Que eu fui pra Londres me perder pra me achar, todo mundo já sabe. Que eu me mudei pra Holanda com o meu namorado, alguns se deram conta. Mas que eu acabei de voltar pro Brasil, e minha vida vai ter que recomeçar do zero, nem todo mundo viu. Agora chegou a hora de encarar.

Skinny Love by Birdy on Grooveshark

Tomar essa decisão foi muito difícil. Eu e o Maikel fizemos de tudo para ficarmos juntos, até a possibilidade de casar era existente. Mas no final, vimos que o amor nem sempre é o suficiente para manter as pessoas juntas. A nossa vida é feita de escolhas, e nós tínhamos feito escolhas diferentes. Não foi por falta de tentativa, a gente até tentou fazer dar certo. Mas as escolhas que fizemos, simplesmente não poderiam existir juntas. Só a gente sabe a dor que é ter que terminar um relacionamento onde os dois se amam e não querem se separar. Todos as conquistas, todos os planos, ainda existem e cabe a nós aceitar que eles não podem mais existir. Quanto a isso, estamos trabalhando para superar. Eu sempre soube que não seria fácil…

Ontem, vindo pra casa do aeroporto, eu olhei São Paulo com outros olhos. Aquelas ruas, que eu tanto conhecia e que me faziam sentir em casa, já não eram mais as mesmas. Aqui não é a minha casa. Não é onde a minha felicidade está. Mas onde é que ela está então? Eu morei em Londres por 1 ano, e lembrando do meu cantinho lá, não consigo mais sentir que lá é a minha casa. Talvez nunca tenha sido. Daí comecei a pensar na casa do Maikel na Holanda, onde eu morei por apenas 3 meses, mas acho que é o mais próximo do sentimento de lar que eu tenho agora. Não pela casa em si, mas sim porque é onde o meu amor está. A merda é que agora não estou mais lá, e deitada na minha própria cama, não consigo me sentir feliz.

Sinto que estou totalmente perdida, vazia. Cheia de boas lembranças, que me machucam agora por  lembrarem do que eu não tenho mais. Olho para os meus livros, os objetos de decoração do meu quarto e penso que poderia viver sem tudo isso. Eu poderia ir embora e começar outra vida, sozinha, do zero. Mas ao mesmo tempo tenho 3 malas para desfazer, cheias de fragmentos da vida que eu não pude ter. E como isso dói… Tenho que arranjar espaço dentro do meu passado, para colocar as coisas do meu futuro que não existiu. Ou do meu feliz presente, que teve que acabar tão bruscamente. Anyway, a dor ainda é a mesma. E é indescritível.

Eu cheguei, mas não quero ver ninguém. É como se eu não estivesse aqui, porque não quero estar aqui. Eu sentia saudades de todos, mas agora que estou aqui é como se eu quisesse continuar longe. Dá pra entender isso? Também é estranho pra mim.

Me perdi em Londres pra me achar, mas agora sinto que voltei mais perdida ainda. Não sei nem onde é minha casa, ou o lugar que me deixa feliz. Acho que preciso processar tudo que está acontecendo, dar tempo ao tempo e ir me achando aos poucos. Enquanto isso, vou buscar ânimo para recolher os cacos de mim mesma que estão espalhados pelo chão.

 
54
Compartilhe esse post:

54 comentários em “Eu voltei, mas é como se não estivesse aqui.”

  1. Cara, fazer esse post com esta trilha sonora é uma porrada que poderá fazer muitos dos seus leitores chorar (resisti masculamente). Mas brincadeiras a parte toda a dor e sofrimento são muito importantes para você e para a construção da pessoa que você é. Não posso dizer qual caminho seria melhor seguir pois cada pessoa tem sua individualidade e ninguém, absolutamente ninguém, viveu e sentiu o que você está sentindo.

    Dito isso, eu desejo que este tempo que você tirou para pensar na vida e “colher os cacos” sirvam para traçar o melhor caminho e o que posso fazer do lado de cá do monitor é torcer para que a felicidade esteja na próxima esquina, da cidade ou país que você estiver.


  2. Vontade de chorar com vc…
    Deixa doer. Respeite essa dor indescritível.
    Talvez vc descubra que o seu lugar é o mundo, não é nem aqui nem lá, é em todos os lugares!
    Se eu fosse uma amiga próxima, iria querer te pegar no colo e mostrar que a vida sempre dá um jeito. Mas acho que vc realmente precisa do seu tempo, com vc!

