sabe, já vivi tudo isso que você falou. Amei uma pessoa por quase 6 anos e hoje me pergunto se aquilo era mesmo amor. Não queria esquecê-lo de jeito nenhum e hoje, quando procuro algum resquício de sentimento, só encontro o susto de encontrar um vazio com o qual nem sei lidar. Nem bom, nem ruim. Um vazio somente. É estranho quando acaba. A ausência do amor que eu sentia, ao qual eu era apegada. Mas me fazia mal amá-lo, não porque ele era uma má pessoa, mas porque as minhas necessidades (importantes, diga-se de passagem, não era coisa de gente mimada não), não estavam sendo satisfeitas. E nem porque ele não me amava: ele me amava sim. Tenho certeza disso.

    Mas descobri que a amor não basta. Acho que a gente ganha outra percepção do mundo quando descobre que o nosso sentimento nunca é estático e muito menos extático. Num dia você ama, no outro você ama mais ou menos porque tá de TPM, no outro ele te surpreende e você fica apaixonada, dali uma semana vocês brigam e você quer terminar. Depender do sentimento é autodestrutivo. E os mais velhos devem saber bem disso.

    Não estamos falando que temos que nos forçar a amar alguém. Mas se essa pessoa tem diversas qualidades das quais você gosta, que te fazem sentir amor e paixão algumas vezes (ou desprezo e ódio em outras), e se as qualidades são tão boas, as melhores que já viu ou experimentou, por que não aprender a lidar com a raiva, o desprezo ou o ódio sabendo que eles são passageiros e que em breve você pode se reapaixonar?

    É aí que você faz uma escolha. Amor não depende tão somente do sentimento, mas da escolha que fazemos ao suportar os momentos chatos, sabendo que os momentos legais vão reaparecer em algum momento.

    Por isso que eu me pergunto se aquele amor de quase 6 anos que eu tive foi mesmo amor. Porque ele não me escolheu, visto que não levou em conta as minhas necessidades e nem uma conversa franca foi capaz de me oferecer. E eu não o escolhi, porque sofria mais do que amava, então resolvi terminar.

    Hoje tenho alguém. Faz 8 meses que tenho. Começamos, namoramos e terminamos no quinto mês. E voltamos sem voltar. Mas nos ouvimos, damos atenção às nossas necessidades, conversamos, ele é aberto, eu sou aberta. Não namoramos porque não quero mais esse rótulo até eu ter a sensação de ter a certeza (pra não soar arrogante, porque certeza a gente nunca tem de verdade) de que eu sei amar. De que eu sou capaz de escolher.

    Sem pressões da parte dele, com algumas (sem querer) da parte de alguns amigos, vamos vivendo assim. Tendo momentos maravilhosos, outros nem tanto, mas juntos. Entediados ou felizes, observando a roda da vida girar.

    Chega uma hora que você cai na real e percebe que o clichê de “ninguém é feliz, as pessoas podem estar felizes” é verdadeiro. De repente, o óbvio faz sentido. Não no raciocínio, mas na alma. E quando você cai na real, literalmente cai. Porque vai precisar se reerguer e reconstruir incessantemente, afinal acaba de descobrir que o jeito com o qual a gente leva a vida e enxerga o amor tá equivocado, querendo prazer e surpresa o tempo todo. E é por isso que a gente sofre e tem todas essas dúvidas.

    Dadas as considerações, vou responder às suas perguntas com as minhas opiniões:

    - É possível ficar com alguém que goste mais de mim do que eu da pessoa, ou eu sempre vou estar esperando o príncipe encantado?
    Possível sim. A pessoa que está comigo hoje tem mais capacidade de entrega do que eu. E eu digo isso a ele. E eu o admiro por isso, invejo na verdade. Ele é assim com todos: pais, amigos, comigo. Mas eu o amo do meu jeito e é isso o que importa afinal. Quero aprender com ele.

    - Quando eu achar o príncipe encantado, será que vou enjoar dele?
    Pode enjoar. E pode se reapaixonar. Depende de você superar os momentos de desprezo que sentir por ele (porque não é isso? a gente enjoa das pessoas porque elas começam a ter atitudes que se afastam da primeira ideia que fizemos dela. é a hora que deixamos de nos enxergar NA pessoa para enxergar A pessoa. e eu acho que é a oportunidade para amadurecermos nosso jeito de amar. já leu “Tenho Raiva! O papel positivo das emoções negativas”? fala muito de tudo isso e apesar do nome à la autoajuda, o conteúdo é realmente bom, dá vários tapas na cara).

    - Será que é possível começar um relacionamento sem gostar muito da pessoa e se apaixonar perdidamente por ela com o tempo?
    Acho que não. Amor é escolha, mas sentimento vem primeiro. Mas eu só acho. Mais por uma questão cultural do que uma capacidade natural do ser humano. Antigamente os pais é que escolhiam os casamentos e as moças aprendiam a amar os maridos. (UUGHHHH). Cultural. Acho que eu não conseguiria. Tenho de ter a lembrança do bom sentimento pelo menos pra aguentar as coisas chatas.

    - É válido ser correto e não iludir ninguém, mas acabar velho e sozinho na vida?
    É válido que duas pessoas sejam sinceras uma com a outra na medida do possível, pra não iludir ninguém e nem acabar sozinho. Parece simplistas mas me parece a única forma de tentar.

    - Se a pessoa souber da verdade, é válido estar com ela por conveniência e/ou falta de opção, ou isso é egoísmo?
    Qual é a verdade? Que você não é LOUCA APAIXONADA MALUCA pela pessoa? Ou porque não consegue ser assim 100% do tempo com ela? Se sente prazer em estar com ela algumas vezes e outras não, mas esse prazer em estar junto e fazer coisas juntos for o suficiente pra fazer a escolha de suportar passar pelos momentos chatos, então não é conveniência. É amor. Um amor bonito que reconhece os opostos e que não precisa estar sempre no alto para ser admirado.

    Desculpa pelo tamanho do comentário. Mas essas perguntas também sempre foram minhas, e as respostas podem ser passageiras. Quando você encontrar as suas (ou achar que encontrou), compartilha, que eu vou querer saber.

    Beijas!


  4. ToshiBR,
    gostar mais de você não quer dizer que você não goste dela. Tem aquelas pessoas que a gente gosta também, só que sabe que a pessoa gosta mais da gente. Entende? Enfim… Tudo isso porque acho muito difícil – se não impossível – achar essa tal relação balanceada…


  5. @natacha_o,
    “desculpa” pelo tamanho do comentário? Como assim? Esse foi um dos mais bonitos e sinceros que eu já recebi. Não que eles normalmente não sejam sinceros, muito pelo contrário… Mas você se abriu tanto e fez uma coisa que eu geralmente faço: tentou me explicar tudo de acordo com as suas experiências. Afinal, são elas que nos fazem formar opiniões e pensamentos, certo?

