Hoje faz 4 meses que você foi embora. Agora o tempo que estamos longe um do outro é mais longo do que o tempo inteiro que ficamos juntos. Engraçado, né? Fico me perguntando se gosto tanto assim de você porque não posso te ter, ou se é porque você realmente levou meu coração embora pra outro país.

Sempre soube que a gente sumiria um do outro com o tempo. As mensagens iriam diminuindo, as lembranças começariam a desaparecer… Mas a vontade que tenho de ainda te ver um dia, acho que nunca vai acabar. Sabe essas histórias bonitas de filme, onde mesmo depois de anos separados, eles sempre se encontram no final? Não acho que isso vá acontecer com a gente, mas gosto de pensar que sim pois faz doer menos.

Por falar em filmes, esses dias vi uma cena tão bonita! Um casal apaixonado se reencontrou depois de anos, e ela perguntou:

- Por que você parou de me escrever?

Ele olha bem fundo nos olhos dela e responde o inesperado:

- Porque não era o suficiente.

Dizer “bom dia”, “boa noite”, contar as novidades ou apenas falar um oi pra se fazer presente, não é o suficiente. Eu quero sentir o seu cheiro, olhar nos teus olhos e ficar com vergonha de ter conversas muito profundas porque você sempre vai corrigir o meu inglês. Eu quero ouvir aquele teu sotaque bonito, e ganhar um beijo daqueles que nem o que você me deu quando nos achamos na praia de Copacabana depois da queima de fogos do ano novo. Não fazia nem um mês que a gente se conhecia, mas naquele beijo eu quase senti você dizendo eu te amo. Calma, calma! Não precisa se assustar. Eu sei que a gente nem chegou perto da fase de dizer eu te amo ou sequer sentir algo parecido com amor. Mas eu daria tudo pra conseguir ter a chance de viver isso com você um dia.

Já faz algum tempo que não nos falamos, e tenho pensado muito em você. Nos momentos tristes você é a primeira coisa que me vem a cabeça. Os silêncios também me fazem pensar em você. Fico vendo o horário da Inglaterra no meu celular e pensando o que você deve estar fazendo naquele exato momento. Quando estou pensando em jantar, você provavelmente está escovando os dentes para ir dormir…

Você ainda arruma o cabelo daquele jeito que eu gosto? Ainda rói as unhas e dorme de bruços com o braço em baixo do travesseiro? …eu sei tão pouco sobre você. Queria saber mais, pra ter mais lembranças boas quando a saudade aperta.

Será que você já conheceu outra garota? Ela já te prendeu, já te fez perder a cabeça, como você dizia que eu fazia? Espero que você não chame ela dos mesmos nomes que me chamava. Espero que você ainda lembre de mim, e tenha lá no fundo do peito uma esperança dessas bonitas de filme, que diz que a gente ainda vai se reencontrar um dia. Seja na Inglaterra, na Escócia, no Brasil ou na China, mas a gente ainda vai se reencontrar.

Eu não ligo que você goste de futebol. Não ligo que seja orgulhoso e que provavelmente a gente ainda vá brigar muito por causa disso. Eu só quero fazer parte da sua vida e viver perto o bastante para que a distância não o impeça de fazer de mim “a sua namorada” (lembra disso?)…

Espero que você ainda pense em mim, e que nunca seja tarde demais pra gente se reencontrar e você me dar outro beijo daqueles que me fez sentir a garota mais especial do mundo.

Update:
Hoje é dia 16/04/2013 e, depois de ter tido um sonho muito real de que ele tinha voltado, resolvi não mandar mensagem pois achei que seria muito clichê. O dia passou e, no final da tarde, recebo uma mensagem dele perguntando como estou… Salvei uma partezinha da conversa, só para mostrar um pouco o que senti:


(óbvio que não enviei)

 
32
Compartilhe esse post:

32 comentários em “Das cartas de amor que nunca enviarei…”

  1. Não foi um cisco no olho não, foi um tronco mesmo. :(


  2. Chorei (mesmo!) :(


  3. Chorei…

    espero que se reencontrem mas se não que essa lembrança seja doce e menos dolorida no futuro e que não te exaspere.

    bjos e força lindona…tudo vai dar certo


  4. Que amor!Também chorei…
    Você devia mandar pra ele!
    Qual o nome do filme que você diz na carta?
    Bjos!


  5. Juliana,

    o nome do filme é Last Night, ta aqui o trailer: http://www.youtube.com/watch?v=sTDyNxXutLs

    EU AMEI. Se você assistir, vem aqui me falar se gostou? :)


  6. que bonito isso! :)


  7. Diego Fávero

    10/04/2013 a 03:47:31

    Caralho, que foda, Re. Fiquei orgulhoso na parte “Eu sei que a gente nem chegou perto da fase de dizer eu te amo ou sequer sentir algo parecido com amor”. Você valoriza o “eu te amo”, raridade hoje em dia.