    E deixa doer… mas n faça dessa dor o seu túmulo.


  3. Puxaaaaaa,

    Acompanhei vc esse tempo todo e tava torcendo tanto.
    Bem, querida, a torcida pela sua felicidade continua.
    Em certeza vc achar o caminho.
    Vc é uma pessoa especial.
    Admiro a sua coragem.

    Boa sorte sempre.

    Bjs

    Cynthia


  4. Rê, a casa é sempre onde está o amor, e em cada lugar a gente pode recomeçar. A amar, a viver, e a sonhar. Você me ensinou que a gente precisa ser forte, e sair mesmo sem vontade, e olhar pra fora mesmo sem vontade… Porque cedo ou tarde vamos encontrar algo que valha a pena, e tudo volta a fazer sentido. Te amo, e estou aqui. No seu tempo, ok? MINHA LINDA!


  5. Força Rebiscoito , nada acontece por acaso, calma.. com o tempo tudo se ajeita!Força… bjs


  6. “Home is wherever I’m with you.” Uma das minhas músicas favoritas diz isso e eu acredito que você esteja sentindo exatamente isso nesse momento.
    Espero que você fique bem, Rê… Não será um período fácil mas você é uma pessoa incrível e a felicidade vai voltar a habitar a sua vida. :) Torci por você lá, torço por você aqui!
    Como a Eliene disse, permita-se sentir essa dor e sofrer… Pode demorar um pouquinho mas ela vai embora.
    Se cuide e saiba que tem muita gente querendo ver você felizona de novo!
    Beijo grande e um abraço maior ainda.


  7. :(

    Muito triste, mas quem sabe a vida não dá um jeito? Eu prefiro sempre manter as esperanças, mesmo que elas sejam poucas… faz doer menos e seguir um pouco mais leve.

    May the force be with you.


  8. Nossa… É uma dor!!!

    Também estou passando por um término de namoro.
    Ouvir palavras reconfortantes das pessoas e conselhos, ajuda… Mas… Eu estou fazendo exatamente tudo ao contrário do que as pessoas dizem e estou me sentindo melhor.

    Ninguém sabe o que estamos passando e sentindo… Só nós sabemos… Só você sabe!

    Fica bem… E se quise, pode me escrever para trocarmos figurinhas sobre esse momento tão difícil que estamos passando! vou adorar!

    =D


  9. Quando queremos muito seguir um caminho, mas somos obrigados a voltar atrás é uma grande decepção. Mas é certo que o que não é pra acontecer,não acontecerá, e o que tiver de ser, será no seu tempo certo. Não digo que cruze os braços e deixe o tempo te levar.
    Mas quanto aos momentos em que a escolha não é bem sua, e sim do destino, não deixe que a tristeza e a frustração lhe ceguem diante de algo que esteja guardado pra você.


  10. É foda. Não há amigos nem palavras pra essa dor e tristeza sumirem. Mas ela some. Nada é por caso e muito em breve as respostas virão. Bem-vinda, vizinha.


  11. :( que história triste… espero que tudo se resolva pelo melhor.


  12. Puxa vida não liguei o som porque tinha certeza que os dois me fariam chorar.
    Que tristeza! Eu como leitora e admiradora, estou te mandando todas as energias positivas, para que logo você se sinta melhor. Esses momentos da vida doem, mas tenho certeza que este é só de passagem, que o conduzirá para alguma fase melhor na sua vida.


  13. Passei pela mesma coisa há pouco tempo. Se quiser alguém pra conversar, estamos aí. Hugs


  14. Chorei! Gente! Q chato. Vai passar linda, vc vai ver e vc vai encontrar seu lugar logo logo. Beijo! Se cuida e felicidades! Pensamento positivo sempre!


  15. fiquei tão triste quando vi no seu twitter que você estava voltando pro Brasil. Sempre quis viver o que você viveu. Largar tudo e ir morar em um lugar totalmente diferente, conhecer uma pessoa que me faça ver o mundo de uma maneira direrente. Eu torci tanto pra que você fosse feliz na Holanda e chorei lendo esse post. Eu realmente espero que você fique bem e que você aproveite essa fase pra se perder novamente. Não me entenda mal, mas eu vou torcer todos os dias pra você voltar correndo pra Holanda (mesmo que isso não aconteça).


  16. Não consegui me conter, chorei mesmooooo…como vc disse é indescritível a dor que sente..mas força que você vai conseguir encontrar uma resposta pra tudo isso. E independente do digam a vc, siga aquilo que seu coração te disser. Bjos muita força.