    Pensei em comentar cada partezinha que concordo e discordo no seu comentário, mas seria o mesmo que escrever esse post inteiro de novo e semana que vem todas as minhas opiniões já poderiam estar diferentes. Achei muito lindo tudo o que você falou sobre amor e escolha, pois também acho que muitas vezes seja assim. Só fico preocupada com a minha incapacidade de ser racional em alguns momentos. Sempre deixo a emoção falar mais alto e acabo me deixando levar demais pelos meus sentimentos e pensamentos que tenho momentâneamente. Às vezes esses pensamentos que tenho porque estou num dia ruim se tornam decisivos em algumas situações que não deveriam ser, e eu acabo me confundindo toda em relação ao que sinto. Tô sempre mudando. Nunca tenho certeza. E acho que sempre serei assim, talvez seja um defeito que eu nunca tenha parado pra pensar que tinha. Mas ao mesmo tempo, falando isso eu também me pergunto: será esse um defeito de todo ser humano? De qualquer forma.. Obrigada por compatilhar as suas respostas as minhas perguntas. Fizeram muito sentido e é sempre bom dar uma clareada nas ideias com pontos de vista diferentes do nosso.


  6. Eu tenho algumas respostas, não sou dono da Verdade, mas eu a trato bem então ela (a Verdade) gosta de estar comigo.

    - É possível ficar com alguém que goste mais de mim do que eu da pessoa, ou eu sempre vou estar esperando o príncipe encantado?
    Resposta: tudo é possível, mas o príncipe encantado normalmente é uma invenção que o cara que quer ficar com você projeta e tenta ser, porque ele sabe que você é menina e a sociedade força as meninas a acreditarem em príncipes encantados. Eles existem como modelos, são uma figura de linguagem. Ou seja, qualquer um pode ser um prícipe encantado.

    - Quando eu achar o príncipe encantado, será que vou enjoar dele?
    Resposta: o príncipe encantado é uma figura de linguagem, você conhece pessoas e fica enjoada de pessoas. Quando você ficar enjoada do príncipe encantado, digo, dessa figura que pode ser representada por qualquer um, aí sim você pode curtir a pessoa que existe na pessoa, talvez enjoar dela depois, ou talvez não. Mas se você enjoar da idéia de príncipe encantado, seria bacana, seria desejável.

    - Será que é possível começar um relacionamento sem gostar muito da pessoa e se apaixonar perdidamente por ela com o tempo?
    Resposta: sim. Mas cuidado com a pegadinha, você conhece a pessoa e fica querendo dar nome às coisas, o relacionamento, o príncipe encantado, o caso, a crise, a DR, blablabla. Eu acho possível e até comum você conhecer alguém e passar a gostar mais dela cada vez mais. Você já viu rodas parecendo que estão rodando pra trás mas o carro está andando pra frente ? Pois é, é a frequência/ritmo, meio ilusão de ótica.

    - É válido ser correto e não iludir ninguém, mas acabar velho e sozinho na vida?
    Resposta: como assim ? Ser correto e não iludir ninguém é uma necessidade primordial, nem entra a questão se é válido ou não. É uma necessidade, é urgente, é fisiológico (deveria ser). Ficar sozinho pode ser um prêmio e não uma punição. Não digo que é, digo que pode ser.

    - Se a pessoa souber da verdade, é válido estar com ela por conveniência e/ou falta de opção, ou isso é egoísmo?
    Resposta: se a pessoa souber da verdade e quiser ficar com você, então ótimo, não é egoísmo, a pessoa sabe da verdade e aceita ficar com você por conveniência, né não ? Se ambas as partes estão cientes de tudo, ninguém é enganado e aí fica tudo massa.

    Um beijão Rebiscoito !


  7. Oi, Rê. Soube da existência do seu blog quando você veio pra Fortaleza. Você curtiu o cine betão? hahaha! Bem, voltando aoassunto do post. Também já escutei essa frase e também senti a mesma indignação que você. Eu acho que as pessoas só dão certo quando se gostam mais ou menos da mesma intensidade. Eu acho também que, às vezes, a gente até pensa que uma pessoa gosta mais da gente do que a gente dela ou vice-versa, mas, no final das contas, é tudo o jeito da pessoa, da gente, expressar o que sente, é tudo o jeito de ser, além das pessoas que tem problemas pra expressar o que sentem por algum motivo e acabam cagando uma relação.
    Quanto a começar um relacionamento sem gostar muito da pessoa e se apaixonar perdidamente por ela com o tempo, isso sim, é PERFEITAMENTE possível. Eu que a diga! Acho que é de mim, mas nunca me apaixonei perdidamente por alguém de cara, em pouco tempo. As pessoas com quem eu já me envolvi a maioria eu já conhecia e as achava bacana, mas sem interesse, até o dia que alguma coisa me despertava e tchan, quero agarrar! hahaha! Meu namorado atual, de quase 5 anos, foi assim. A gente se conheceu, ficou muuito amigo, eu gostei muito dele como pessoa e só. Ele não, queria mais e até quis deixar de falar comigo um tempo porque dizia que só amizade não era o bastante e que aquilo deixava ele muito confuso. Mas aí já era tarde,ele era meu amigo e eu o queria por perto. Fui egoísta, não respeitando a vontade dele, me matendo por perto, eu não queria perder a amizade e ele foi deixando eu me reaproximar e nessa reaproximação, TCHAN! Agarrei! No início ele gostava mais de mim. Eu gostava dele, claro, mas era diferente porque eu ainda tinha a imagem de que ele era só meu amigo. O início foi bem engraçado, ele todo bobo, nitidamente gostando mais, mas sem sufocar. era bem bacana, mas paixão, paixão, não tinha não. Hoje sim, sou perdidamente apaixonada e me sinto perfeitamente correspondida. Ainda bem! =)


  8. Adoro ler seus posts… me identifico muito.

    Ainda to na fase de “quebrar a cara” … há dois anos e meio não amo e nem sou amada de vdd, não tenho algo profundo com alguém. Neste meio tempo, muitas coisas aconteceram, muitos lances, muitos primeiros, segundos e terceiros encontros… nada que desse certo muito tempo e apesar de eu reclamar, de ter chorado algumas vezes pela minha falta de sorte com os caras… foi bom. Aprendi a ter prazer por mim mesma e assim poder direcionar o outro para me satisfazer (tive q aprender primeiro hehehe), fui buscar mais conhecimento sobre relacionamento/sexo no “casal sem vergonha”, por exemplo e aprendi muitas coisas. Já fui muito de nojinhos sabe? puro egoísmo meu. Já julguei muito. Mudei de “perfil” de homem, não adianta ser atraída pelo cara da balada, conquistador, charmosão e tals.. ele é assim com vc e com outras tb. Já tentei ver se dava certo com o cara “fofo” e… não deu. Ja tive amigo P.A. e foi uma droga pq eu me apaixonei e descobri q realmente não é coisa que serve p mim. Parei de assistir comédias românticas, não dá p sonhar achando q tudo é fácil assim e sempre dá certo no final.
    Me considero mais antiga, ainda quero um relacionamento sério, a dois em que haja realmente a vontade de estar junto e de construir um futuro.
    Quero me entregar sem medo num relacionamento por isso agora to focada tb! Nada de opostos, desses que a gente só perde tempo. Eu sou quieta, mais caseira e não posso ir atrás dos caras baladas/raves… hehehe
    E lendo seus posts eu também espero encontrar alguém que me satisfaça e que realmente se importe e goste de mim.
    E sabe, eu tenho amigas (poucas é vdd) que encontraram grandes caras e estão felizes. Espero estar feliz assim um dia.

