Estava no metro esperando um amigo e um cara se aproximou de mim. Estatura baixa, cabelo raspado… Um pouco mais velho tipo uns quase 40 anos. Ele chega perto de mim e pergunta, em inglês:

- Oi… Posso te fazer uma pergunta?

- Claro…

- Se eu vejo uma mulher bonita na rua, como faço pra me aproximar dela? Digo… O que eu devo dizer pra ela sem fazer com que ela me ache estranho?

- … mas você quer chegar do nada em uma mulher na rua e dizer que achou ela bonita?

- É que eu vejo muitas mulheres bonitas aqui, mas não sei o que dizer quando chego perto delas.

No começo achei que o cara ia me fazer algum tipo de elogio ou que aquilo era uma pegadinha. Mas ele estava perguntando aquilo numa boa e realmente esperando que eu o ajudasse. Tentei dizer que chegando assim do nada em uma mulher na rua, seria realmente estranho se ele falasse qualquer coisa. Principalmente porque as pessoas aqui em Londres são muito fechadas e parecem frias. Não dão muita abertura para conversar, sabe? Ele concordou comigo e enquanto continuávamos a conversa, meu amigo chegou. Obviamente explicamos o motivo da conversa e meu amigo resolveu dar a sua opinião:

- Olha, eu sou um cara tímido e sei como você se sente. Mas existem muitas maneiras de se aproximar de mulheres de um jeito diferente. Um dia por exemplo, eu estava em um bar e vi uma menina que gostei muito. Mas não tive coragem de falar nada pra ela então escrevi num papel algo tipo “Oi, gostei de você mas não tive coragem de começar uma conversa. Se você quiser, este é meu telefone: xxx-xxx”.

- Nossa… Mas essa ideia é genial! É muito boa mesmo, pois eu não tenho coragem de falar com as mulheres e escrever isso num bilhete seria muito mais fácil!

O cara realmente amou a ideia do meu amigo. Ficou super feliz e agradeceu muito. Nos despedimos e fomos em direção as escadas para ir ao supermercado. Já na rua, sem nem ver que o cara estava perto da gente, ele nos interrompe de novo e pergunta:

- Oi… Me desculpe incomodar de novo mas… Eu não lembro exatamente o que você escreveu no bilhete e eu queria anotar no meu celular para me lembrar depois. Era “Oi, você é muito bonita…” e o que mais mesmo?

Sabe quando dá vontade de ajudar uma pessoa porque a gente vê que ela tem boas intenções na vida? Ele acabou desabafando dizendo que era da Sérvia e morava aqui há 10 anos mas queria muito achar alguém para viver com ele. Achei isso muito fofo e realmente torço para que ele encontre alguém.

Aqui em Londres essa parte de conhecer pessoas é um pouco difícil para quem é de fora. Acho que dei sorte em ter encontrado um cara legal, pois não sei como estaria agora se não fosse ele. Estava realmente difícil de fazer amigos aqui… Mas isso é assunto para um outro post!

 
20
Compartilhe esse post:

E se eu disser que te deletar do msn, apagar do facebook, sumir com o seu telefone da minha agenda e deletar todas aquelas mensagens fofas que você já me mandou, não adiantou nada pois eu ainda penso em você?

E se eu disser que mesmo depois daquele dia que você me deu um fora, dizendo que a gente não ia dar certo pois você era o cara errado pra mim e a gente queria coisas diferentes, eu ainda penso em você?

E se eu disser que mesmo depois que eu me convenci que nós nunca daríamos certo, eu ainda penso em você?

E se eu disser que mesmo depois de ter ficado com outros caras, mais legais, mais bonitos e melhores na cama, eu ainda penso em você?

E se eu disser que mesmo depois de ter me apaixonado por outra pessoa, vivido momentos lindos e me sentido amada de verdade, eu ainda penso em você?

E se eu te disser que mesmo a gente não se falando todo dia, não se vendo todo dia, mesmo sabendo que você nem deve pensar muito em mim, eu ainda penso muito em você?

E se eu disser que mesmo a milhares de km de distância, morando em outro país, conhecendo gente nova e lugares incríveis e vivendo uma realidade totalmente diferente da que eu vivia quando estávamos juntos, eu ainda sinto a sua falta e penso muito em você?

Tenho tido medo de pensar em você pra sempre.

… mas deixa estar.

 
24
Compartilhe esse post:

Você que acompanha todas as histórias e coincidências da minha vida está prestes e ler sobre a maior delas. Uma que talvez feche um ciclo do meu blog e comece outro, já que ficou parecendo o fim de um começo. Hahaha, isso ficou confuso mas vou explicar.

Quem me segue no Tuinter já sabe que eu encontrei o cara da foto 3×4, que ele se chama Victor e provavelmente deve estar louco pra saber como foi quando nos conhecemos. Isso tudo é muito legal e eu já conto como foi, mas a parte mais louca da história não é essa.