  17. Realmente, como vc disse… “Só a gente sabe a dor que é ter que terminar um relacionamento onde os dois se amam e não querem se separar.”

    Mas força aí :)


  18. É mto triste isso mesmo, eu já passei por situação semelhante. Pode parecer clichê, mas to aprendendo que pra todo fim há um recomeço. Boa sorte!


  19. Poxa, fiquei tão triste quando li seu post :( acompanho a sua história há um tempo e estava torcendo para você ser muito feliz na Holanda. O que houve, não conseguiu o visto ou decidiu que realmente não queria morar numa cidade pequena? Enfim, só posso desejar que a vida lhe abra novos caminhos para que você possa continuar se descobrindo. Acho que concordo com a menina que disse acima que talvez seu lugar não seja aqui nem lá, seja em todos os lugares…
    P.S: Cheguei a te escrever um e-mail uma vez, mas não sei se você não me respondeu porque não teve tempo ou se não recebeu


  20. Rê, você já assistiu o filme ‘Like Crazy’? Ele tem meio que a historia que você tá vivendo. É bem lindo e tocante. No mais, espero que as coisas se ajustem =)


  21. Tô aqui com umas lagriminhas escorrendo no trabalho. Rê (a intima) a unica coisa que queria poder fazer era te dar um abraço apertado e soar piegas ao dizer que “vai ficar tudo bem”, porque vai, mesmo que demore. Estamos aqui torcendo por você.


  22. Amanda,
    foi email sobre o que? Porque eu geralmente respondo todos que recebo. Tenta mandar de novo ;)
    falecom@rebiscoito.com.br


  23. Liv,
    já assisti sim. Inclusive, escrevi sobre ele aqui no blog: http://rebiscoito.com.br/2012/04/01/i-want-you-i-need-you-i-love-you-i-miss-you-like-crazy/

    :’(


  24. Cara, sinceramente, nem sei de onde você tirou força pra vir aqui no blog escrever e “dar satisfação” pra todos nós que estamos acompanhando sua história há tanto tempo.
    Eu acho que você deve ser igual a mim e pensar que escrever ajuda a organizar os pensamentos, a se curar, a se sentir melhor. Mas eu sei também que você deve estar sem vontade de falar com ninguém, de ligar pra ninguém, de contar sua história pra ninguém.

    Fico muito triste que sua história tão linda não tenha dado certo. Não foi por falta de torcida, pode ficar certa disso. Sinto reflexos palpáveis da sua dor em mim e, tenho total consciência de que ela não é nem um fragmento do que é a sua. Queria poder te encher de conselhos sábios, de palavras bonitas e te ajudar a sentir melhor, mas a verdade é que eu não sei como você vai fazer para passar por isso e enfrentar sua própria realidade. Queria poder dizer que vai ser fácil, mas não vai. Vai ser punk, você sabe. Mas se um dia precisar, quiser ou tiver um ataque de cinco minutos de “quero conversar”, “quero me distrair”, “quero conhecer alguém novo e que não vai me julgar”, esteja certa de que eu vou adorar poder usar esses cinco minutinhos ou horas com você. Sei que quando essa hora chegar talvez você queira simplesmente falar com alguém em quem você já confie, mas falo por mim quando, às vezes, tudo o que eu quero é novidade, é alguém com ouvidos novinhos para me escutar, sem vícios, sem histórico, sem porra nenhuma.

    Stoy aquí, com o coração, os ouvidos e os braços abertos para você.


  25. Meu Deus, como vc é LINDA! Eu não sou seu amigo, mas se eu pudesse escolher ser, eu seria. Acompanho sua história aqui no blog desde o comecinho e torci MUITO pra tudo der certo pra vc.

    E acredito que tenha dado. Eu procuro encarar a vida com, sei lá, otimismo. Vc e o Maikel viveram coisas lindas. Seu tempo em Londres foi lindo, na Holanda foi lindo. Mas agora vc está aqui e deve estar doendo estar longe dele, eu sei. Mas vc vai superar. Vai rir disso e lembrar com MUITO carinho de todo esse momento.

    Só vc pode juntar seus caquinhos e renascer de novo. E vc vai conseguir, a gente acredita em vc. Existem muitos bilhetes pra vc ler, pra vc trocar, pra vc descobrir. Existem mtas pessoas pra vc conhecer ainda.