    PS: Apareceu alguém há 15 dias e começamos a sair juntos e conversar bastante e independente do que aconteceu com os últimos caras… eu olho p frente e penso sim que esse possa ser alguém que vá dar certo comigo.

    Bjssss


  9. Entendo perfeitamente tudo o que você disse…

    Sou músico e vivo de sentimentos para escrever minhas músicas.
    Anos atrás esses sentimentos eram tomados pela busca incessante da minha “princesa encantada”… E eu encontrei ela… 2 vezes… E enjoei dela… 2 vezes…

    Eu acho que essa história de príncipe/princesa encantada é pura ilusão… Nós criamos a imagem da pessoa perfeita na nossa mente, mas a pessoa perfeita simplesmente não existe…

    Depois de quebrar a cara algumas vezes resolvi dar uma chance para alguém que gostasse de mim, exatamente como você citou no seu texto…e sabe o que aconteceu? Eu me apaixonei…mas de uma forma diferente, aprendendo a conviver com as diferenças e principalmente respeitando um ao outro…
    Assim como foi citado nos comentários, não é SEMPRE que você vai estar apaixonada, mas você sabe que gosta da pessoa, se importa com ela e acaba ficando mais difícil enjoar porque ela sempre faz as coisas que você gosta e do jeito que você quer…

    Já estou com essa pessoa a 6 anos… durante esse tempo, tive alguma “recaídas”, mas sempre que colocava a cabeça no lugar eu não encontrava motivos para deixá-la e sempre me apaixonava de novo…

    Estou feliz assim, ou melhor, encontrei minha felicidade assim…espero que você encontre a sua, seja como for…

    Beijos!!! =)


  10. André Leal,
    adorei suas respostas. Não concordo com algumas coisas, como por exemplo quando você diz que ficar sozinho pode ser um prêmio. Bom… Pelo menos pra mim não. Eu sou uma pessoa que gosta de pessoas, que precisa de pessoas. Acabar essa vida sozinha seria uma super punição e eu me sentiria muito mal. Mas claro… Dependendo da pessoa isso pode ser bom, cada um com suas preferências. Agora… A analogia a roda do carro foi perfeita! É totalmente ritmo e sintonia, concordo muito com você. E também acho que a gente adora dar nome as coisas, e isso acaba fazendo de tudo um grande problema ou vários probleminhas. E ah! Sobre o príncipe encantado, não falo exatamente do modelo de príncipe encantado que vemos por aí. O príncipe encantado seria o MEU príncipe encantado. Ele é bem diferente dos clichês que a gente vê mas pra mim ele seria perfeito. E ser perfeito é o problema, pois ninguém é. Quando falo perfeito eu junto até as imperfeições do cara nisso, sabe? Porque as imperfeições também fazem algo ser perfeito. Mas daí eu fico esperando esperando esperando… Conheço uns que tem umas coisas mas não tem outras… Tudo sempre pela metade. Daí a gente acha que um dia um cara inteiro vai aparecer mas.. Será que vai mesmo? ENFIM. Já estou me alongando de novo, hahaha. Beijão!


  11. Mari,
    que coisa boa ler sua história! Me coloquei no seu lugar e acho que descobri algo sobre mim. Acho que tenho um problema… (hahaha). Sempre que eu conheço alguém, eu tenho segundas intenções com essa pessoa (a principio). Se não tenho, é porque nunca vai rolar meeeesmo. Não me lembro de ter conhecido alguém que eu queria ser só amiga e depois rolou algo fulminante. Então, por mais que eu tente, sei la.. Parece forçado, desesperado, sabe? Não sei se você entende o que eu quero dizer… Mas enfim.. Eu nunca digo nunca.

    E ah! Que legal que vc conheceu meu blog por causa do Desencontro! <3
    Posso falar….? Eu AMEI o cine do betão! hahahaha adoro lugares sujos meio toscos e alternativos, e lá tinha filme porno! hahaha tem coisa mais legal?


  12. Marina J,
    vc tocou num ponto importante… Essa fase de estar sozinha e quebrar a cara é muito importante e necessária pra gente aprender. Aprender como é se relacionar com as pessoas, aprender quais são nossos limites, nossas vontades, o que a gente quer de verdade… E é o melhor momento para entender você mesma e saber o que exatamente você procura. Achei ótimo que você esteja usando esse período ruim de um jeito bom. É como se vc estivesse “estudando” relacionamentos para se tornar uma pessoa melhor no seu próximo relacionamento. Isso é lindo! E vc faz bem em ler o Casal Sem Vergonha, eles arrasam! Boa sorte :D


  13. Filipi,
    que lindo! E quantas esperanças você me dá… Estou super feliz agora mas não é algo que eu sei que vai durar muito tempo (porque nem pode) então depois disso sei que vou voltar pra minha vidinha de solteira e vai ser difícil ter que viver tudo isso de novo depois de ter tido algo tão intenso com o meu namorado atual. Mas vendo histórias como a sua fico mais aliviada e esperançosa. Meu problema acho que também seriam as recaídas… Eu tenho muito delas porque AMO flertar e pra mim essa é uma das partes mais gostosas de um relacionamento, mas que é impossível ter isso com uma pessoa que vc já fez e já está em outra fase… 6 anos é bastante coisa! Que continuem sendo felizes juntos :)


  14. Re, esse texto é a maior verdade sobre os relacionamentos. Me sinto da mesma forma. E acho que é possível achar alguém que vai te amar da mesma forma que você, porém, um de vocês pode desistir primeiro. Entende?
    E as outras perguntas eu não sei a resposta pq mesmo quando encontrei o amor da minha vida eu me fazia essas perguntas todo dia e sentia medo de enjoar, deixar de gostar ou simplesmente perder tudo de bom que sentia naquele instante.

    Beijos


  15. Não pense em nada disso. Tudo na vida apenas rola. Você não tem que se responder e, portanto, besteira se perguntar , se não há nada a responder. A vida ocorre um vez por dia. Não está bem, esqueça, encheu o teusaco, manda embora. Amor, a palavra e conjunto de atos, é baseado em TRistão e Isolda. Babaquice para Teatro. Amor corre no sangue é guerra mesmo e ame com o lado esquerdo e se defenda com o direito. Afinal, quem chora no final é você. Não permita que isso possa acontecer. Amor só é bom enquanto dura e tem duas mãos acopladas. O resto deixe para os filmes europeus, …


  16. Thais,
    pois é… Não citei essa parte. Mesmo que a gente ache alguém que ame a gente do mesmo jeito que a gente ama esse alguém… Algum dos dois pode desistir do outro a qualquer momento. Não dá pra prever nada. E é assim que a gente continua com milhões de minhocas na cabeça, sempre.


  17. DeMônio,
    dei um like imaginário no seu comentário.


  18. PQP* (me desculpe o palavreado), fiquei hiper feliz com o novo post. porque né. (você me disse essas “mesmas palavras” como resp.)
    e eu fiquei pensando aqui, com minhas entranhas : como eu queria ser capaz de passar a amar, aquela pessoa que gosta de mim mais do que eu dela.
    Quem me dera!
    Seja como for, o amor é tudo de bom. Sofrendo, chorando, amando, desamando … sou capaz de viver assim, só pra encontrar quem realmente gosta de mim.