  8. Com certeza você já ouviu falar sobre a Paula Pimenta. O último livro da série “Fazendo meu filme” faz com que o leitor acredite que sim, pode passar anos e séculos, mas, se o amor for verdadeiro, com certeza o casal ficará junto.
    Bjs!


  9. Fernanda Boragini

    10/04/2013 a 13:30:43

    Nossa! Que foda isso! :(
    Esse post me fez lembrar uma música de uma cantora britânica.
    Paloma Faith, conhece? A música é Beauty of the end.
    beijos


  10. Nunca vivi uma situação assim, mas só de ler deu um aperto no coração como se fosse comigo. Que tudo tenha mesmo uma razão pra acontecer e que vocês se reencontrem um dia, pra viver tudo isso!

    Beijo :)


  11. Fernanda, acho que não Vou dar uma procurada ;)


  12. Incrível! Sua carta r um flashback na minha cabeça…
    Também escrevo cartas que nunca vou mandar e deixo lá nos rascunhos do meu email. Vai que um dia tenho coragem?
    Torço muito pra vocês se reencontrarem. Não é qualquer pessoa que fica na nossa cabeça assim por tanto tempo… São apenas as especiais! :)

    Beijosss


  13. Eu escreveria A MESMA carta! Também nao sei se mandaria! Ai ai!!! Hate broken hearts!


  14. Nossa, fiquei emocionado até.
    PS.: Li metade desse livro do filme


  15. Flavio Doria,

    o filme TEM LIVRO? Please tell me the name!
    Eu leria muito fácil, amei o filme e ainda fiquei com aquele gostinho de quero mais, sendo que vi o filme 2 vezes! Me conta o nome?
    Vou dar uma procurada do Google.


  16. Swdezerbelles

    11/04/2013 a 19:01:50

    Me emocionei. Acho que você deveria sim enviar a carta pra ele, pelo menos ele vai poder ver o como você se sente em relação a isso tudo e outra, ela mostra muito de você. Ele iria gostar.
    Ps: Vou procurar o filme e livro, parece ser uma boa história.


  17. Triste, mas isso que é a vida, estarmos em busca sempre de algo que desejamos. Não desista dos seus sonhos, a não ser que um melhor venha subbstituí-lo, um dia eles se tornarão realidade!!! <3


  18. Carol Hevia

    13/04/2013 a 14:49:00

    Ai amigue, ja falei que fico com aperto no coração quando leio seus posts a respeito das ‘crises de retorno’, tanto sobre o Brasil em si, quanto de acabar longe de alguém que vc gosta muito. Dá um apertinho porque vim até o outro lado do mundo pra achar o cara mais foda que eu ja conheci (sou brega memo, me deixa! haha) e dá um medinho de se desencontrar.
    Espero que de uma forma ou de outra seu coração fique em paz logo, amigue. <3


  19. Ahhh o amor, porque sempre tem que ser complicado?


  20. Falam que o pior é perder alguém que você ama ou conviveu muito tempo, mas ainda acho que é bem pior ficar pensando no que poderia ter sido. É difícil superar ou entender quando as coisas terminam antes mesmo de começarem direito, principalmente, quando elas terminam sem ter um ponto final, mas um ponto e virgula, na realidade. Parece que é difícil entender e aceitar que aquilo ali acabou.. porque nos filmes as coisas acontecem e na vida real não? A gente fica babaca ao pensar que, quem sabe, nossa vida vai se resolver assim, e pensa no futuro, dez, vinte anos, e pensa que espera, mas cada vez fica mais difícil. O tempo passa, a dor passa, a vida continua, mas a resposta da pergunta aparece na cabeça com menos frequencia, mas nunca some de vez. Acho que esse é o pior sentimento do mundo.

    Eu passei uns bons cinco anos do mesmo jeito que você. Eu tinha 18 e esperei até os 23, muitas vezes achando que nunca conseguiria saber o final da história, pra depois descobrir que as coisas não iriam funcionar mesmo. Espero que você, pelo menos, receba futuramente a tua resposta porque uma vida de ‘e se?’ não é algo que ninguém mereça.


  21. Carol Hevia,
    fico acompanhando sua vida mei de longe, mas ficando feliz por todas as suas conquistas. Sei o quanto você anda feliz com a vida que tem agora, e torço para que dê tudo cada vez mais certo! É muito difícil voltar, principalmente quando não é o que você quer. Mas acredito que ainda vou me achar…


  22. começei a ler seu blog pelo embaixadores do stb…
    e cara, passei por uma coisa parecida, só que eramos de estados diferentes, só que a vontade de ficar junto era tanta que fomos morar em outro país, juntos.
    as vezes é difícial deixar as coisas pra trás mas com toda a certeza foi a melhor coisa que eu fiz.
    se você sente falta dele, manda esta carta pra ele, e se ele se sentir assim também… oq vc vai estar deixando para trás?


