Essa é a continuação de uma linda história que começou em outro post, se você não leu, clique aqui e leia. Ah! Pra dar mais sentimento, dê play para ouvir esse cara enquanto lê a continuação da história:

Eu tinha gostado muito muito muito de você e daquela noite. No dia seguinte só conseguia pensar no quanto eu amava Londres e deveria estar morando ali. Você me trouxe todos os sentimentos bons e sonhos que eu tinha deixado de lado quando voltei pro Brasil, e isso era incrível. Londres é realmente a cidade da minha vida e onde toda a magia acontece. Eu já estava feliz e satisfeita por ter tido uma noite deliciosa, daí você me mandou mensagem dizendo que queria me ver de novo. Eu ainda tinha uns dias na cidade e pensei, por que não? Sou dessas que acho que quando a gente está viajando não deve se privar de nada, então topei o seu convite e fui passar a sexta-feira de ressaca vendo filme na sua casa. A gente pediu comida, ficou juntinhos no sofá vendo tv… E aquilo parecia tão certo, fazia tanto sentido. Minha mente foi longe imaginando como seria minha vida se eu morasse ali e tivesse você como namorado (eu sei, eu sempre faço isso e também acho ridículo, mas e daí?! rs). Para “piorar”, mais tarde descobri que o seu gosto musical era parecido com o meu. Você ganhou ainda mais meu coração colocando Keaton Henson pra tocar. Era como se aquele filme lindo da nossa breve vida juntos tivesse ganhado a trilha sonora mais bonita de todas. O foda é que as músicas eram tristes, e era impossível não pensar no fato de que aquilo tudo ia acabar em poucos dias.

Daí você me chamou pra passar a próxima noite com você. E a outra, e a outra. Então eu cancelei minhas noites solitárias no hostel e me mudei pra sua casa. Que rápidos, né? Todo mundo deve estar pensando. Mas pra mim, todas essas paixões avassaladoras e inconsequentes foram as que mais valeram a pena até hoje. Fui sem medo de ser feliz. E… Cacete, como a gente foi feliz em tão poucos dias?! Ao mesmo tempo que eu tinha medo de estar me envolvendo tanto com uma pessoa que não tinha a menor chance de ver de novo no futuro, não me privei de sentir nem um pinguinho de sentimento. Aliás, não acho que eu seja dessas pessoas que consegue se privar de SENTIR. Eu sempre vou até o fundo porque se apaixonar e curtir alguém novo é uma das melhores coisas dessa vida. Confesso que me preocupei um pouco com a intensidade das coisas, principalmente pela vida que eu levava fora daquela realidade de viagem. Mas escolhi não me privar de nada, e no fim descobri que essa foi a melhor escolha que poderia ter feito, já que minha realidade desmoronou depois de poucos dias que te deixei em Londres para ir passar uns dias em Berlim. Ter seguido meus instintos e vivido os sentimentos ao máximo foi a melhor escolha que eu poderia ter feito durante a minha viagem inteira.

Berlim foi, pela segunda vez, uma cidade dura. Eu queria ter ficado com você, os dias estavam cinzas e frios. E daí aconteceu aquela coisa que me fez sentir ainda mais sem chão. Mas você continuou ali, falando comigo todos os dias e se fazendo presente e aumentando ainda mais tudo que eu sentia por você. Não havia a menor chance da gente conseguir se ver de novo, mas eu estava tão apegada que não me importei de fazer os sentimentos se aflorarem cada vez mais. Pra onde a gente tava indo? Eu não fazia a menor ideia, só sabia que você me fazia bem e eu não queria parar. Daí veio Copenhagen, que foi uma viagem mais feliz. Eu reaprendi a curtir meus momentos sozinha e me fiz mais forte para poder voltar pra minha realidade no Brasil. Mas você, de certa forma, agora fazia parte dessa realidade, e continuava lá firme e forte, me lembrando o quanto gostava de mim e sentia saudade. Juro que eu não imaginava que fôssemos tão longe assim.

Agora estou aqui em São Paulo e já faz mais de um mês que nos conhecemos. Aliás, logo menos completaremos dois meses juntos (!), quem diria, hein? Eu, que acreditava que o único caminho era ter relacionamentos abertos e condenava muito os relacionamentos à distância, estou aqui: num relacionamento monogâmico com uma pessoa que mora em outro continente. Paguei minha língua, minha mente, meu corpo inteiro. A gente realmente não tem como prever o futuro. Não vou dizer que está sendo fácil, ninguém disse que seria, né? Mas a cada dia isso tudo parece mais certo, mais “meant to be”. E quer saber? Por mais loucura que tudo isso possa parecer ou ser, de fato, eu não me importo. Se não der certo, vou continuar tendo tudo que tenho hoje: minha vida, meu emprego, minha família e… A vontade de ser feliz. Aliás, a tal vontade de ser feliz acho que nunca vou perder, e é por isso que acabo me metendo em situações loucas como essa. A gente tem mesmo é que correr atrás da nossa felicidade e, se a tentativa não der certo, não deu. A gente vai lá, levanta e começa tudo de novo. Afinal… Continuar tentando só pode me trazer coisas boas, assim como quando a vida me trouxe você.

 
19
Compartilhe esse post:

19 comentários em “[parte 2] Londres, 4/09/2014: o dia em que a gente se conheceu <3”

  1. Daniele Milani

    29/10/2014 a 16:25:04

    Incrível a sua história!

    Estar com quem a gente ama sempre vale umas passagens de avião parceladas no cartão de crédito!

    Espero que o rapaz venha lhe visitar logo mais por aqui também!