    -
    Caetano Veloso – Só vou gostar de quem gosta de mim.


  19. DeMônio,
    dei um like imaginário no seu comentário. [2]


  20. Assista amor á distancia muiito bom o filme e trata sobre esse problema de conhecer alguem legal que mora longe de voce ;\
    beijinhoss


  21. Caramba, estas mesmas perguntas vêm me incomodando há uns dois anos, quando terminei um namoro que durou outros seis. No início do relacionamento eu vivi (acho que os dois viveram) uma paixão avassaladora (dig din)! Era a primeira vez que eu sentia algo assim e era retribuída da mesma forma, e acho que isso foi parte do problema. Perdi o chão de tal maneira que abri mão de muitas necessidades em nome daquele amor que eu não poderia perder por nada no mundo, que era mais importante do que qualquer coisa. Não sei dizer qual dos dois amava mais, acho que os dois amavam o mesmo tanto, mas era tanto que virava uma coisa meio descontrolada.
    À medida que os anos foram passando e a paixão foi amansando, eu comecei a rever aquelas necessidades das quais abri mão sem sequer perceber que estava fazendo isso. E me surpreendi ao perceber que ele não estava disposto a atendê-las. Não estava disposto sequer a dialogar sobre o assunto. Acho que foi nesse momento que a admiração começou a minguar, e com ela o amor começou a diminuir.
    Me identifiquei MUITO com o que a Natacha escreveu ali em cima, parecia minha própria história! Porque quando finalmente consegui criar a coragem pra terminar aquele namoro que mais trazia sofrimento do que qualquer outra coisa, eu tinha certeza de que ainda o amava. Apenas aquele amor já não era suficiente para sustentar aquilo. Mas hoje, olhando pra trás, não tenho mais certeza se aquilo era amor.
    O que ficou claro pra mim depois de tudo isso foi que eu não conseguiria ficar com alguém que me ama mais do que eu a ele. Vivi isso por alguns anos (!), e por mais que não conseguisse colocar em palavras, sabia que algo estava muito errado. Pode parecer utópico, mas acredito que dá pra ter um relacionamento equilibrado, onde ambos amam da mesma maneira. Na verdade, acho que essa é a única maneira de dar certo. Porque se um dos dois ama menos, mais cedo ou mais tarde a coisa desanda.


  22. Oi Dona Re!
    Hoje enfim após acompanhar há uns meses seu blog, que conheci através do casal sem vergonha (eles são sensacionais) resolvi escrever algo aqui…

    Ainda me espanto um pouco em como o mundo é uma caixinha de surpresas e parece ser tão pequeno quando nos deparamos com certas “coincidências…

    Ontem saí com um amigo meu, um querido, do tipo de pessoa que eu falo por horas sem perceber que o tempo passou… Sinto um carinho enorme por ele, e fazia muuuuito tempo que não nos viamos, no passado quando nos conhecemos já rolou essa identificação que temos um pelo outro, chegamos a ficar uma vez, mas foi tudo se enrolando e não deu em nada… E pra mim era e agora descobri que ainda é complicated porque ele gosta de mim, não digo isso com prepotência ele realmente gosta de mim, achei que isso tinha passado, até fiquei com um certo receio de ir encontrar ele por isso, mas como disse adoro ele mas nunca senti nada além de carinho. Li seu texto no domingo passado e já fiquei pensando: Ah, esse eu vou comentar… Ontem ficamos juntos das 14 às 23h, e velho não vi o tempo passar, andamos pela paulista, augusta, e quando ficamos um tanto cansados mas ainda com muito papo pra por em dia sentamos no botirama pra continuar nosso papo, e em certos momentos da conversa eu lembrei do seu texto, namorei com um cara esse ano, e ainda penso nele, ele é amigo de amigos meus, foi o primeiro cara que realmente posso dizer que estivemos juntos, ficamos juntos 5 meses, temos os gosto musicalmente parecidos, vamos nos mesmos shows, compartilhamos ideias, sonhos e a maneira como vemos o mundo e tantas outras coisas, com ele aprendi a falar mais, no sentido me abrir mais pra outra pessoa quando se está num relacionamento, o que pra mim sempre foi meio difícil… No começo de tudo as vezes quando estava indo encontrar ele, pensava em terminar, não comecei a sair com ele por atração física, mais pelo papo, e com o tempo descubri que tinhamos uma quimica incrível, e aos pouco fui me envolvendo mais, não sou do tipo que saí com o cara e já está apaixonada, colocando apelidinhos e todo esse mimi… E ele sabia disso, mas nesse sentido ele era diferente, começamos em níveis diferentes, e quando pra mim estavamos no mesmo nível, quando eu olhava pra ele e pensava estar nos braços dele é o melhor lugar do mundo, nossa história acabou, no quarto mês as coisas mudaram, conversamos muito mas estava acontecendo um milhões de coisas, demoramos pra poder sentar e conversar, tudo acabou, no dia em que sentamos pra conversar e apesar termos tidos outras conversas, ele falou que não tinha mais a certeza que eu tinha, ele estava num momento himself, de mudanças e tals… Não esqueço que ele disse que estava terminando comigo sem saber o porque… nos beijamos e ele pediu pra eu não sair da vida dele e não eu queria só não sabia como seria tudo depois… Sempre nos demos muito bem, não tivemos discussões, ainda sinto falta dele, as vezes aindo posso sentir o cheiro dele… Mas em mim é muito forte a idéia de se a pessoa não quer não vou instir, de se acabou, acabou… Tenho muitos amigos e acho um saco a história da ex que fica no pé … Nunca vi ele como um cara perfeito, mas com ele eu conheci o que é gostar de alguém, gostando das suas qualidade e respeitando seus defeitos, tenho uma vontade imensa de ligar pra ele falar: – sinto sua falta… Mas acho que se eu fissese isso eu não seria eu mesma… Voltando a história do meu amigo, achei melhor não falar nada do meu ex, mas em meio a muitas histórias descubri que ele e meu ex se conhecem, mas um tem sisma com o outro sem eles nunca terem sentado pra conversar.. um pouco depois de ouvir essa história fui no banheiro e o que estava escrito na porta “rebiscoito” foi a confirmação pra eu contar essa história aqui… Eu e meu amigo conversamos muito mas foi só na volta que eu pude perceber o que ele ainda gosta de mim, quando estavamos no ônibus voltando pra casa ele disse coisas lindas, que eu faço bem pra ele, que adora me ouvir, e que nunca me esqueceu, eu disse que não sabia o que dizer, ele falou que não precisava dizer nada, me deu um beijo no rosto e desceu do ônibus…

    Então tenho pensado nas perguntas do fim do seu post, me deterei apenas à duas:

    - Será que é possível começar um relacionamento sem gostar muito da pessoa e se apaixonar perdidamente por ela com o tempo?

