É amigos… Eu finalmente a conheci em carne e osso. Na verdade, não esperava que isso fosse acontecer algum dia mas acho que posso dizer que estou realizada. Ela esteve aqui em Londres para falar de seu novo filme, “The Future”, e eu acho que fui uma das primeiras a comprar o ingresso, graças a uma amiga que me mandou o link do evento.

Na verdade, Miranda não falou de seu novo filme. E nem mesmo de seu novo livro, que ela acabou de lançar mas ainda nem estava nas lojas. Ela fez uma apresentação incrível sobre desconhecidos – um dos assuntos que mais me desperta interesse nesses últimos anos.

Eu não sei ser tiete, mas quando estava na porta esperando tudo começar, minhas pernas tremeram assim que ela saiu de dentro do auditório. Foi uma surpresa… Eu ali parada pensando onde ela estaria naquele momento e de repente ela abre a porta bem em frente a mim e começa a andar entre as pessoas. Não tive coragem de dizer nada, apenas dei um sorriso quando ela olhou nos meus olhos. Ela parou para conversar discretamente com algumas pessoas e aparentava pedir algo, já que elas atenciosamente mexiam em suas bolsas e carteiras enquanto falavam com a Miranda. Só fui entender isso quando o “show” começou.

Fomos recebidos por um cara gigante vestido de diabo (?). Ele era literalmente gigante e super engraçado, parece que recebe as pessoas em todos os eventos realizados pela School of Life.

Miranda começou falando sobre os desconhecidos que estavam perto da gente. Sugeriu que cada um de nós pegasse no braço do desconhecido ao lado, e imaginasse algumas possibilidades futuras com esse estranho como por exemplo: nunca mais ver ele novamente, ou conhecer os filhos deles depois de se tornarem adultos… Enfim, ela fez o povo rir e falou coisas corriqueiras e estranhamente tocantes, como só ela consegue fazer. Para quem quiser ler o discurso na íntegra, achei o texto original aqui.

Logo depois ela sentou na cadeira e colocou uma pinça de sobrancelha em uma almofadinha giratória em cima da mesa, cuja a câmera que aparecia no telão filmava. Ninguém entendeu nada, até ela chamar o desconhecido da platéia que era dono daquela pinça. Ele foi até lá, sentou na cadeira ao lado e foi entrevistado de um jeito bem inusitado. A intenção da coisa toda era que nós, pessoas da platéia, tivéssemos a oportunidade de conhecer alguns dos desconhecidos que estavam presentes no evento, “gente como a gente”.

“Você pode descobrir muito sobre um desconhecido de acordo com o que ele guarda na carteira.”

É isso que Miranda July queria nos fazer entender. Depois de entrevistar o cara da pinça, ela a colocou em um envelope com uma carta dentro, como se fosse um diploma, assinada por ela e pelo dono do objeto. De repente ela anunciou que iria leiloar aquele envelope, e começou um leilão ali mesmo. Mas antes ela nos garantiu que o dinheiro seria usado por uma boa causa. Acreditam que ela vendeu a pinça por £ 125? Isso da aproximadamente R$ 375!

Anyway… Miranda entrevistou mais duas pessoas depois do cara da pinça e repetiu os mesmos passos, leiloando os objetos após a entrevista. Eles contaram o dinheiro e deu aproximandamente £ 232, então ela nos pediu para que fechassemos os olhos e abaixassemos a cabeça para refletir: “Você está precisando deste dinheiro? Talvez tenha existido alguma época na sua vida em que esse dinheiro faria uma diferença enorme, ou talvez essa época seja agora. Então quero que vocês sejam realmente sinceros e levantem o braço se são uma das pessoas que teria sua vida mudada por esta quantia de dinheiro.”. Todos ficamos em silêncio e não tinha como saber quem estava de mãos levantadas pois estávamos de olhos fechados. Depois de um tempo ela nos mandou abrir os olhos e disse que havia dado o dinheiro para um dos desconhecidos de braço levantado. Aposto que nessa hora muita gente pensou: “Droga, por que eu não levantei a minha mão?” hehehe eu pensei.