    Uma amiga minha costuma dizer algo que acho que agora cabe perfeitamente “tem gente tão legal e linda no mundo, que é injusto ela ser de uma pessoa só. PEssoas assim são de todos e devem passar na vida de mta gente como estações do ano. Deixam suas marcas, mas passam.”. Vc foi assim pro Maikel e ele pra vc.

    Deixe esse inverno passar e vc vai ser primavera e verão na vida de mta gente ainda. Não só ano amor, em todas as áreas.

    Em fevereiro eu vou pra Dublin e qdo penso em coisas e referências que quero viver, só me vem vc na cabeça.

    Ps: eu sou o cara perdido que te mandou email pedindo ajuda sobre a troca de aeroportos em Londres.

    Um beijão no coração, fique bem! <3


  26. Rick,
    obrigada por esse lindo comentário… Me fez sorrir por alguns segundos, e isso anda difícil ultimamente. Foi muito especial, obrigada mesmo.


  27. Olá, Rê. Eu acompanhei desde o comecinho quando você se mudou, e amei a sua história e do seu namorado. Olha, vim te falar que eu já passei pela mesma coisa que você, eu fiz intercâmbio em Brighton, e não fiquei tanto tempo quanto você, eu voltei super mal, desenvolvi até hipotireoidismo. É foda, pq as pessoas ao nosso redor não entendem o que é se sentir um estranho na sua própria casa, ou no seu trabalho/faculdade. Isso já fazem quase dois anos, e as vezes ainda fico pensando o que eu estaria fazendo se tivesse lá. Mas acredite, vai melhorar, uma hora passa.. e você vai voltando pra sua rotina, e se acostumando novamente. Mas é muito importante procurar ajuda, até pra não te afetar fisicamente que nem me afetou. Beijo, e fique bem. Estamos todos na torcida :*


  28. O e-mail que eu enviei foi pouco antes de você se mudar pra Holanda, então não faria mais sentido reenviá-lo agora…mas foi um e-mail tipo carta mesmo, eu até disse que sempre tive vontade de te escrever mas estava esperando um momento de impulso tipo os que você sente quando escreve um bilhete para um desconhecido.
    Um dos posts do seu blog que eu mais amo é o que você narra uma conversa que teve na cozinha com a sua flatmate canadense…todas as “coincidências” que a levaram a conhecer o namorado e que não teriam acontecido se ela não tivesse decidido se mudar. Eu acredito muito em destino, que as coisas têm um tempo certo para acontecer e que as pessoas entram na nossa vida no momento que precisamos. A coragem que você tem para arriscar e tentar coisas novas é admirável e inspiradora…esse ano eu deixei um pouco a razão de lado e tomei decisões que nunca pensei que tomaria, totalmente guiadas pelo coração. Não me encontrei totalmente (continuo me sentindo perdida em vários aspectos), mas vivi momentos incríveis que nunca teria vivido se não eu tivesse me permitido uma “loucura”. Fiquei triste com a notícia mas desejo que esse novo recomeço seja o menos doloroso possível pra você.


  29. Eu só queria te dá um abraço depois de ter lido esse texto.
    Então, sinta-se abraçada. Beijos de uma “amiga”.


  30. Caralho, fiquei bem triste com seu post (+ música) =/

    Nem sei exatamente o que dizer, acho que nessas horas não tem muito o que dizer, né?
    só fico na torcida de que vc supere essa fase e que ache uma solução que te faça voltar a ficar feliz.

    Pra ser sincera, queria muito que vc ficasse com o maikel, vcs se completavam de um jeito incomparável, toda vez que escuto uma história triste de um casal que acho bonito, me corta muito o coração, como se fosse comigo.

    Mas realmente a vida é uma loucura, a gente nunca entende no começo o pq das coisas acontecerem do jeito que acontece, até tudo ir passando e vc começar a enxergar sentido nas coisas e, esse ano de 2012 foi cheio de surpresas e mudancas drásticas, essa foi mais uma prova disso, mas vão superrar isso, pq depois da tempestade, sempre vem a bonança.

    bjos e fica bem!


  31. Ahh, que pena… pq???
    Acompanho seu blog há anos, mas nunca comentei.
    Hoje senti falta da Re engraçada, me lembrei das histórias “loucas”, dos bilhetes que me faziam imaginar se algum dia eu receberia de alguém, ou se eu teria a mesma coragem que vc … estou torcendo para que essa Re volte logo.
    se quiser conversar, estou aqui.
    Beijo


  32. É muito triste imaginar que eu comecei a ler seu blog muito recentemente, e como ficou tanto tempo sem um post, eu imaginava que as coisas estavam boas. Que você estava vivendo e se adaptando e em nenhum momento imaginei que você fosse voltar pro Brasil do nada. Não consigo nem ter palavras pra te fazer se sentir melhor, e eu nem acho que tenha como, e de imaginar que você colocou Skinny Love como a trilha sonora, é pedir pra chorar.