    No começo da minha história com meu ex não estava apaixonada, mas como tempo tudo mudou, talvez eu devesse esquece-lo mas admito ainda imaginar que qualquer dia desses vamos nos encontrar e deixar o passado pra trás…

    - Se a pessoa souber da verdade, é válido estar com ela por conveniência e/ou falta de opção, ou isso é egoísmo?

    Não seria muito exata na resposta pra essa pergunta, não se dá pra chamar de egoísmo, mas acredito que são pouquíssimas pessoas que conseguem viver assim… acho que não consigo ser assim…

    Estou meio perdida com tudo o que meu amigo me disse ontem, sinto falta ainda do meu ex, acredito que as histórias vão tomando seu próprio rumo e forma com o tempo, mas não consigo imaginar se dá se relacionar com alguém que você vê ela com outros olhos… com um amigo de verdade…

    Talvez eu tenha falado demais mas queria compartilhar essa história com você…
    Não posso deixar de falar, um dia lembro que você escreveu por aqui que as vezes achava que as pessoas gostavam de ler seu blog por causa das suas desilusões e historietas, queria te dizer que não, afirmando isso por mim e pela sinceridade dos comentários das pessoas, o bom de ler seu blog é porque nos identificamos com seus histórias porque quando a gente lê um texto parece que a gente está conversando com um velho amigo e ele está compartilhando algo conosco…

    Bons ventos pra senhorita Rebiscoito! See ya!


  23. Uau Jaque,
    quantas coisas aconteceram e você veio me contar. Acho incrível que alguém que eu não conheço simplesmente se abra tanto e conte tanto da sua vida pra mim. Fico muito feliz!
    Outra coisa que adorei foi saber que meu nome no banheiro do Ibotirama te fez comentar no meu blog. E é bom saber que, mesmo morando em Londres, eu ainda estou presente de alguma forma no Brasil, hehehe :)

    Não sei se um conselho seria bem vindo na sua história agora mas… Sabe o que eu acho? Você ainda gosta do ex, seu amigo gosta de você.. É uma confusão só, então eu acho que você deve deixar essa poeira toda baixar até poder decidir e tomar uma atitude. Tenha certeza que você estará bem sozinha. Acho que podemos tomar melhores decisões a partir do momento que a gente consegue ficar sozinha e feliz, sabe? Quando agimos no calor do momento, acho que o risco de se arrepender é maior. Fora que nesse caso uma grande amizade é envolvida na história, e talvez seja injusto colocar isso a perder.

    Boa sorte nas suas decisões.. Fique bem! E eu acho que vai ficar, porque você parece bem madura pelo seu comentário… :)

    Beijão!


  24. Amanda Ribeiro

    21/12/2011 a 13:15:05

    Eu tentei essa tática de “gostar de quem gosta de mim” durante um bom tempo na minha vida pós témino de um relacionamento longo, que naõ terminou nada bem! Na verdade, não sei se, realmente, houve esforço da minha parte! Eu ficava com a pessoa um mês, dois meses, “uma hora eu vou aprender a gostar dela” e, na real, acontecia era de eu pegar nojinho da pessoa, raiva de mim, da vida, dos outros… E acabar lembrando mais ainda de que talvez eu nunca mais tivesse aquela sensação única de se sentir completo do lado de alguém! Depois dessa fase horrível, entrei numa fase que, parando para pensar agora, nem era assim tão ruim! Era um vazio enorme! Aquela solisão sem saudade de ninguém, sabe? Só a vontade louca de encontrar alguém, de ser namorandinho, de também ser feliz, como tantos outros casais que eu via! Chorava sempre na volta de uma baladinha, pensando em como era triste ter tanta coisa bonita para oferecer mas nunca encontrar ninguém que eu pudesse gostar na mesma proporção que também fosse gostar de mim! Até que, finalmente, plim! Não que eu seja assim tão crente no universo, mas na virada do ano de 2010 para 2011, meu primeiro pedido: “um amor, desses pra valer e durar”. Sim, eu encontrei. Através de um blog, conheci, digo, re-conheci, uma amiga, confesso que uma amiga nem tão amiga, já que sempre sentimos que havia uma “química” em nossas conversas, mas nada que planejassemos vir a virar um namoro um dia! Conversas, conversas, conversas… Ela de São Paulo, capital, e eu do interior do Paraná! (…) Começamos um namoro, nos víamos uma vez ao mês, mas falávamos, meu Deus, como falávamos! Era amor, AMOR! Depois de tanto tempo.. Meus dias pareciam outros! De início eu havia tentado manter o pé atrás com a distância, mas por incentivo dela (“a dinstância é um fator irrelevante para mim”), me entreguei por completo! Agora acabou! Ela simplesmente me disse que se fosse para ela ficar sozinha (29 dias do mês) era melhor, realmente, estar sozinha! Que isso seria melhor para nós, com o tempo ia passsar, seremos amigas, enfim! Isso faz 4 dias! Confesso que embora já tenha passado por essa situação de sofrimento alguma vez na vida, parece que não aprendi! Dói tanto. Não tenho conseguido comer, rir, sei lá… É um desespero que toma conta, sobretudo quando acordo! Pareço um zumbi em tudo que faço! Dói tudo! Eu, realmente, quero sair dessa, mas parece que tudo que eu tento fazer para amenizar em um dia, volta no outro! Uma vontade louca de telefonar e perguntar POR QUE TÁ FAZENDO ISSO COMIGO? VOLTA PRA MIM! TÔ MORRENDO! Felizmente tenho me controlado, ciente de que isso só vai ferir a mim mesma. PIor de tudo é que eu sinto raiva dela por eu estar do jeito que eu estou, por essa dependência de outra pessoa para me sentir feliz, por não conseguir me concentrar nos meus projetos, me sentir um lixo… Mas ao mesmo tempo amo tanto ela! Fico esperando o telefone tocar e ela se arrepender… Não sei se isso é bom, por me confortar às vezes, ou uma forma de me enganar que não vai deixar eu sair tão cedo dessa! Meus amigos ficam me dizendo: “ela quem terminou. Você não tem que correr atrás.” “ela sabe que vc está sofrendo, se não volta, é porque não sente sua falta” “a distância foi desculpa, não te ama” (…) que drama!


  25. Amanda,
    ai menina, que dorzinha no coração ler seu comentário… Logo no começo já me identifiquei quando vc falou sobre o tal do vazio, você tirou as palavras da minha boca pois passei por essa fase tão bizarra de ter MUITO pra dar e niguém querendo receber. Mas ainda mais difícil é vc finalmente achar a pessoa e acabar sendo deixada. Eu escrevi um texto sobre isso: 5 etapas para curar um coração partido http://rebiscoito.com.br/2010/01/05/5-etapas-para-curar-um-coracao-partido/
    talvez te ajude de alguma forma a enfrentar isso.

    Mas é como seus amigos falaram… Você não tem que correr atrás. Não tente entender o motivo, não fique gastando suas energias nisso. Tente levantar e se recuperar da queda, pois o quanto antes vc ficar bem, é melhor pra vc. E quer saber? Pra mim, a única chance da pessoa que terminou querer voltar de verdade com a gente, é quando ela vê que a gente ta bem e não depende tanto dela. Tem que haver admiração, sabe? Mas esse “estar bem” tem que ser verdadeiro. Você precisa se bastar, ser feliz com você mesma em primeiro lugar. Então não espere. Não tente entrar em contato nem nada. Coloque você na sua lista de prioridades como número um.