O Vito – como é carinhosamente chamado pelos amigos – achou meu blog através de uma amiga e deixou um comentário. Paralelamente, recebi outro comentário de um cara falando sobre um bilhete que eu mandei para ele há pouco mais de 2 anos atrás. Ele relatou nossa história e disse que tinha chegado até meu blog pelo post da foto 3×4, já que o Vito é melhor amigo e sócio dele. Esse cara, chamado Jonas, é nada mais nada menos um dos motivos pelo qual o meu blog existe. Ele é o personagem principal do primeiro post do meu blog: O Começo de um e Outro e foi depois dessa história que resolvi fazer um blog. Achei que essas aventuras com desconhecidos poderiam ser interessantes pra minha vida, e desde então, venho aprontando altas confusões.

Continue lendo…

 
56
Compartilhe esse post:

É engraçado o que podemos achar se andarmos atentos ao chão. Eu sempre ando nas calçadas de olho em qualquer papelzinho miúdo que possa conter informações escritas por outra pessoa. Adoro bilhetes! Adoro pessoas e as histórias que elas vivem.

Dessa vez o achado não foi um bilhete, e sim, algo talvez tanto quanto ou mais interessante que um bilhete: uma foto 3×4. Quando achei, ela estava virada de cabeça para baixo e eu dei um chutinho para tentar virá-la sem ter que pegar com a mão. Nisso, ela deu uma raspadinha no chão e riscou toda. Se não fosse o chutinho teria a foto novinha em mãos.

Como sempre analiso os bilhetes que encontro, resolvi analisar essa foto também. O cara da foto, para ser mais exata. Encontrei ela na Av. 9 de Julho numa segunda feira de manhã.

Será que é possível analisar a vida desse cara apenas olhando para sua foto 3×4? Vou me atrever a tentar. E se você reconhecer ele de algum lugar, me conte quem é! Imagina ele chegar até meu blog, ver a análise e virarmos amigos? Bom, espero que um dia ele veja isso.

Segue a lista de impressões que tive dele:

Continue lendo…

 
76
Compartilhe esse post:

Como o post “Querido Diário” fez um baita sucesso, resolvi tornar o assunto frequente. Assim como os posts que escrevo sobre bilhetes aleatórios que encontro no chão (“Achados e Perdidos”), vou escrever frequentemente um post com o título “Querido Diário”, sempre com um print de alguma página interessante dos vários diários que escrevi ao longo da vida.

Quando vocês tiverem filhas, POR FAVOR, façam elas terem um diário e escreverem sobre sua vida neles. A coisa mais gostosa é ler isso depois de anos!

A página de hoje não é tão antiga quanto as páginas do primeiro post. Como podem ver, escrevi isso no comecinho de 2001:

(clique na imagem para ver maior)

Continue lendo…

 
24
Compartilhe esse post:

Mais um achado! E dessa vez, não fui eu que achei: uma leitora do blog viu o primeiro post da sessão achados e perdidos e resolveu contribuír com um achado dela!

A história do achado:

A @mahwdiamonds estava socializando na escada da faculdade, quando viu um papelzinho no chão. Pegou, leu com as amigas e todo mundo ficou super curioso com o que dizia o bilhete. Depois de inventar mil teorias, ela pediu que ninguém o amassasse nem jogasse fora porque ela tinha que mostrar pra uma pessoa  – fofa né?

Teorias:

- Com certeza o bilhete foi escrito por uma menina. Usou 2 cores de caneta, sublinhou palavras e tem a letra bonita. Caprichosa, apesar de ser apenas um pedaço de papel rasgado e conter errinhos de português.

- Seria um casal lésbico? Ou apenas amigas carinhosas? Na minha opinião, a história é bem menos babado do que parece. Eu acho que elas são amigas e a Anônima (que escreveu o bilhete), vai passar o final de semana com outra turma de amigas e está fazendo ciuminhos na Rafaela – vulgo Guidonzinha mais linda da sala – mas tudo de brincadeira. Amigas costumam se tratar carinhosamente mesmo, não acho que sejam um casal. Mesmo porque, se fossem, ela não falaria que traiu a namorada num bilhetinho qualquer né?

- Há quem diga que no final do bilhete está escrito “Ele te trai!”. Apesar de discordar, temos que levar em conta todas as hipóteses. Se ela conta para a amiga que o cara trai ela num bilhetinho assim, sem mais nem menos, eu suponho que ela não tenha coração né? Nenhuma amiga contaria uma coisa dessas por bilhete.

E aí, vocês tem alguma versão diferente?

Se você achar um bilhete, não deixe ele se perder no mundo. Guarde, escaneie quando chegar em casa e depois mande para o meu e-mail: re.chelliarcoverde@gmail.com, contando onde você achou e, se tiver criatividade, fale o que pensa sobre o bilhete. A Rebiscoito agradece!