    Eu só, realmente, espero que você consiga achar seu lugar, independente de onde ele seja.
    Que você consiga ficar nele, e que as coisas melhorem. Só uma pergunta, se São Paulo não é o seu lugar, porque não procurar outro? É melhor ir tentando do que ficar em qualquer lugar que você não se sinta em casa.

    E eu sinto muito, de verdade.


  33. Tany,
    eu não sei onde é o meu lugar, mas pode ter certeza que não vou deixar de procurar.
    Obrigada pelo comentário!


  34. Comecei a acompanhar sua viagem ano passado porque ia pra Inglaterra passar 6 meses esse ano. Adoooro todas suas dicas, tanto das músicas que tavam rolando em Londres quanto os parques e bairros legais, me ajudaram muito! Já chorei lendo vários posts, principalmente nesse, porque alem de ser bem triste, me identifiquei muito com o que você falou. Voltei pra casa em junho, mas até hoje não me recuperei totalmente. É horrível voltar pra casa e ver que quase nada mudou, enquanto você viveu tanta coisa e se sente outra pessoa! Parece que é uma ferida que não cicatriza nunca e doi sempre que alguém encosta. Tenta se manter sempre ocupada e com gente que você gosta por perto, assim você não tem muito tempo de reviver o passado e sofrer.
    E que o ano que vem traga novas experiências e novos sentimentos pra todos :)
    Beijos


  35. Foi trister ler esse post,ao perceber que vc ficou um bom tempo sem postar eu já tava achando que viria uns holandezinhos por aí =) ushaushuahsua
    Mesmo que seja doloroso,sei que essa ferida que ainda está aí vai cicatrizar e vc vai fai ficar bem!Pelo menos é o que eu e essa galera aí em cima quer!!
    Um beijo


  36. Voltei de Londres pra Sao Paulo faz menos de 1 mes e to sentindo exatamente a mesma coisa com voce. É um sentimento muito estranho de nao pertencer a lugar algum. Fico pensando se é melhor voltar pra Londres, se devo ficar aqui ou ir pra outro lugar. O que quer que eu decida, vou ter que começar do zero. Sorte pra voce se encontrar! Beijos


  37. Caramba, fiquei mto triste com o seu post também. Sou uma de mtas que acompanham seu blog há mto tempo, e sempre desejei o melhor pra vc, sempre quis ter a coragem que vc teve de largar td e ir sozinha pelo mundo tentar se encontrar.
    No momento to passando por uma das situacoes que vc, meu namoro tb acabou com os dois se gostando ainda, e realmente ninguém consegue entender quanta dor a gente sente com isso. A real é que na hora a gente nunca sabe mesmo o porquê dessas coisas acontecerem, mas acredito que com o tempo as coisas se esclarecem.
    Vi uma vez uma frase “If you’re going through a storm, keep walking” – que tudo isso dói, dói e muito, mas uma hora passa e a gente supera, guardando apenas as boas memórias. :)
    E o que o Rick falou lá em cima, animal, é isso mesmo, não te conheço pessoalmente, mas vc parece ser uma pessoa super especial, e pessoas boas atraem pessoas e coisas boas, então não tenha medo de levantar a cabeça e enfrentar essa fase, com certeza vc vai encontrar mta gente e mtos motivos por ai pra voltar a ficar feliz! :)
    Um beijo e fique bem!!


