Estou prestes a completar meu segundo mês longe do meu namorado. E só quem já passou por isso sabe o quanto é difícil manter um relacionamento a distância. No nosso caso, está mais fácil de aguentar pois eu consegui meu visto para ficar mais 6 meses no Reino Unido e estou indo pra lá em 1 semana. Mas este será só o nosso segundo começo, e eu nem consigo imaginar quantos ainda teremos pela frente.

Desde que nos conhecemos e a coisa foi ficando séria, sempre soubemos que nosso relacionamento tinha prazo de validade e pensávamos: “Vamos viver um dia de cada vez, dar valor ao agora e deixar o futuro para frente.” o famoso “depois a gente pensa nisso.”. Acho que todo relacionamento a distância parte desse princípio, pois a gente sempre acha que vai dar um jeito. Mas isso não quer dizer que vá ser fácil, então a gente só fica adiando esse dia, até que ele chegue de fato. E quando se trata de continentes diferentes, a coisa fica muito mais complicada. Quem é que vai deixar tudo pra trás pra ficar com o outro? Vamos nos casar? Isso não é muito sério? Vamos morar onde, como, quando? É muita coisa em jogo. Família, dinheiro, carreira, dinheiro, amor, dinheiro, amigos… Falo muito em dinheiro pois hoje em dia acho que esse é um dos nossos maiores problemas. Afinal, seria super fácil poder viajar toda hora para a Europa para poder vê-lo quando eu quisesse. Ou pagar um curso incrível numa universidade de lá para estudar por bastante tempo, ou simplesmente morar lá com ele sem precisar gastar nada. Mas infelizmente essa não é a nossa realidade. O visto que consegui apenas para 6 meses já me custou 1 mês de trabalho fora todas as despezas de curso e custo de vida de lá. E ao mesmo tempo que isso está se encaminhando, eu tenho que conseguir um jeito de ganhar dinheiro sem ter permissão para trabalhar no Reino Unido, ou seja: minha carreira está parada, estou vivendo de freelas e me matando para conseguir morar em outro país. Mas isso ainda se encaixa no “depois a gente pensa nisso”. Estamos fazendo pouquinho por pouquinho, arranjando maneiras para ficar juntos, mas sempre pensando que vai chegar um dia que isso tudo vai ter que acabar e vamos ter que tomar decisões mais sérias. Essas decisões são tão sérias, que arrisco a dizer que são as mais difíceis que já tive que fazer na minha vida, mesmo sem nem ter feito ainda.

Daí estava eu neste domingo em casa solitária, quando achei um filme que talvez tivesse tudo a ver com a nossa história. Comecei a chorar logo nas primeiras cenas pois já sabia que aquilo tudo ia mexer muito comigo. E COMO mexeu. Como é incrível assistir um filme que retrata exatamente o que estamos vivendo no momento, não é? Acho que posso dizer que chorei em 80% do filme, mas talvez o fato de que estou na TPM também tenha que ser levado em consideração.

A história é de um casal que se conhece nos EUA. Ele é de lá e ela é do Reino Unido. Aliás, essa parte dela ser inglesa foi incrível porque tem cenas deles em Londres e imagina como eu não fiquei nostálgica né? Mas no geral, é um filme inteiro meio triste. Claro que não vou contar o final, mas confesso que me deixou um pouco perturbada. Tenho tanto medo do nosso futuro e de pra onde tudo isso pode ir. Quanto mais vivemos juntos, mais nos envolvemos e criamos laços. Tenho muito medo disso ter que acabar um dia e sofrer muito, mas esse medo nunca me impediria de fazer nada agora. A medida que o tempo vai passando e as dificuldades vão surgindo, o relacionamento vai ficando desgastado mas o amor sempre prevalece. Não sei se ele será o suficiente, mas se for… O que acontecerá quando chegarmos no topo da montanha? Essas são apenas algumas das dúvidas que se passam pela minha cabeça atualmente.

Bom, assistam o trailer e sintam um pouco da sensibilidade do filme:

Em vários momentos eu me vi ali, no lugar da personagem. Os silêncios, os espaços vazios, a falta que faz sentir o cheiro da pessoa ou o quanto é difícil conseguir conciliar os horários para podermos ter uma simples conversa por telefone! É realmente angustiante. Porque depois que achamos essa pessoa, várias coisas que antes fazíamos sozinhos não fazem mais sentido, só fazem sentido se for com o outro. Os momentos, as risadas, o toque da pele e o primeiro olhar ao acordar juntos de manhã… Como o amor pode ser tão bom mas tão dolorido ao mesmo tempo?