  2. Daniele,

    simmmm!!! Ele ta vindo agora no final do ano passar o natal e ano novo comigo :D
    Prevejo gastar muito dinheiro em passagens no ano que vem, rs


  3. Aiiii que você seja super feliz enquanto durar! E que dure o suficiente para ser inesquecível! Você merece um amor tranquilo!


  4. ” logo menos completaremos dois meses juntos” sério isso??!!


  5. Di,

    sim né? Como diz no post, nos conhecemos no dia 4/09. Hehehe pq o espanto?


  6. Renata (chará!!!),

    menina, que loucura. É foda né? E já se passou quase um ano, realmente o tempo passa muito rápido. Mas se vcs se falam todo dia mesmo com ele morando na Austrália, pô… Isso já é um sinal de que vcs se curtem mesmo, né? A distância é muito complicada mesmo, mas se ele fala em vir pra ca, aproveita isso! Você pode também falar um pouco dos seus medos pra ele, dizer que queria ter mais certeza das coisas pra poder se preparar, viver sua vida e tal. Mas sei lá, não colocar ele na parede tb, sabe? Nesses casos a gente não pode ter pressa. Talvez seja o caso de vocês continuarem assim, vc esperar pra ver se ele vai vir mesmo ou não e… Viver a vida com mais leveza. Essa coisa dele não falar a língua e tentar arranjar emprego aqui, é o de menos. Vai fundo, menina!


  7. Não importa quanto tempo demore, a gente sempre termina pagando a língua. Sorte que a sua paga está sendo muito agradável, né?! =D
    Felicidades a vocês dois!


  8. Rita Queiroz

    29/10/2014 a 21:30:44

    Que fofo…
    Terminei o post e foi aquele suspiro…
    Olha, que bom que vc se entregou pra viver isso tudo.
    Que bom que ele tá vindo pra cá.

    P.s- a música é golpe baixo!


  9. Só eu reparei que tá escrito Pussy Lover no quadrinho ali? Haha.


  10. É isso aí, se nós tivéssemos consciência do quanto nossa vida é passageira, talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora as oportunidades de ser e de fazer os outros felizes!!! <3 <3 <3


  11. hahahahahahahahha M. Mattar,

    fiquei aqui pensando se alguém no mundo ia reparar nisso! hahaahaha
    Ele mora com mais duas pessoas e é uma casa bem louca. A porta do quarto dele é de madeira dessas de construção, e ta pixado assim: “Sam’s Dick Palace” hahahahaha. Eles são engraçados por lá, a casa é toda pixada e eu mesma desenhei um pinto num guardanapo e colei na parede pra ficar de lembrança. Então SIM, ta escrito Pussy Lover mesmo, hahahahaha, adorei que vc notou!


  12. Ah, vc é F-O-D-A, garota! Sou como vc, me jogo de cabeca nos meus relacionamentos relampago e intensos, mas que eu adoro! Adoro a sensacao de conehcer alguem, de trocar mensagens, de fazer louicuras no comeco e cosias assim..talvez seja por isso que eu nunca me enfiei em um relacionamento “de verdade”, que dure mais do que algumas semanas..dias e por que nao, horas.

    Esses sao os mais legais.

    Nao sei se vc e ele vao se ver de novo, mas que vcs dois vao guardar essa historia pra sempre, vcs vao. E se toda vez que vc lembra dele e da historia, um sorrisinho de canto sair, saiba que valeu a pena.

    Pra fechar, isso me lembro de um relacionamento de 2 dias e meio que tive recentemente com um cara que, é, eu me imaginava namorando com ele caso ele morasse aqui, mas ele é de Londres (eu moro na Irlanda, na cidade Natal dele). Nossas chances de se ver sao maiores, mas ainda tem um oceano entre a gente né.


  13. Ah que lindo!!
    E que inveja branca de você rs não pelo o que aconteceu, mas por você ser assim tão despreocupada, desencanada e por gostar de ser feliz e de buscar isso! Eu que sou reprimida, fechada, quase sempre minto meu nome ou meu telefone com medo de me arrepender ou de sofrer. Sei que perco muita coisa boa com isso, difícil de mudar rsrs. E lendo seus posts já me dá uma vontadezinha de jogar tudo isso pro ar, me soltar e arranjar uma dessas aventuras amorosas, mesmo que tenha tudo pra dar errado, só pra sentir o coração batendo forte ou só pra ter certeza que eu realmente estou viva!
    Já disse isso em alguns comentários que já deixei aqui, e até mesmo por e-mail (o que faz mt tempo, vc nem deve lembrar rs), mas eu adoro saber sobre suas histórias e sobre seus pontos de vista… te sigo desde o embaixador quando estava pesquisando ir morar em Londres, logo fui cativada rsrs
    Só desejo felicidades á você, e que essa experiencia seja ótima e te ajude a crescer e aprender muito mais!
    bjs =)


  14. Ô Aline, que querida!

    Se solta mulher! hahaha
    Você foi pra Londres, afinal?


  15. <3

    Não fui ainda =/
    surgiu oportunidades de construir minha carreira numa empresa bem boa!
    Vou aguardar um ano ou dois, ter dinheiro suficiente e embarcar! o/ (não, não desisti… sinto que preciso ir, apenas…) rs


  16. AEEEEE! lindos, tudo de vbom pra vcs… em breves veremos casorio por ai!
    milbeijos Re!


  17. Estou apaixonada por vocês Re!


  18. Aiiii Anne, obrigada!!!


  19. [...] pro Tinder. Não, isso não é uma notícia boa porque ainda sou completamente apaixonada pelo meu ex namorado, mas a distância São Paulo – Londres era o menor dos nosso problemas, então tivemos que [...]



Deixe seu comentário