  38. Oi Re,
    Eu acompanhei por cima sua história e te admiro muito pela coragem que você tem, por tudo que abriu mão e, principalmente, por ter tentado.
    Eu estou chorando muito nesse momento de lembrar do que passei. Porque vivi um amor parecido com o seu quando fui morar no Canadá. Conheci um canadense, que era meu vizinho de porta e nunca fui tão feliz. Aprendi o que é um relacionamento e percebi o que eu queria de um relacionamento com ele. Mas ele não me pediu pra ficar, só me pediu pra voltar. E eu senti a mesma coisa que vc quando pisei em São Paulo. Nunca tinha me sentido tão perdida, sem chão, em algum lugar. Eu poderia viver sem tudo isso.
    Não vou te dizer que vai passar logo. Acho que cada um tem o seu tempo e a intensidade e a quantidade de informação que vc está digerindo agora é muito grande. Mas eu quase posso te garantir que vc vai sair mais inteira de tudo isso. Depois que eu voltei, eu fiquei 1 ano bem diferente do que eu sempre fui, bastante isolada e muito em contato com os meus sentimentos e com a minha essência. Não consegui ficar muito tempo em São Paulo e morei quase 1 ano na Argentina, me relacionando só superficialmente, em todos os sentidos. E passou… acho que eu aprendi, depois de tudo, a ser feliz sozinha e a precisar de quase nada, estando em qualquer lugar. Acho que posso dizer hoje que não dá pra ser feliz ou triste o tempo inteiro, e que nos sustenta está dentro de nós, que poucas pessoas e coisas são realmente importantes. E ele não passou na sua vida em vão, passado e futuro é só uma questão de perspectiva e o que é importante fica.
    Boa sorte e perseverança com tudo! Se precisar conversar ou só de um abraço, pode contar comigo!
    Um beijo enorme!


  39. Não sei o que eu fiz no mundo para merecer comentários de pessoas como vocês, que nem ao mesmo me conhecem pessoalmente. Só consigo dizer obrigada, mesmo que isso não pareça o bastante. Obrigada, obrigada, obrigada.


  40. Olá, Rê.

    Queria ser uma estranha a te encontrar na rua agora, te dar um abraço e conversar. Queria tentar livrar seu coraçãozinho por alguns instantes dessa dor, como tantas vezes você fez comigo, mesmo sem saber, escrevendo seus posts.
    Sempre ouvi dizer que “lar é onde o seu coração está” e acredito profundamene no significado disso. Lembre-se que podemos ter vários lares ao longo da vida e que todos eles nos acolherão e nos guardarão com amor aonde quer que estejamos. Você viveu histórias lindas, um grande amor, muita aventura, e vai continuar vivendo. O propósito disso tudo talvez seja maior do que o que consegues compreender agora, talvez não esteja claro, mas vai se mostrar mais tarde, quando os caminhos que te guiaram até aqui, te levarem ainda mais longe.

    Gostaria de poder escrever algo que realmente te ajudasse de alguma forma, ou sequer trouxesse um pouquinho de paz, mas sei que não é tão simples. Espero de verdade que você consiga se situar no meio disso tudo, sabendo lidar com essas distâncias que enforcam e com a saudade. Espero que no fim das contas, além de mais forte e mais sábia, você possa descobrir um lugar que seja sua casa e seu lar ao mesmo tempo.
    Se não for São Paulo, Londres ou Dublin, que seja seu coração. E que lá você encontre sempre a paz que precisa.

    Você é inspiradora!
    Fique bem.

    Um beijo.


  41. Terminei agora de ler o seu blog (estou a mais ou menos três dias lendo). Descobri ele através do “hey-london” e logo nas primeiras páginas que li daqui comecei a me encantar pela história, então resolvi botar na ultima página (página 10) e ler tudinho na ordem cronológica dos fatos. Me apaixonei pelos seus textos, pela sua simplicidade ao escrever sua história (coisa que não consigo fazer) e sua forma de encarar a vida. Vi sua evolução, e fiquei me perguntando se você ainda se lembra dos primeiros textos que você postou aqui, porque eles são engraçados e quando você ler futuramente, isso vai te fazer rir. Ri em muitos momentos, fiquei apreensiva, curiosa e torcendo por ti o tempo todo. Agora nesse ultimo texto veio aquela tristeza e aquela vontade de querer que você alcance todos os seus desejos, seus objetivos. Adorei tudo aqui, adorei conhecer seu blog e tenho que dizer uma coisa que deve ser você ouvir: queria ter a sua coragem. Parabéns por tudo Re, muita sorte na sua vida, muitas vitórias e que esse 2013 seja um grande ano pra você. Que venham mais histórias, seja pra nos divertir ou apenas para você compartilhar o que está sentindo :)