Quem quiser baixar, aqui está o link pro Torrent que eu usei e aqui a legenda. Espero que gostem! Depois venham me contar o que acharam do filme! ;)

 
47
Compartilhe esse post:

47 comentários em “(I want you, I need you, I love you, I miss you) Like Crazy”

  1. Eu já tinha visto esse filme como lançamento de um site que baixo filmes. Agora que você falou, vou baixar! Tinha ficado com o “pé atrás”, justamente, por achar que ele era triste…E putz, eu sou uma manteiga derretida, choro demais! Hahaha!

    E sei que vou chorar, por que sei como é um relacionamento à distância…O meu foi aqui no Brasil, eu continuei na Bahia e ele foi para Aracaju. Foi foda demais segurar tudo que passamos…
    Vou baixar, e volto pra falar o quanto chorei! Rssss
    cheiro!


  2. Oi Rê!
    Sempre bom quando você atualiza aqui. Leio o blog e te sigo no twitter ha um tempão, e obviamente acompanhei essa sua “saga” na europa.

    Olha, sei como é essa falta, esse vazio e como um relacionamento a distância é complicado.
    E é muito real essa coisa do “depois a gente vê isso”. E por longos dois anos, o depois parecia nunca chegar, mas as complicações, essas sim chegavam aos montes.
    E aconteceu que, terminamos.

    Porém, um dia qualquer ele decidiu que mudaria pra São Paulo. Por mim, e pela gente.
    E depois de tanta espera, com o mundo contra o nosso amor, daqui exatos 45 dias eu vou ter o homem da minha vida com o mesmo DDD que eu. E melhor. Morando na mesma casa que eu.

    Não tem palavra que conforte uma ausência ou um futuro incerto. Mas passando por algo muito similar eu te digo com toda certeza: que o amor acha sua maneira.

    Desejo muito sorte à você, não só no relacionamento como na carreira. E seja muito feliz.
    Você apesar de ser “desconhecida” a mim, é uma querida.

    Beijos.


  3. Re, sou leitora assídua do seu blog e do seu twitter…. Acompanho através deles a sua história de amor e torço por ela!
    Assisti esse filme há algumas semanas atras… Também me emocionei muito e também, como você, me senti um tanto perturbada com o final…
    A forma como eles tentam lidar com a distância, com a ausência… Como eles tentam “tocar” a vida e todas as dificuldades dessa relação… Um filme que mostra sentimentos reais, angustias pelas quais passamos… E que foge do lugar comum, do esperado, mas tão irreal “felizes para sempre”…
    Também vivo uma situação de amor a distância… gosto (muito) de um cara que mora há alguns milhares de quilômetros… Nos conhecemos em uma viagem e desde então nos encontramos algumas vezes, ele veio me ver eu fui visita-lo, nos falamos por skype, trocamos e-mails…
    Mas a parte mais difícil, talvez seja que além da distância ainda temos de trabalhar com o fato que nossas vidas, profissões, condições de grana e expectativas são um tanto diferentes… Até por isso não temos nenhum “compromisso”… E talvez isso também torne as coisas mais difíceis…
    Gostar de alguém a distância, com planos, sabendo o que pode dar e esperar já é difícil… Imagina sem saber onde se esta pisando? Sem saber até que ponto pode ir, conter insegurança, medo, ansiedade… Aquela sensação que se tem que não vai dar certo… Não tem “futuro” … Mas você quer tanto, você deseja tanto, você realmente ama tanto, que as vezes aceita e espera pra ver onde vai dar….
    E como loucos ainda sonhamos, desejamos, amamos e esperamos, apesar…
    No final valerá a pena…

    Beijos e boa sorte na sua jornada…


  4. Emily,
    quero desejar toda sorte do mundo pra você! Se for assistir o filme que eu indiquei, veja alheia ao seu relacionamento. É um filme triste, cheio de muitas verdades. Independente das dúvidas, desejo que vocês sejam muito felizes mesmo! É bom saber que a vida coloca caminhos bonitos, mesmo no meio de tantas dificuldades… Obrigada pelo comentário e espero que continue sempre por aqui :)


  5. Luciana,
    ai que linda… E que agonia essa coisa de não ter as mesmas expectativas de vida. É realmente MUITO complicado e às vezes a gente começa a provar a si mesmo que só o amor não é suficiente. O que é MUITO triste mas também sempre odiei essa coisa do felizes para sempre. Porque as coisas nunca são assim, pelo menos não com tanta perfeição como nos filmes. Mas a real é: a imperfeição é que torna as nossas histórias tão bonitas. Seja com ele com com outra pessoa, espero que você seja muito feliz!