Assim que o show terminou, todos nós aplaudimos de pé e começamos a formar a fila para receber um autógrafo no livro. Eu, obviamente, comprei os 2 livros que estavam vendendo lá: “No one belongs here more than you.”, que é o penúltimo livro que ela lançou, e “It chooses you”, que anida não estava nas lojas mas eles estavam vendendo lá com exclusividade.

Ah! Esse é o trailler do filme dela que entrou nos cinemas daqui de Londres dia 4 de novembro mas eu ainda não vi:

Alguém aí já conseguiu assistir? Bom.. Espero que tenham gostado do post tanto quanto eu gostei de conhecer a Miranda! <3

Leia também o post Pessoa Favorita, que foi outro post que escrevi depois que vi um vídeo intrigante dela.

 
19
Compartilhe esse post:

19 comentários em “O grande dia em que conheci Miranda July”

  1. que incrível ela!


  2. Caralho! Ela é mesmo tudo o que parece.

    E foi na School of Life, então? Tem frequentado? O que achou? Eu fui ver o Alain de Botton aqui em Sampa na semana passada. Já conheci desde seu primeiro, mas paguei um pau ouvindo suas ideias de perto.

    Esse livro “No one belongs…” saiu aqui com o excelente título de “É claro que você sabe do que estou falando”. É muito, mas muito bem escrito.

    Valeu pelo relato, Re!


  3. Oi Re

    Tudo bem *interrogacao*
    Meu teclado ta uma merda.
    So pra dizer, que teu relato super vivo deu saudade de falar contigo.
    Copio o link de um texto que fiz sobre uma peca de 2008. Achei que tinha muito a ver com o que voce escreveu.
    http://www.bacante.com.br/critica/my-arm/
    Esse cara, o Tim Crouch, eh ingles. Se puder ver qqer coisa dele, nao perca.

    Beijo e aproveite.


  4. Rê,
    você é demais!!!

    Me divirto e me emociono com os seus posts…
    Imagino como você deve ter se sentido…eu tenho algumas pessoas que gosto bastante mas tb não consigo ser aquele fã que vai lá, conversa, pede autógrafo…eu acabo sempre travando (acho que nesse ponto você ainda é melhor que eu)…

    Que legal que você conseguiu realizar isso com a Miranda July…
    Continue aproveitando tudo aí e nos brindando com textos como esse…

    Beijos!!!


  5. Não a conheço tanto nem nada, só sei que ela é do tipo love/hate. hahah Recentemente saiu uma matéria GIGANTE e super explicativa na revista Serafina, que é tipo complemento mensal da Folha de S. Paulo (btw, excelente revista) :)

    Não sei se tenho ainda por aqui, mas se tiver irei escanear pra ti… Achei legal porque tem uns artistas comentando porque a amam ou odeiam e tal. No mínimo interessante (: xxxxx


  6. Gitti,
    não fui na School od Life ainda, mas ano que vem pretendo fazer algum curso lá. Fiquei acompanhando a ida do Alain de Botton pro Brasil, uma amiga disse que viu ele em SP e se decepcionou um pouco, mas acho que depende de cada um… Sobre a Miranda, tenho o livro dela em português e agora vou ler de novo em inglês, pra ver a diferença. Mas amei o traduzido, acho que fizeram um ótimo trabalho. Por falar muito de cotidiano, acho que acaba sendo mais fácil de ler os livros da Miranda em inglês. Não tive a menor dificuldade de ler o último, sendo que meu inglês era só intermediário. Bom que curtiu! ;)


  7. Fabricio,
    fiquei feliz pelo fato de vc ter falado o nome dele aqui no comentário, porque passei o post inteiro curiosa e vc não conta. Hahahah
    Adorei! Tem muita semelhança com o que a Miranda fez no palco mesmo… Vou ver se acho alguma coisa sobre ele aqui em Londres, quem sabe né?

    Pô Fá, super saudades de vc. De verdade mesmo. Esses dias me peguei pensando que nos conhecemos há pouco tempo, comparando com alguns outros amigos meus, e mesmo assim vc é um dos mais especiais. Um beijão, com muita sausades…


  8. Maria Eugênia,
    não faço ideia de COMO alguém pode odiar Miranda July. POR FAVOR, ache essa matéria e me mande. Na real, vou ver se acho na internet porque fiquei muito curiosa!