  42. Re,
    Você acha que esse sentimento que está te incomodando seja devido ao fato de que ficou tanto tempo fora de casa ou é porque sente muita a falta de Maikel? Às vezes, os problemas que são encarados no nosso dia-a-dia tendem a nos tornar pessimistas de modo que não vemos um sentido para aquilo tudo; tudo está perdido. Mas pelo o que eu tenho lido no seu blog, uma pessoa como você nunca desiste facilmente; e duvido que irá. Não sou hipócrita a ponto de dizer o que você deve fazer pra se sentir melhor; eu provavelmente não seguiria meus próprios conselhos. Quem sou eu, uma pessoa aleatória que num dia aleatório conheceu seu blog, para dizer o que você está sentindo? Só sei que o caminho é curto, mas é extremamente longo; a estrada é cheia de pedras, mas no final do arco-íris tem um pote de ouro.
    Bjs
    Laura Luna


  43. Comentei mais cedo no post do coração partido (de 2010!) e só agora vi esse!
    Nossas histórias são bem parecidas sabia? Não sei se você chegou a ler o que escrevi lá, mas também terminei com uma pessoa por causa da distância. Ainda nos amávamos, mas tivemos que acabar para seguirmos com nossas vidas (eu me mudar era uma possibilidade, porém ainda estou na metade de uma faculdade federal, largar ou me transferir é totalmente inviável pra mim). Hoje, dois meses e meio depois, ainda dói. Ainda o amo mesmo sabendo que ele já colocou a vida dele nos eixos de novo. Eu sei como é esse sentimento de vazio, de não querer dar adeus aos planos, adeus a vida que tanto projetamos… aliás, deveria existir uma palavra pra isso, você não acha? Uma palavra que descrevesse o futuro que não existiu e que ficou no passado. Vou inventar e patentear rs
    Vou acompanhar sua superação aqui pelo blog, tenho certeza de que você conseguirá. Aliás, vai que conseguimos juntas?!
    Estou torcendo por você!


  44. Eu espero que você possa ficar melhor, sei como é esse vázio e em você deve estar enorme. Mas pode ser até clichê dizer que isso vai passar, mas pode ter certeza que vai, não toltalmente mas o bastante pra não ficar se martilizando com essa dor.
    Abraços.


  45. Sofia Calado

    05/01/2013 a 01:47:28

    Por incrível que pareça, há 5 minutos atrás eu escrevia, para mim mesma, um texto contando como foi vir de SP (onde tinha amigos, paixão e felicidade) e vim para o Centro-Oeste fracassada, sendo uma ninguém… Fiz essa mudança com 16 anos, e para uma adolescente isso dói demais. Hoje, enquanto escrevia o texto, eu agradecia cada segundo por ter acontecido isso em minha vida. Conheci o meu-cara-perfeito, me formei na faculdade que eu queria e sou muito mais feliz. A lembrança boa fica, a saudade fica, mas não mudaria uma vírgula na minha história. TUDO na vida, cada passo dado, cada atitude tomada, tem uma consequência… Espero que a sua seja muito positiva! Um beijo, fica bem…

    [Sou sua fã há anoooooooos luz!]


  46. Como não chorar com esse texto cheio de sentimento e essa trilha sonora?

    Querida, seus cacos não estão aqui no Brasil, estão na Holando e em Londres. Mas fique bem, sei que agora não vai ficar, mas em breve vai, tu vai passar, melhorar, um novo amor virá ou ele voltará. Beijos


  47. Rê,

    Chorei. Deu vontade de te falar pra largar tudo e ir atrás do seu amor, ficar com ele e tals, mas eu sei que as coisas não são assim tão fáceis. A vida é muito complicada mesmo.
    Eu mudei pra São Paulo pra me encontrar e me perdi, e por muito tempo fiquei deprimida por que as coisas não saíram como o esperado. Mas o impacto da dor me fez crescer muito, muito mesmo.
    O que eu quero dizer é que você está certa, a vida é feita de escolhas. E de repente ter que deixar seus planos de lado para ficar com o Maikel seria algo que ao longo do tempo também te deixaria triste. É preciso ter equilíbrio.
    Curta a dor, chora bastante, ouça músicas de fossa. Deixe a tristeza ir embora com as lágrimas. Relembre tudo de incrível que aconteceu na sua vida nesses últimos tempos, além do amor. Só não deixe esse tempo de angústia te impedir de viver. Você não sabe o que o futuro tem guardado para a sua vida e para a dele…

    Tô torcendo muito por você, de verdade. Se precisar de algo, conte comigo. ;-)