    Mas ai esse amores de viagem, não? hehehe


  6. Re,
    eu não poderia ter me emocionada mais com o seu post de hoje. Eu infelizmente estou passando por uma situação assim. Acabei de ter uma briga/término com a pessoa por essa situação. Esse “depois agente vê” é tão doloroso .. é tão complicado. só quem passa por isso sabe. O depois .. eu realmente não queria estragar o presente por ficar pensando no futuro. Infelizmente não depende só de mim e eu nem sei mais o que vai acontecer .. eu só sei que dói. Dói não ter oportunidade de viver algo até o final pela distancia. Essa é a pior parte .. as coisas acabam e isso eu entendo, mas o que é mais difícil de aceitar é não ter se quer a chance de viver um sentimento.


  7. MoCaramella

    02/04/2012 a 05:04:12

    Oi Rê,

    Vou tentar contar minha história muito rápido: conheci um cara incrível no Brasil meses antes de embarcar para um intercâmbio no Canadá, por sofridos amores anteriores e muito medo de se envolver acabamos vivendo exatamente o “um dia de cada vez” com a palavra dos dois de que nenhum queria se envolver em nada sério. Já em Toronto começamos a nos falar diariamente e por incrível que pareça a distância nos aproximou ainda mais, e a minha vontade de voltar e viver uma história bacana crescia a cada dia. Em um dos infinitos dias em que eu me sentia sem saber o que fazer, entre viver algo que eu sempre quis que era morar fora e viver algo que eu queria muito que era me deixar apaixonar de novo, decidi passar uns dias na Califórnia pra botar as idéias no lugar e na minha viagem de volta assisti esse filme no avião. Imagina se eu não chorei do começo ao fim? Mas foi assim que eu decidi voltar pro Brasil, retomar minha vida e me arriscar a viver o que eu sentia ser uma das maiores certezas da minha vida!
    Faz pouco tempo que voltei e não importa o que aconteça, sei que foi a melhor decisão que tomei! O que eu tenho pra dizer é que como não temos certeza de nada nessa vida o jeito é se jogar e fazer aquilo que o coração mandar, sempre fui muito lógica mas hoje penso que arriscar seja lá o que for pra ser feliz é a melhor decisão que tomamos!
    Continue vivendo “um dia de cada vez” pois acredito que se vocês estão na maior sintonia saberão quando chegar a hora de tomar qualquer outra decisão.
    Boa sorte na sua volta pra Londres!
    Bjos.


  8. Ai Rê, essa situação é uma merda mesmo!! Eu nunca mais quero viver isso. Porém, no meio de toda essa tortura, é possível tirar coisas boas, como a delícia do reencontro após alguns meses sem se ver…


  9. Olha…sério que tem horas que leio aqui, e minha vontade é de te pegar no colo e te dizer que tudo vai ficar bem…apesar de ser extremamente piegas, não tem muito o que te dizer além de que: TUDO NO FINAL VAI FICAR BEM…! (Vc sabe disso, né?)


  10. Mariana,
    força aí! De verdade… Acredito que o que é pra acontecer, acontecerá seja do jeito que for. Apesar do clichê, me conforta um pouco imaginar que aquilo estava, de alguma forma, destinado a acontecer. O que a gente não pode é desistir sem ter tentado. Boa sorte e força mesmo! :/ beijão


  11. Rê,
    Faz tempo que tô pra ver esse filme, mas né…nem preciso falar mais que me deprimo só de ver o trailer.

    Ah, mesmo nem conhecendo você e o Maikel, mas só de acompanhar seus posts…eu torço muito de coração…

    E uma dica sobre cursos com bolsas na Europa: Erasmus Mundus http://ec.europa.eu/education/external-relation-programmes/mundus_en.htm
    Conheci numa feira de intercâmbio aqui em São Paulo :) Ve ai