  9. Oi Rebiscoito, or Hi miss Recookie :]

    A última vez que comentei aqui compartilhei uma das minhas história na qual acontecem um milhões de coisas coincidentemente ou inconincidentemente ao mesmo tempo, enfim dessa vez só queria compartilhar que uow amei esse post e principalmente o pessoa preferida, estava pensando em um zilhão de coisas e a maioria passeava em questões como essa…
    E ah, brigada por compartilhar pelo que percebi uma das suas artistasexpirações favorita, dei uma pesquisadinha rápida sobre ela e I like, dei uma passadinha de olho num livro de dela no site da livraria cultura, bem bacana o trabalho dela, gosto bastante quando estou lendo algo, e parece que o autor está conversando comigo, principalmente livros, quando encontro livros e parece que o autor está falando comigo, ou me faz rir no metrô como se eu tivesse conversando com um velho amigo, ai pronto o livro apaixona.
    Bem bonitos os vídeos dela também :]

    E que venham mais historietas suas!
    Bjo.


  10. Juro que vou procurar pra ti! hahah A matéria é bem bacana, tipo, até eu que nem a conheço direito parei para ler e tal. Pode aguardar que irei descolar =)

    Mas ó, anyway, achei um teaserzinho da mulher que escreveu na matéria “defendendo” a Miranda (via um dos blogs da Folha): http://fernandaezabella.folha.blog.uol.com.br/arch2011-08-28_2011-09-03.html#2011_08-28_03_45_58-164697292-27


  11. É tão estranhamente gostoso conhecer gente que admiramos né? Adorei o cara vestido de diabo e a foto que fez com ele, HAHA.



  12. Ah, que bom!!! Achei a revista tbm! Anyway, irei escanear mais tarde e te mandar no Gmail hahah :)

    Agora que achei, vou mandar, relax! Bj bj!


  13. Oi, rê!
    Achei o teu blog porque tava procurando coisas sobre Londres, tô viajando daqui a 5 dias praí! :S tô num estado de ansiedade e medo que você deve conhecer bem como é!
    Meu inglês é bom, no nível upper intermidiate pra avançado… Me identifiquei bastante com você, será que podes me dar umas dicas sobre parties e lugares legais pra conhecer pessoas por aí? Porque eu vou sozinha bem a la loca!!! E acho que curtimos o mesmo tipo de lugar, mais alternativo (mas não tanto haha). Se puderes me responder, agradeço!! Bjinho


  14. Oi Ma,
    que delíciaaaaa!!! Você já viu meus posts no blog da STB? Talvez eles também ajudem: http://www.embaixadorstb.com.br/categoria/diario-da-rebiscoito/

    Sobre as dicas, ai, queria poder passar horas te dando dicas! <3
    Mas uma coisa que vc deve sempre olhar pra saber sobre shows por exemplo (que aqui são chamados de gigs) é o site: http://www.songkick.com/ – se vc tiver iPhone baixa o app que ele lê sua biblioteca do iTunes e te avisa sobre os gigs das bandas que vc curte! E no site vc tb pode procurar por banda e ver as próximas datas.
    Baladas: vá a uma edição da http://www.thepropaganda.com/ – é uma das que mais gosto aqui. Vá também na http://venues.meanfiddler.com/borderline/home – que é um pouquinho mais alternativa, menor, mas grandes nomes como The Magic Numbers e Soko (que eu fui lá pra ver) já tocaram lá.

    Com certeza você vai passear por Brick Lane, mas vá em um domingo para aproveitar os mercados. As baladinhas a noite também são legaizinhas lá e o povo é super modernoso, amo aquele lugar!
    Soho, o bairro, bem conhecido pelos vários sex shops e baladas gays. É muito famoso e super fácil de chegar, fica no centrão da cidade e perto de China Town, vc com certeza vai lá também.

    Se precisar de mais dicas, é só me pedir! Escrevi essas meio com pressa porque tenho que trabalhar. Mas boa sorte, você vai amar Londres! Quem sabe a gente não se esbarra por aqui? :D

    Beeeijo


  15. Ulisses Gabry

    14/12/2011 a 23:34:22

    Ual… deu até vontade de estar aí só de ler o post… muito massa…


  16. Ual… deu até vontade de estar aí só de ler o post… muito massa…


  17. teste.. 1 2 3 teste :)




Deixe seu comentário