  23. Caraca moça !!! Que foda isso, que bom que por enquanto escrever é o único modo de desaguar essa saudade.

    Fico pensando se eu tivesse uma carta dessas na mão se eu voltaria de avião ou teletransporte para o Brasil….

    Adorei esse seu texto. Grande beijo


  24. Nossa, estou numa situação tão parecida que eu poderia facilmente ter escrito essa carta!!
    Na verdade até rascunhei uma, mas ainda estou me debatendo se mando ou não.
    A diferença é que nao consigo nao dizer, nas mensagens, que nao paro de pensar nele.

    Só sei que é difícil! Espero que, de alguma forma, tudo termine bem :)


  25. Ount…;(
    que aiiii nem sei o que te dizer….ou melhor posso dizer … Fique feliz florzinha…
    sabe porque: ” Deixe-o ir, pois se ele voltar é porque ele realmente é seu ” .


  26. engraçado como a historia se repete com tanta facilidade,tbm amo um alguem assim de longe, mesmo nunca tendo a oportunidade de dizer isso a ele..que o amava…ainda espero que ele volte.é incivel como passo horas escrevendo cartas de amor que eu nunca mandei!….como descrevo cada sentimento que flui dentro de mim com a ausencia dessa pessoa.o pior de tudo e ver que com o passar do tempo esse amor so aumenta, ……acho que e assim mesmo…o amor…….


  27. Thaynara Victoria

    28/04/2013 a 22:47:14

    Meio que entendo o que você esta passando , acabei de chegar de Londres, e deixei lá um italiano lindo, por mais que tenha ficado em Londres 5 meses, conheci ele quando faltava apenas seis semanas pra voltar, tivemos tão pouco tempo juntos e assim como você me pegunto ” gosto tanto assim de você porque não posso te ter ? ”. O pior pensamento é aquele do o que poderia ter sido ?? Sei que ele teria me deixado doida com a sua teimosia mas o que eu não daria pra ter a chance de ter vivido isso. A dor de amar alguém e não ter a coragem de dizer porque vocês não estão nem no mesmo continente e a declaração complicaria tanto as coisas, morro de vontade de falar : Ei, você me deixa doida , mas eu gosto de você. Mas e o medo de falar e estragar esse sentimento que temos hoje, da esperança de quem sabe um dia. Ai fico aqui na minha , sem me declarar , esperando que ela saiba e que ele sinta o mesmo.


  28. Ai esse blog, viu!

    Toda vez que passo aqui e leio suas histórias, sua maneira de ler a vida eu penso “tem mais gente como eu no mundo”. Mais gente pensa parecido, mais gente se joga de cabeça, mais gente se apaixona por estranhos, mais gente joga tudo pro alto. E pqp, como isso é legal. E pqp como eu queria te conhecer de verdade.

    Já li seu blog todo, todinho!

    Continue vendo a vida dessa forma e não desista nunca. Se for pra ser, vai ser.


  29. Olá,

    Comecei a ler os seus posts a pouco tempo e estou me divertindo, te acho completamente maluquinha (de forma saudável é claro).
    O que sempre me deixou intrigado é a capacidade das mulheres de amar!!! Dessa entrega total sem se preocupar muito com as consequências e de realmente “viver por amor”, assim como alguns de seus posts.
    Um dia ao pesquisar sobre a briga de Erick Clapton com um de seus melhores amigos George Harrison encontrei parte da histórias do triângulo amoroso entre eles e Pattie Boyd, SEGUE O LINK…..
    http://whiplash.net/materias/biografias/068366-ericclapton.html , que história linda de amor que ela descreveu, mais tarde lendo a autobiografia de Erick fiquei decepcionado com a forma simples que ele descreveu essa parte de sua vida.
    Foi interessante notar o lado “feminino romântico” como ela escreve a sua biografia e a “visão masculina” por parte dele. Pois é nós homens somos meio que assim 90% razão e 10% emoção essa parte completamente tomada por aquela banda legal ou nos casos mais simples pelo futebol! Rsss…


  30. Eu salvei esse link e vez ou outra volto aqui. E suspiro. E sinto. E tenho como inspiração para um dia também escrever uma carta de amor que não mandarei.


  31. Você me mata com esses textos (e com as imagens também!). Post triste, mas lindo ♥


  32. [...] inspirados nele, vou tentar virar o disco. (Se quiser ler esses posts, listei aqui em ordem: 1, 2, [...]



Deixe seu comentário