  12. Isa,
    valeu pela dica! Vou dar uma lida no site :)


  13. Hum, sinceramente, fiquei meio envergonhado de comentar aqui de inicio (só comentário femininos).
    Mas criei coragem,.
    Fiquei intrigado com o filme, afinal estou em uma relação á distância com minha namorada (não tão distante quanto a sua). Te falar nunca senti tanta saudade assim.
    “Os silêncios, os espaços vazios, a falta que faz sentir o cheiro da pessoa ou o quanto é difícil conseguir conciliar os horários para podermos ter uma simples conversa por telefone! É realmente angustiante. Porque depois que achamos essa pessoa, várias coisas que antes fazíamos sozinhos não fazem mais sentido, só fazem sentido se for com o outro. Os momentos, as risadas, o toque da pele e o primeiro olhar ao acordar juntos de manhã… Como o amor pode ser tão bom mas tão dolorido ao mesmo tempo?” .Faço minhas essas suas palavras, exatamente assim que me sinto.
    Verei o filme e claro não desistirei do relacionamento.
    Boa sorte pra você e boa viagem !!


  14. Gabriel,
    amor não tem sexo. Digo.. Tem sexo sim! (hahahaha) mas não tem gênero. Seja mulher ou homem, a gente acaba sempre sofrendo por amor, saudade, falta… Compartilhamos dos mesmo sentimentos e fiquei muito feliz que você resolveu comentar! Recebo bastante comentários masculinos aqui no blog, mas esse post realmente tem bastante mulher comentando, hehehe não sei pq.

    Assista o filme sim e me conte depois se gostou! Você costuma chorar em filmes? Se sim, prepare o lencinho! hahaha tenho amigos homens que choram muito em filmes!
    E boa sorte com o seu relacionamento a distância… Não desista mesmo!

    grande beijo


  15. Oi Rê

    Poxa, eu gostei e ao mesmo tempo fiquei triste….mas que casal fofo!
    Acho assim, que nenhuma história é igual a outra e apesar de várias coincidências com sua vida e tal, não quer dizer que vá acontecer a mesma coisa com vc! Mas entendo o que deve ter sentindo com o rolar do filme…enfim…continue fazendo o que tá faz feliz….acho que é o que mais importa! bjs


  16. Sobre o post…
    Quando eu era adolescente, no auge do ICQ, conheci um garoto de Campinas. Blablabla, começamos a namorar. Lembro que o levava na rodoviária e, ao chegar em casa, eu chorava de perder o ar. Terminamos.
    Quando eu era um pouco menos adolescente, no fim do ICQ, conheci um garoto de Santos. Blablabla, começamos a namorar. O levava na rodoviária e, ao chegar em casa, eu ia dormir. Terminamos.
    Quando eu era nada adolescente, no auge do Myspace, conheci um garoto do Sul. Blablabla, não começamos a namorar. Nunca o levei à rodoviária, mas escutava sua voz às 3 a.m. e sentia-me em um universo paralelo. Foi a experiência mais intensa que tive, mesmo sem ter vivido fisicamente o que vivi com os outros dois. Terminamos o que nem começamos.
    Distância dói. Mas se não é ela, pode ser outro obstáculo. Se “vale a pena”, por que não?
    Se foder, a gente vai. Seja por ela, seja por um sentimento que acabou, uma gostosa que apareceu e ele preferiu hahaha. A dificuldade só muda de nome, mas sempre está lá.

    Sobre o filme…
    Tenho a rotina de desligar-me do mundo às 16h e assistir um filme. Vim aqui e gostei da indicação, baixei e vi. Amei, amei.
    Inclusive, te identifiquei na parte da cartinha que ela deixa no carro (seus bilhetinhos…).
    É um filme triste, mas doce. Que dá vontade de se apaixonar, por mais perrengues que apareçam pelo caminho.

    Ps.: falei que ia ler todo seu blog e comecei. Em breve comento mais. Ganhou uma leitora :)


  17. Li N.,
    é verdade Li, nem falei nada no post sobre o bilhetinho dela, mas super a minha cara né? hehehe obrigada pelo comentário, fiquei feliz que tenho uma nova leitora :)
    Beeeijo


  18. marcella mattar

    07/04/2012 a 01:30:49

    Ai, eu amei esse filme também, obviamente por estar na mesma situação dos personagens.
    Mas Rê, você tem muita sorte de poder voltar pra Londres e ficar com o teu namorado. Eu abandonei o meu inglês lindo há um mês quando voltei pro Brasil e a gente acabou terminando :( quase não nos falamos por skype mais. Tá sendo horrível. Só queria poder voltar pra Londres.A história vai morrendo. E eu to tentando sair com outros caras aqui, mas nao é a mesma coisa. Oh London…
    Promete que você vai curtir muuuuuuito os dias com seu holandezinho, aproveita!!!
    Beijocas.