    Boa sorte!


  26. acho que vc é jovem demais para se preocupar em acabar velha e sozinha.


  27. “Apaixone-se…
    Apaixone-se por alguém que te curta, que te espere, que te compreenda mesmo na loucura… por alguém que te ajude, que te guie, que seja teu apoio, tua esperança… Apaixone-se por alguém que volte para conversar com você depois de uma briga, depois do desencontro, por alguém que caminhe junto a ti, que seja teu companheiro… Apaixone-se por alguém que sinta sua falta e que queira estar com você… Não apaixone-se apenas pela idéia de estar apaixonado!”


  28. Olá, não conheço sua estória. Estou deprê e buscava na net sites de auto-ajuda para levantar minha moral e me deparei como seu blog… Me identifiquei com os comentários. Um ano atrás conheci alguém num site de relacionamento. Eu estava me sentindo sozinha,um vazio enorme, acabei me agarrando a ele. Ele me achou um grude e se afastou. Conheci outra pessoa e não deu certo. Acabei enviando um e-mail e voltamos a nos comunicar sem nos ver. Ele passou por problemas familiares, nos encontramos algumas vezes e nos apoiamos. Acabamos ficando e ele sempre falando para eu não me apegar. Cansada disto, acabei tocando no assunto. Ele decidiu por um ponto final, pois não quer ficar,quer encontrar alguém e namorar. Disse-me que eu não sou quem ele procura. Ele terminou um relacionamento há dois anos e me disse que os papeis estavam invertidos e que hj ele sabe o que a ex queria dizer. Não insisti para ele ficar comigo, mas perguntei pq não sou quem ele busca. Ele me respondeu que tenho raciocínio lento e sou acomodada. Isso me magoou muito, visto que estou saindo de um caso de stress e não sou acomodada. Além disso, ele quer conhecer outras pessoas antes de se envolver e se ele ficar comigo, no futuro ele encontrará quem ele procura e irá me deixar. Ralo prá caramba, tenho meu apartamento, carro e crio minha filha sozinha. Enfim, pedi para ele não me procurar mais, então ele disse que precisa da minha amizade. Respondi que não, pois ele já havia sugado toda a energia necessária qdo ele estava com depressão – ele sofre de depressão há 14 anos – Meu coração pede para eu ligar, procura-lo só pra ouvir sua voz. Meus amigos dizem para eu seguir em frente pois ele não me merece. Sinto muito a falta dele. Mas não posso ser amiga de alguém que me julga ser incapaz. Sei que o tempo apagará todas as lembranças.
    Boa sorte e curta bastate seu namorado.


  29. Antonia,
    bem complicada a sua história… Leia esse post que talvez também te ajude um pouquinho a esquece-lo: http://rebiscoito.com.br/2010/01/05/5-etapas-para-curar-um-coracao-partido/

    Essa etapa é bem complicada mas temos que ser fortes. Eu concordo com seus amigos e acho que você deveria seguir em frente (só pelo pouquinho que me contou).

    Boa sorte!


  30. Oi, RE
    Segui sua sugestão e li os 5 passos. Alguns eu já tinha feito. Deletei-o do msn,facebook,telefone. Nem crédito no celular eu coloquei para não cair em tentação. Passei o ano novo pensando nele,voltei da casa dos meus amigos cedo e fui dormir.Antes desejei-o ao meu lado. Entretanto, no dia seguinte liguei do meu fixo só para ouvir a voz dele. ele não atendeu.Minutos depois, o telefone toca, era ele. Me desejou feliz ano novo,disse que passou dormindo e pensou em mim, porém respeitou o meu pedido e não ligou. Eu havia pedido para não me procurar mais. Contei-lhe que me segurei para não ir até sua casa e que também pensei nele. Você nem imagina o que fiz, ao entardecer, fui até lá. Ele desceu e disse-me que era para eu estar odiando-o depois de tudo o que dissera. Afirmei que estava com muito ódio, além disso,que não concordava com nenhuma palavra e que eu gostava mais dele do que ele de mim. Ele disse que eu não poderia afirmar isso. Falei das minhas tristezas e da ida ao médico, visto que estou saindo de um quadro de stress causado pelo excesso de trabalho. Ele ouviu atentamente, insistiu para eu entrar e me apresentou suas irmãs,moram no interior, conversamos contei algumas passagens da minha estória. E disse que não sou acomodada,apenas cautelosa em virtude de tudo que já passei. Mostrei meu blog na net, e disse que não sou desorientada como ele pensa – ele é consultor de negócios e entendi muito de programação – assistimos ao show da ADELE, alguns videos no youtube. Ele falou que me entende, pq eu voltei a procura-lo, pedi para não ficar me comparando com a ex-mulher ou ao ex-relacionamento anterior.Ele afirmou que a comparação era com a atitude dele. Além disso, que nós iriamos conhecer alguém e sermos felizes. Me perguntou se eu iria adicioná-lo novamente à rede – face, msn etc – disse que não e ele me perguntou quem iria deixar recado em seu face – sua amiga Liza afirmei- me sinto protegida ao lado dele, o mundo fica lindo, qualquer coisa que faço com ele é delicioso. Até ficar navegando na net. Mas ontem, tive a certeza de que para ele, eu sou a melhor amiga apenas.Isso dói, mas como ele mesmo disse,aos poucos a dor vai passando. Quando cheguei em casa, ele ligou para saber se eu havia chego bem. Mentalmente me despedi, pois sei que preciso seguir em frente e não alimentar falsas esperanças. Li vários depoimentos no seu blog, sei que muitos já passaram por isso. Uns superaram e outros talvez ainda sofram. Muito obrigado por abrir este espaço. Afinal de contas, uma consulta no psicólogo esta cara… rsrs
    Muita sorte RE….


  31. Antonia,
    lendo seu segundo comentário, você me parece estar mais segura do que deve fazer. Apesar de ser uma etapa muito difícil, tenho certeza que logo logo você estará melhor. Temos que correr atrás da nossa felicidade, por mais difícil que isso seja.
    E poxa, sinto algo tão bom quanto vejo que estou ajudando as pessoas com os meus posts… De verdade, nunca tive a intenção de fazer isso mas comentários como o seu me fazem sentir mais vontade ainda de continuar com isso.

    Boa sorte e tudo de bom!