    Beijos


  48. Oi rê! Tirei uns dias pra ler seu cantinho e cheguei ate a pagina 8 so, encontrei o lugar pelo post de como curar um coração partido entao é bonito acompanhar seus avanços e retrocessos.. Nao ia comentar nem nada, ia acompanhar voce assim escondidinha, mas vendo o quanto te deixa feliz resolvi dar um oi. Desejar um “espero que fique tudo bem e os posta felizes voltem” apesar de ter sido atraida por um nao tao animado. Voce parece ser uma pessoa tao boa que nao acho que o karma va te deixar muito tempo pra baixo! Fica bem. <3


  49. Não sei por que vim aqui de novo… e como ver sua história me dá medo!
    Como o Rick Martins, também estou indo morar em Dublin esse ano.
    Deixo aqui uma mãe com câncer, e meu pai sozinho cuidando dela. Ela já está se recuperando, graças a Deus. Então resolvi ir mesmo.
    Passo nesse momento por uma história de coração dilacerado que ainda vai dar pano pra manga… mas nem consigo falar sobre ainda.

    O que eu me pergunto é: Vale a pena se jogar e depois vir tanta dor ou é melhor viver na calmaria? As dores causam danos na nossa personalidade que eu não sei se vale a pena sabe? Se jogar ou não?


  50. Eliene,
    com certeza vale a pena se jogar. Você vai voltar totalmente mudada, mais madura, outra pessoa. A dor passa. Os aprendizados ficam!


  51. Oi, eu não conhecia seu blog e achei agora e resolvi ver.. Desculpa ser intrometida, mais me chamou muita atenção esse post, e eu sei o que você esta sentindo. Quer um conselho? Vai atrás do seu amor. Eu não sei quais são essas escolhas, mais eu sei que nada na vida é impossível, há algum jeito de vocês conseguirem manter as escolhas. Nada é mais puro e verdadeiro do que o amor, do que ter uma pessoa para te dar um carinho, alguem pra te falar o quanto te ama quando acorda.. Posso falar? Lá é sua casa. Se você achar que não mesmo, trás ele pra cá, morem aqui.. Acho que você não devia deixar algumas coisas atrapalharem nisso, lute, corra atrás, se esforce, que um dia você vai olhar e dizer, como valeu a pena!
    As vezes parece ser besteira escutar conselhos de uma pirralha como eu (tenho 17 anos) mas eu acho que todos nascem sabendo que ninguém é feliz sozinho, que a melhor coisa no mundo é o amor, que é o unico sentimento que vence absolutamente tudo. Eu te desejo muita boa sorte, e tudo de bom, beijão!


  52. Olá Rê,

    a volta não é fácil mesmo, agora quem está nessa situção sou eu, faz um mês que cheguei de Londres, depois de uma temporada incrivel pela terra da rarinha, muita gente passou, muitas coisas mudaram, eu cresci muito, e me conheci melhor do que ninguem(nada melhor do que um tempo a sos com nos mesmos para descobrirmos quem realmente somos). Agora as coisas parecem e não fazem mais sentido, a faculdade, os amigo, os lugares, e a vontade é de ficar em casa com você mesmo por mais tempo possivel.. Não está facil, também deixei alguem com quem tinha planos, e queria que nossos futuros se cruzassem, mas nâo passou disso, mas talvez um dia quem sabe nos encontraremos, e em outras circunstancias podemos ficar juntos (a esperança é a ultima que morre em caso como esse)… Só sei que agora era impossivel, e a corda sempre parte do lado mais fraco, nesse caso seria eu, que deixaria minha vida para assumir uma outra vida em outro lugar, mas desde já adianto, se eu estiver feliz, vale!!! Mas infelizmente não aconteceu.. Estou de volta, as coisas não fazem sentido, nem mesmo a minha familia, mas a minha realidade de agora é essa, e eu tenho que ser forte e aguentar o tempo que é necessário estar aqui para poder no futuro voltar para lá mais forte! Diante dessa situação posso dizer que me sinto um pouco aliviada de ver que não sou a unica que está passando por isso, que não sou uma maluca, mas alguem que viveu intensamente o intrcambio! keep in touch!! adoro seu blog!!


  53. [...] que terminei meu último namoro e voltei para o Brasil, conheci muitos caras diferentes com os quais tive relações rápidas, sendo elas intensas ou [...]


  54. Hey, sweetie! I know exactly how you feel. I’ve been there.
    Nossas histórias são parecidas. Fiquei 1 ano em Sydney e 2 em Londres, os melhores anos da minha vida. Demorei anos para superar a volta e ainda penso naqueles dias intensos todos os dias… Mas, somehow, a gente aprende a viver aqui novamente e a conviver com as esquisitices do Brasil.
    Beijo



Deixe seu comentário