  19. Re, sempre acompanho vc no twitter, mas fazia tempo q nao vinha aki no blog!!
    Acabei de ver a foto da plaquinha q seu namo fez pra te receber em Londres!! Que TUDO!!!

    Menina, vc tá vivendo um sonho, acredite!! E por experiência própria te digo, os namoros a distância são os melhores, mais apaixonantes e cheios de momentos marcantes! Ainda mais em Londres, imagine!!!

    Muitas felicidades pra vc, q esses 6 meses sejam tudo de bom, q vc consiga ganhar seu dinheiro e q tdo dê certo, seja como for! =D

    Beijos


  20. Oi Re.. essa estória nao poderia ser mais minha tbm ne?! 6 anos num relacionamento a distancia que ja passou por todas as PROVACOES E PRIVACOES que uma pessoa possa passar na vida. Infelizmente a burocracia inglesa é o q mais nos distancia. Infelizmente.
    Toda a melhor sorte do mundo para voces. Carpe Diem. Afinal ficar preocupando com a burocracia de imigracao, na boa, só causa mais stress. bjo


  21. Marcella,
    sabe que eu vi suas fotos no Facebook e nem lembro muito COMO eu tenho seu facebook, mas ele é uma graça mesmo! Que pena que vcs tiveram que terminar, mas eu entendo isso porque acho que comigo seria o mesmo. Se falar por Skype toda hora acaba deixando a coisa toda super chata. As vezes a gente não tem assunto, fica sem saber muito o que falar… Vai ficando cada vez mais fraquinho e a relação vai se apagando… Acho que seria melhor terminar e ficar sem contato por um tempo, até a gente acostumar. Eu voltei pra Londres e tô gastando meu dinheiro INTEIRO, não sei oq vai ser depois daqui mas tô tão feliz de poder ter voltado… Estou vivendo uma história linda e construindo algo com ele, quero muito que continuemos juntos apesar de não fazer ideia do nosso futuro. Boa sorte pra vc no Brasil!


  22. Ana,
    falando em imigração, acho que a imigração dessa vez quando cheguei foi meio que uma compensação da outra vez. Não demorei 5 minutos, só mostrei uns 2 documentos pra eles (sendo que tinha uns 20) e meu carimbinho veio super fácil. Lógico que eu fiquei feliz mas só de imaginar a grana que eu gastei pra que tudo desse certo… ENFIM, ahahaha
    Boa sorte pra vc querida! Tem que ter muita força pra manter isso por 6 anos. Muito amoooooor


  23. Rê, se posso te dar uma dica, é não desanime nunca. Quando o amor é de verdade ele sempre vale a pena. O meu namorado também mora longe de mim (Eu em Belo Horizonte e ele em Florianópolis), as passagens são bem caras e pra gente é muito dificil. Basicamente temos que escolher entre arcar com as despesas das passagens e tudo mais ou fazer qualquer outra. Nós escolhemos um ao outro e agora falta dinheiro até pro cafézinho com as amigas, mas sabe quando a pessoa faz valer cada centavo e cada minuto de espera?
    Nos vimos agora no feriado e antes disso estávamos a 45 dias sem nos ver. Ter que deixa-lo partir depois de apenas 4 dias perto foi algo absurdo. Os dois ficaram chorando o dia inteiro da despedida… Mas é de um sorriso e de um carinho que tiramos forças então… Não desanime!


  24. Rê,
    Já tinha vindo no seu blog uma vez e lido ele TODO em uma sentada, quis comentar em um post ou outro mas fiquei com vergonha.
    Ontem vi esse post no trabalho, liguei pra casa pedi pro meu irmão baixar e assisti quando cheguei da faculdade. Desidratei na frente do computador e quando terminou eu fiquei com aquela sensação de “como assim? e agora? vai ter o dois?” Muito lindo o filme. Nunca tive um relacionamento à distancia mas já tive um amor “impossível”, e fiquei refletindo sobre ser paciente, mesmo que eu viva um dia de cada vez muitas vezes eu vou me questionar “e agora?” e que enquanto eu achar que vale à pena eu devo tentar fazer dar certo.
    Lembrei demais de você quando via a Anna no metrô, e fiquei morrendo de vontade de te deixar um post it por aí. Rê, você ganhou uma leitora e uma entusiasta pela sua história. Tô aqui torcendo pra dar tudo certo! =)