  32. Re…
    Hoje, reli as 5 etapas novamente…
    Acordei com aquela vontade de ligar, ouvir a voz…
    Resisti, liguei para uma amiga, fui limpar a Que DEUS me ajude e eu tb…
    Beijus


  33. para Amanda Ribeiro!
    já quebrei a cara tantas e tantas vezes, sempre fui a menina que fazia de tudo pela pessoa, mais não tinha tantos créditos assim por sempre fazer isso!! mais tirei uma liçao boa disso tudo, quem vc gosta ou ama não é obrigada a sentir o mesmo por você, você começa a aprender isso, quando você se encontra no lugar da pessoa. Hoje a pessoa te faz sofrer sabendo que vc gosta de mais dela, amanhã pode ser vc a pessoa que fará ela sofrer por gostar tanto de vc… certas coisas só se aprende vivendo!! não sinta raiva ou magoas dela por ela ter terminado com vc, muito pelo contrário quem é responsável pelo que sente é vc, a quem gostamos não tem nada haver com isso, somos nós que nos permitimos a gostar!! eu não consigo entrar em um relacionamento e não ser totalmente sincera, acho q quando há sinceridade desde o começo, vc nunca sairá se sentindo mal de uma relaçao. é dificil sim achar uma pessoa q goste tanto da gente como gostamos dessa pessoa, mais não me culpo mais por ser sempre á que faz tudo pra ver a outra pessoa bem, isso faz parte de mim e de minha essência, mais sempre lembrando se não der certo é culpa minha pois ninguém me obrigou a gostar mais da pessoa do que ela de mim!!


  34. Oi… queria sua opinião.

    Conheci um cara num chat de paqueras há quase 2 meses… e na primeira semana estávamos praticamente apaixonados, porém ele confessou que na semana anterior tinha conhecido uma pessoa e tinham se encontrado.
    Nos vimos num sábado e ele ficou de pensar o que faria, me dando fora 3 dias depois porque alegou que tinha ido pra cama com ela e que estava envolvido.
    Ficamos afastados alguns dias … ele mandou várias mensagens dizendo que queria minha amizade e tal e eu relevei.
    No ínicio de maio entrei de férias e ele disse que nao estava mais com ela, alegando vários motivos… (a distância, que não tinha sentimento por ela e tal). Continuamos conversando e acabou que nossas conversas ficaram em determinados momentos quentes.
    Nos encontramos há quase 15 dias, passamos algumas horas juntos e rolou.
    Na semana seguinte trocamos mensagens e conversávamos rapidamente onde em uma conversa ele disse que era pra darmos tempo ao tempo.
    Resumindo… sábado passado ele me chamou pelo chat e disse que só queria a minha amizade e há dois dias atrás alegou que no dia seguinte após ter ficado comigo ele conheceu outra pessoa no mesmo chat e está gostando muito dela.
    Disse que era um canalha, pediu meu perdão e disse que queria minha amizade.
    Estou me sentindo um lixo… já pensei em ignorá-lo pra sempre mas meu amor fala mais aalto.
    Estou deprimida… choro direto desde terça-feira… e sinto que eles estão envolvidos..

    o que faço?


  35. Flávia,
    como o proóprio post já diz: prefira alguém que goste mais de você.
    Aliás, diria até menos: prefira alguém que GOSTE de você.

    Esse cara não gosta. Esse papo de amizade e bla bla bla, esquece. Ele vai te procurar de novo, “sentimentalmente” pra não falar “sexualmente”, quando ele não tiver nada melhor. E não to dizendo que você não é boa o suficiente. Só quero dizer que o cara simplesmente não gosta de você como você gosta dele. É isso. Time to move on.

    Para esse caso, te sugiro ler esse post e entrar de cabeça nos passos: http://rebiscoito.com.br/2010/01/05/5-etapas-para-curar-um-coracao-partido/

    Boa sorte!


  36. Obrigada pelas palavras acima.
    Sei que tenho meu valor… e preciso focar nisso.

    Vou começar a ignorá-lo pois ele vem me mandando mensagens como amigo mas sei que como você disse, está deixando com que “sempre fique um espaço pra ele me procurar quando estiver sozinho”.
    Vida que segue!
    Vou tentar focar em minha vida profissional e nos meus estudos pois isso dependerá exclusivamente de mim.

    Um beijo e parabéns pelo seu Site.
    A partir de agora, vou ler sempre.


  37. Adorei seu texto! Sabe, neste momento estou no meu segundo relacionamento desgastante. O meu namorado é frio, não me dá carinho, mas eu sou bastante carinhosa com ele. Se eu sou carinhosa eu espero que o meu companheiro também seja comigo, mas quando falo isso, ele acha que estou exagerando. Ele não me admira sabe, não sente orgulho do que faço, nem elogia a minha forma de ser. Parece que ele não gosta do meu jeito. Acho que ele gostaria que eu também fosse fria e distante, pra ele poder cuidar mais da vida dele. Fico com essa sensação de que estou o atrapalhando. Ele diz que gosta de mim, que gosta de estar ao meu lado, mas só demonstra o contrário. Palavras apenas!!! Não vejo alegria nos olhos dele quando está ao meu lado. Eu sou de família, criada por princípios, sou estudada, nunca fui namoradeira e não tenho capacidade de o trair. Ele sabe de tudo isso, mas não dá valor. O detalhe mais importante desta história é que eu gosto taaanto dele e estou sofrendo muito com essa indiferença. Ele disse que vai mudar, que vai me entregar seu coração, mas não acredito nisso. Já falei com ele várias vezes e as mudanças são sempre momentâneas. Me sinto como se eu estivesse implorando para que ele me ame.. aff. Neste exato momento, surgiu na minha vida o meu primeiro namorado (através de um telefonema que recebi), esse sim é louco por mim e tenho certeza que o coração dele é meu. Faz dois anos que eu terminei com esse primeiro namorado (motivos bobos, falta de experiência e de maturidade) e até hj ele guarda nossas fotos e nunca mais namorou ninguém depois de mim. Tenho certeza do amor dele, mas não sei se conseguirei gostar dele. Na época que namorávamos eu era feliz… O que faço? Fico com quem eu gosto ou com alguém que me ama e que já me fez feliz. Meus dois relacionamentos desgastantes me entristeceram muito, estou infeliz, já não sorrio mais. Eu nunca fui assim, sempre fui sorridente e alegre. Será difícil me desligar desse meu namorado atual, mas acredito que eu preciso …


  38. Após a leitura verifiquei que o no nosso dia-a-dia temos o luxo de nos deparar-mos com os fatos desagradáveis que fazem parte da nossa vida.