  25. Marina,
    aaaimm que aperto no coração! Mas é, tem que ser muito forte pra fazer isso tudo dar certo. Toda a sorte do mundo pra vocês, Ma! E eu acho que também não devemos desanimar :)


  26. Fê Scur,
    COMO ASSIM VERGONHA DE COMENTAR? ONDE JÁ SE VIU ISSO MENINA?! Hahahaha são os comentários desse blog que me movem a querer escrever mais e mais!
    Adorei essa coisa de vc ligar pra casa e já pedir pra baixar o filme, pq daí vc fica ansiosa pra chegar logo em casa! hahaha
    Fico feliz que vc gostou do filme e já leu meu blog todo! hahahaha vou continuar escrevendo sempre que achar algum filme que valha a pena ou algo inusitado acontecer na minha vida. Um beijão! E continue sempre comentando, sem vergonha! hahahaha


  27. Eu já assisti filme tmb, chorei horrores e me deixou pensativa por muito tempo. É engraçado como as vezes a gente assisti filmes, escuta histórias alheias, tentando achar uma solução para a nossa história, eu faço muito isso, mas quantas milhares de histórias existem? quantos finais podem ser bem distintos um do outro, mesmo que tenha partes muito parecidas? não dá pra adivinha, a gente só pode deixar o medo de lado e confiar que o que for pra acontecer vai acontecer e vai ser o certo, mesmo se o final não for feliz, em algum momento tudo que a gente passa se encaixa numa histórias maior, que no momento nem imaginamos.
    Completo meu comentário com o post anterior, do “e se”, que meio que tmb tem a ver com esse post, pq o “e se” sempre vai nos martelar, eu tenho vivido isso inclusive, eu e meu namorado estamos dando um tempo e o “e se” rodeia eu, rodeia ele, mas cansei de ter medo, ou de ficar junto pra sempre ou de me seprar dele pra sempre, estou confiante no que quero agora, amanhã eu já não sei. Então seguirei com o que eu sinto e quero no momento e o resto vou deixar rolar e o que for pra ser será! =)

    obs: toda vez que me deixei seguir o que eu sentia e não somente minha razão fria, coisas “mágicas” aconteceram…

    bjão, Rê!


  28. [...] (I want you, I need you, I love you, I miss you) Like Crazy, do Biscoitices A good week, do Design In A Box Naming: Como dar um nome à sua marca?, do Choco La Design Fotos da família Simpson mostram o futuro dos personagens, do Hypeness Falando de Arte, com: Ines Perkovic, Fotografe uma Ideia Viajar é preciso, do Moda Homem Passarela 18 dicas básicas para organizar sua casa, do Vida Organizada Quero comprar estilo, tem jeito?, do Garoto de Grife Lomography Gallery Store – NYC, do Lomogracinha Dica: blogs sobre viagens que eu adoro!, do Não Provoque Nenhum comentário Tags: aprovei, aprovo, blogs, interessante, linkagem, linkagem da semana, links, posts Compartilhar Deixe seu comentário Nome: [...]


  29. QUASE CHOREI SÓ DE LER SEU POST! kkkkk omg
    Eu começei a namorar ano passado, e quando tínhamos dois meses de namoro fui morar em outra cidade pra estudar… Foi muito difícil, mesmo estando a apenas 4 horas de distância… Chegamos a ficar um mês e meio sem nos ver. Hoje ele mora em Belo Horizonte e eu em Ouro Preto, são só duas horinhas! Mas nosso ca$h de estudantes não permite que a gente se veja todo fim de semana…. É um só por mês, passando aperto depois! Toda vez que ele vai embora eu desabo no choro… Sensação horrível a de ver a pessoa que a gente ama partir!

    IMAGINO PRA VOCÊ! Muita força pra vocês dois..
    http://bownilha.blogspot.com


  30. ps. O primeiro olhar ao acordar juntos de manhã… Acho que esse olhar resume tudo o que é amar alguém


  31. Nossa,estou sem palavras!
    Tanto sentimento,tantas coisa linda q vc escreveu
    estou muito emocionada e desejo de todo o coração que vc seja mt feliz com ele e qd reencontrá-lo nos conte como foi (?)
    eu amei este post e a indicação do filme!
    beijos


  32. Nizer,
    vou colocar um update no post falando como foi quando nos reencontramos. Porque já estou aqui e está tudo super bem :)


  33. Rê querida, adoro o seu blog, obrigada por todos os textos, por todos os sentimentos compartilhados. Hoje, finalmente, resolvi escrever aqui.
    Quero também te apresentar o meu blog de crônicas,talvez você goste =)
    http://www.claravanali.com.br

    beijos!


  34. Carol (do Indac)

    20/04/2012 a 04:03:13

    Rê!
    Fazia tempo que não lia seu blog… Muita correria, muito trabalho! Adorei as novidades, espero que dure muitooooo!!! Saudade até que é bom, né?! hehehe.
    Por falar nisso, saudades de você amiga!!! Quando voltar mesmo para o Brasil avisa… ou então, vou te visitar!!! hahaha

    Bjaummmm


  35. Carol,
    que delícia ler seu comentário! Saudade até que é bom sim, e para matar VENHA PRA LONDRES! hehehe

    um Beijão!


  36. Essa é a segunda vez que visito o seu blog e fiquei com vontade de saber como tudo começou e fui lá, naquele outro endereço ainda, ler seu primeiro post. E vim aqui pra dizer que me apaixonei por vc. Como vc é fofa! Esse lance de se comunicar com estranhos é tão cativante e espontâneo. Já mandou bilhetes pra algum inglês?
    Beijo!



  37. Oi Rê!
    Distância dá um aperto no coração, né?
    Logo que comecei a me relacionar com meu namorado, ele morava em São Paulo e eu em Bauru. Agora faz 4 meses que estou em sampa, e vamos fazer 1 mês de namoro. Só que ele arrumou um trampo que envolve uma viagem de 5 meses e apenas 1 folga por mês. Ou seja: os primeiros – e geralmente mais críticos – meses de namoro passaremos longe um do outro.
    Mas é bem aquilo que você falou, vamos vivendo um dia de cada vez (e foi isso que eu fiz até o dia da viagem dele).
    O seu caso é mais complicado que o meu, por mais que a distância tenha acabado com sua volta pra Inglaterra o seu visto um dia vai expirar… mas força! Parece balela, mas é verdade quando a gente diz que “depois dá um jeito”. Sempre dá, acontece que um dos dois terá que ceder ou terão que passar por dificuldades pra esse jeitinho dar certo. Mas corre lá, atrás do que é teu… tu é brasileira, pô, “não desiste nunca”!

    Beijo e boa sorte <3


  38. Ná.,
    ainda não mandei bilhete em inglês. Aqui as pessoas não dão abertura, é difícil! :/


  39. Ale Cascardi

    25/04/2012 a 17:18:48

    Gosteei muito do filme,só não entendi um pouco do final,se é para deixar a incógnita,ou que o publico já iria deduzir mesmo.
    E não sei se você ficou sabendo,mais parece que vai ter mais um filme da Sequencia do Before The Sunrise/Before the Sunset to doido para soltarem alguma coisa nova ^^)


  40. Que lindo filme!
    Sei bem como é ficar namorando à distancia, por sorte agora estou namorando com um homem que mora mesma cidade que eu :D aleluia! hahahahaha

    Liiiiindo o seu blog, adorei!!!
    Beijos


  41. O pior é quando você nem tem oportunidade de conhecer a pessoa por ser menor de idade e não conseguir nem sair do estado… =(

    BTW, qual o nome da música que passa nos créditos, alguém sabe?