  39. Bah Noronha

    18/11/2013 a 00:28:05

    Olá Rê! Já conhecia seu blog pela matéria das 5 etapas para curar um coração partido o qual achei por acaso numa busca desesperada por ajuda. Tenho exatamente as mesmas indagações que você e minha mãe e a minha avó me dizem a mesma coisa! Sinceramente não consigo. Não sei ficar com alguém onde o gostar seja unilateral, único da parte dela. E li uma resposta sua acima e você realmente é igual a mim, se não tenho segundas intenções com a pessoa, não vai rolar nada meeeesmo. Não dá! É preto no branco, curti e quero a pessoa pra mim e justamente por ser assim quebrei a cara e agora estou em uma solidão profunda. O meu caso é complicado… gostei de cara, tive segundas intenções com um rapaz da minha sala na faculdade e qual era a graça disso? Ele era comprometido à 7 anos! Poxa vida… o ser humano reage a incentivos mesmo, não tem jeito. Dê um incentivo, dê uma pessoa que goste bastante e é carinhosa para um alguém e o que esse alguém fará? Vai reagir, AO CONTRÁRIO. Vai querer o oposto, vai querer o proibido, vai querer o difícil e o impossível porque dá prazer o esforço da luta, da conquista. Amores proibidos são comuns por isso, nada muito fácil chama a atenção. Enfim! Esse rapaz era a minha alma gêmea, tudo em comum. Tudo. Conversávamos todo santo dia! E ele sofria bastante pelo desgaste do relacionamento, do não carinho que a namorada oferecia, sem amor, sem sexo, sem paixão. E o que a idiota aqui fez? Se apaixonou como era de praxe. Mas não me mexi, permaneci ao lado dele simplesmente pelo fato de que gostava de ficar ali. Devo enfatizar que no auge dos meus 20 anos e da minha imensa timidez, de tentar inúmeras e frustradas vezes ficar com quem gostava mim, foi a primeira vez que me apaixonei, a primeira vez que recebi uma mensagem no celular que não fosse de uma operadora ou de um amigo planejando uma saída. Que felicidade! Conversa vai, segredos vem e ele também se apaixonou. Aham… apaixonou. Mas eu sou antiquada, ser outra de alguém? Jamais! E poxa, me apaixonei! Eu consegui! Quero ele só pra mim ou nada feito! Insisti, comigo só se estiver livre e disso não abro mão. Eis que ele termina. Pra ficar comigo? Foi o que pareceu. No outro dia (sim, UM dia após o término) veio em minha casa, conheceu minha família (permiti que conhecesse minha família? Ah então ele era o cara certo!), me provou com atitudes que gostava de mim, me ajudava, me dava presentes e de repente… PUF! Oi sofrimento! Percebi que ele ainda gostava da ex, que estava procurando em mim o que ela não dava, e em meus pais os sogros dele. Caramba! A primeira vez que queria dar tudo de bom que sentia e levo uma decepção assim. Estive presente, o ajudei, me preocupei dei um chega pra lá no meu amor próprio só para estar ao lado dele, sabendo que no fundo ele estava dividido. Dizia que gostava de mim, mas que ainda tinha uma barreira que o impedia de se entregar e com isso ele mantinha uma pequena esperança em mim. Pois é, foram meses até que ele se mostrou um canalha, sem coração, sem respeito ao que o próximo sentia e com um ego mais alto do que o pé de feijão do João. Não um canalha por não gostar de mim, mas por não respeitar mesmo, por me humilhar, por querer que eu ficasse gostando dele, calada, chorando, quieta enquanto ele ia aproveitar a vida. Não me queria por perto mas não queria que eu seguisse em frente! Devo contar que fui chamada de lixo e prostituta porque bebi uma cerveja (pela primeira vez) com meu pai e uns amigos? Pois é! O triste é que sempre fui caseira, humilde, criada na filosofia de que devemos fazer o bem não importa a quem e fui isso a minha vida inteira. Conhecida por ajudar quem mais precisa sempre, e continuarei assim, mas que não conhece a si mesma e que falta mais paixão por quem eu sou. Ah o ser humano e sua oscilação entre a podridão e a figura perfeita do bem. Por fim, na minha última tentativa frustrada de tê-lo para mim, ele disse que estava disposto a tentar de novo com sua ex, que sentia falta da família dela e da rotina, que tentou gostar de mim mas as minhas atitudes o afastavam (desculpa, mas ainda era eu por mais que eu tentasse ser sua ex, tinha um pouco do eu bem lá no fundo. É muito eu numa mesma frase!) e que relacionamento não é só na base do amor, do bem querer e da cumplicidade. Hein? Sou ingênua e meio hippie-filósofa, se não tem amor não é namoro, é contrato. Hoje vejo que se eu namorasse com ele, sofreria em um relacionamento abusivo, perderia a minha identidade e não seria respeitada. Me iludiram, me fizeram sofrer, me tiraram o chão, a capacidade de sentir e mesmo assim não me indago porque essa injustiça aconteceu comigo. Sabe porquê? Porque ninguém passa pelo o que temos que passar. Se é preciso que aprenda, você vai passar por uma experiência ruim. E o que eu tirei disso tudo? Que o ser humano não está pronto para o amor pronto e de bandeja, tão fácil. Amor é construção e ponto final. Estou desiludida, sem fé na humanidade e no surgimento de um outro alguém, até daqui uns meses que é o prazo que me dou para esquecer ou para alguém surgir e fazer com que eu retire tudo o que disse. Fui os dois lados da moeda o que amou mais e o que gostou de menos, mas sigo na esperança de que encontrarei um amor equilibrado, um gostar recíproco. Reciprocidade é a lei da vida Rê! E que nos perguntemos menos e sentimos mais. Daqui a um mês, 3 anos, 50 anos não sei vai aparecer a pessoa certa como vemos os vários exemplos por aí, nada forçado, nada exagerado, simplesmente iremos saber quando. Há males que vem para o bem e o conselho passado de geração em geração não deveria ser ” seja um robô e fique com quem goste de você” e sim “seja mais comedido, leve, pare de procurar e se ame em primeiro lugar. Só assim o seu amor virá”. Me apego a isso e sigo em frente me curando. Beijos, fé e positividade para todos nós!


  40. As vezes fico super mal comigo mesmo, morro d pedir aos céus alguém que eu goste e que goste de mim. Ai aparece a tal pessoa eu fico com ela um tempo e enjoou é sempre assim. Sempre fico em duvida se devo continuar ou não ficando cm ela, porq não vejo o porque d continuar cm uma pessoa que eu não gosto realmente, mas tenho medo d parar d me arrepender depois.
    A maioria das vezes a pessoa gosta d mim, nos primeiros dias em não paro d pensar nela, acho q fico criando a o príncipe encantado em cima dessa pessoa e quando descobro um defeitinho ja e motivo para me parar d ficar cm a pessoa, e me sinto mal por causa disso ja magoei tantos meninos que foram super legais comigo assim.
    Espero um dia me apaixonar, pois só me apaixonei uma vez é foi horrível… Espero um dia me apaixonar por alguém que seja também apaixonado por mim, espero um dia amar d verdade… Porq não sei se consigo ter um relacionamento serio com alguém que eu não goste realmente.
    Eu tenho 16 anos nunca tive um relacionamento serio, porq quero q meu 1º namorado seja alguém que eu ame, é claro q vai acabar um dia, mas quero q seja intenso o tempo q durar, meu unico medo é isso nunca acontecer, ou quando eu finalmente me apaixonar for por uma pessoa q não goste de mim, assim como foi cm minha 1ª e unica paixão.


  41. Bom… Estava procurando algo que me desse uma luz sobre minha situação e achei seu site… Fico com um menino que parece estar gostando bastante de mim… Saí a uns 5 meses de um relacionamento, não sei se pode ser nomeado assim, mas gostei bastante da pessoa, muito mesmo. Agora, sei que não gosto do menino que estou… Mas ele cuida muito de mim, faz o possível e o impossível para me ver feliz… Sei que não é certo o que estou fazendo… Já faz um mês que ficamos… E fico naquela “vou esperar mais um tempo, quem sabe consigo gostar dele?”, mas não sei… Até o sexo não tem muita graça… Não sei se vou conseguir gostar dele… Não sei se o problema é não conseguir me entregar… Não sei… Simplesmente estou perdida e o pior é que algo me diz para não terminar isso agora… Ou será que tenho medo de magoa-lo? Acho que nunca passei por uma situação dessas…



Deixe seu comentário