  42. Oie, Rê!

    Não sei se vc se lembra de mim, da minha ‘historinha’ de amor inspirada por vc e seus posts sobre desconhecidos, que me deram coragem para ‘chegar’ no meu, hoje, namorado.
    Então, sempre leio seus posts, sempre, mas nunca comento, nunca. hahaha
    Li esse assim que vc postou, assisti ao filme, chorei, normal.
    Mas agora voltei para reler, para, talvez, assistir o filme novamente, ou não, na melhor das hipóteses. Isso, porque, me encontro prestes a encarar essa situação, encarar a distância e tudo que vem junto e que ainda não consigo pensar sem chorar.
    Como te contei, meu namorado e eu nos conhecemos aqui em Portugal, viemos para cá através do mesmo programa de intercâmbio, o qual duraria, em princípio, dois anos. No entanto, a universidade não é das melhores, a minha vida aqui não está como eu esperava e meus projetos com a faculdade, um futuro mestrado, meu futuro profissional mesmo, parecem atrasados aqui, além de outras coisas difíceis. Enfim, tomei a decisão de voltar pro Brasil, mas ele vai ficar aqui mais um ano, que é o que falta pra terminar o intercambio.
    Estou agora chorando todos os dias, sem saber realmente o que fazer, com medo de me arrepender, de esperar um pouco mais, pra voltar com ele pro Brasil, pq moramos na mesma cidade e tals e ficaríamos juntos, acho… Fico pensando, sofrendo, sei lá, se nós moramos na mesma cidade porque fomos nos conhecer logo em outro país? Mas as coisas nunca são simples…
    Desculpa todo o derramamento de lágrimas nos seus comentários, mas senti necessidade de vim aqui de novo, ‘falar’ com vc de novo…
    Meu namorado disse que ‘me espera’ e eu, com toda a certeza, espero por ele, esperei toda uma vida, por mais clichê que isso pareça…
    Bem, meu comentário está começando a ficar sem sentido e com muito sentimento, em todo caso, vim aqui agradecer a companhia de sempre, os conselhos e a força…


  43. Luana

    Ai Lu, que dilema!!! Eu lembro da sua história sim, como é incrível acompanhar cada passo, desde o começo! Mas olha.. Calma. Sei que é difícil mas você tem que pesar cada detalhe da sua decisão, e ver o que você realmente quer. Não sei qual é a tua idade, mas você acha que ficar com ele aí por mais 1 ano, atrasaria MUITO os teus planos? Digo… Ta tão ruim assim pra você querer voltar pro Brasil de vez? Se sim, acho melhor optar por você neste caso. Correr atrás dos seus objetivos, atingir as metas que você quer pra sua carreira… Mas se você acha que vale a pena optar por ele, abra mão de algumas coisas mas também não fique parada, só porque escolheu ele. Que tal outros cursos, mesmo que curtos, em Portugal? Não sei, pesquise outras alternativas, veja maneiras diferentes de viver aí e continuar com ele… Imagino o quanto você deve estar sofrendo ao ter que tomar essa decisão, mas a vida é feita de escolhas mesmo. E, certaz ou erradas, elas sempre deixam a gente mais fortes e mais experientes.

    Boa sorte!


  44. Chorei tanto com esse filme. Eh tao perturbante toda essa situação de distancia. No momento eu to fazendo intercambio na alemanha e tenho um namorado, mas daqui a 6 semanas eu to voltando pro Brasil e aperta o coração so de pensar na hora de dizer “tchau”. Ate porque a gente tem que ser realista e encarar o fato de que não sabemos quando e se vamos nos ver de novo. Eh difícil mas eh a vida ne? :(


  45. Gabi,
    tô cada vez mais perto dessa fase triste da separação. Estamos estudando as possibilidades, mas sem grana tá foda arranjar um jeito de conseguir ficar lá com ele. Sorte e força para nós! :/


  46. [...] (I want you, I need you, I love you, I miss you) Like Crazy, do Biscoitices A good week, do Design In A Box Naming: Como dar um nome à sua marca?, do Choco La Design Fotos da família Simpson mostram o futuro dos personagens, do Hypeness Falando de Arte, com: Ines Perkovic, Fotografe uma Ideia Viajar é preciso, do Moda Homem Passarela 18 dicas básicas para organizar sua casa, do Vida Organizada Quero comprar estilo, tem jeito?, do Garoto de Grife Lomography Gallery Store – NYC, do Lomogracinha Dica: blogs sobre viagens que eu adoro!, do Não Provoque 3 Comentários Tags: aprovei, aprovo, blogs, interessante, linkagem, linkagem da semana, links, posts Cicilia 15 de abril de 2012 às 19:48 Adorei as dicas de sites! Todo domingo vou vir aqui, pois domingo é aquele dia super parado que pouca gente publica algo. Responder Zé 15 de abril de 2012 às 20:28 Por isso mesmo faço o post de linkagem! YSDGYFDDFGF Responder Nizer 16 de abril de 2012 às 16:16 Oieee,eu acompanho seu blog faz tempo porém nunca comentei Gostaria de dizer que amo seu blog e TODOS os posts São super úteis!!! Amei estes posts que vc indicou,todos ótimos!!! :D Responder Deixe seu comentário Nome: [...]



Deixe seu comentário