 
12
Compartilhe esse post:

Aqui começa uma nova sessão do meu blog chamada “Achados e Perdidos”.

Como muitos sabem, sou viciada em bilhetes e gosto de andar reparando em tudo que vejo pelo mundo. Seja nos muros da cidade, no céu, no inseto que anda na folha da árvore ou até mesmo no chão. Sempre fui muito curiosa, viciada em “fuçar” e principalmente, encantada por pessoas. Por isso resolvi compartilhar essa minha mania com vocês, já que tanta gente reclama que eu posto pouco.

Aqui, vou colocar bilhetes que acho por aí. Confesso que ando de olho em todos os papeizinhos no chão e de vez em quando, acho coisas interessantes ou no mínimo curiosas (sem contar quando paro no meio da rua pra  pegar um papel qualquer e é uma propaganda de cartomante, hahaha). Da pra passar hoooras pensando em quem escreveu o bilhete ou em porque aquilo estava escrito.

Hoje começarei com um dos primeiros bilhetes que achei, na minha rua e fiquei dias, conversei com amigos, discuti com o mundo sobre o que poderia ser esse bilhete. Que tal a gente compartilhar opiniões sobre ele? Ou vocês inventarem uma história sobre o que leram?

Alguns “fato sitado” sobre o bilhete, quando mostrei para os meus amigos:

“Esse bilhete é falso, o cara escreve tudo errado mas escreve ‘Jhonny’, com H e 2 N’s no nome?”

“O Jhonny era o faxineiro da empresa, e foi acusado por terceiros por roubar coisas na sala do seu chefe. Ele só entra porque é obrigado a limpar, mas é honesto e quer deixar tudo bem claro!”

“A empresa estava sendo assombrada por fantasmas e acharam que o tal do Jhonny era um macumbeiro e tinha toda a culpa pelas assombrações que apareciam na empresa.”

E aí, me contem a versão que vocês imaginaram pra esse bilhete! E se alguém achar bilhetes interessantes na rua, escaneiem e me mandem que com certeza vou adorar colocar em minha coleção!

 
16
Compartilhe esse post:

Estou aqui abrindo meu coração para você. Não você diário e sim, você leitor. Resolvi abrir páginas do livro da minha vida (como se eu já não tivesse aberto o bastante) só que dessa vez, meio que literalmente.

Mexendo numas caixas de tranqueiras que guardamos sei-lá-pra-que, achei uma preciosidade! O meu 1º diário. Fiquei fascinada com a minha capacidade de escrever tão bem! (Vocês vão ver como eu escrevia mal assim que lerem as pagininhas que escaneei, hahaha.) Mas o que realmente me impressionou, foi perceber que, desde pequena, eu já era de me apaixonar.

Se hoje minha vida é movida pelo amor – entre outras coisas – já naquela épocazinha era a mesma história. A cada dia que eu escrevia no meu diário, eu gostava de um menino diferente. E era tudo muito intenso, eu usava termos do tipo “amor”, “para sempre” e etc. Hoje em dia, confesso que me adaptei as mudanças. Usar termos intensos faz qualquer cara saír correndo pra bem longe de mim. O que é uma merda, pq às vezes eu gosto de ser exagerada pra afirmar uma idéia e sem querer acabo soltando as palavras erradas e…Fica impossível explicar para alguém que não me conhece tanto, que eu estava brincandinho. Mas enfim, isso não vem ao caso agora. Vamos ao que interessa, as pagininhas do meu primeiro diário ♥

Página 1

(Clique na imagem para vê-la maior)

Continue lendo…

 
71
Compartilhe esse post:

Quis dar um tempo do outro post da placa torta pra escrever a continuação mas acabei procrastinando demais. Sorry people! hahaha

Uns dias depois, acho que no dia seguinte até [?] não me lembro ao certo, o Danilo respondeu meu bilhete :D Cheguei a noite em casa e o porteiro me deu, falando que ‘meu amigo’ tinha deixado lá. Fiquei toda feliz que tinha dado certo, foi ele mesmo que achou o bilhete com o nome dele na porta! Se alguma outra pessoa do prédio viu, leu…Não importa. O que importa é que chegou nas mãos dele, como eu queria.

(Aqui vai uma foto do bilhete. Vou colocar quando chegar em casa! Ele diz algo do tipo: “é que saí mais cedo da clínica e não sabia que horas você chegaria em casa. Pega meu telefone pra gente conversar e dar um jeito na placa: xxxx-xxxx, boa semana!) – Update: não tirei foto do bilhete, sorry.

Como podemos ver no bilhete, ele foi um fofo. Manteve a pose de cara simpático que quer ser legal. Não me xavecou, apesar de ter dado o telefone [o que soa como xaveco mas pode não ser]. Quis manter um contato maior. Eu adorei o bilhete, mas não liguei. Óbvio. Magina que coisa chata?

Continue lendo…

 
11
Compartilhe esse post:

Poxa, to emocionada. Era sempre eu que fazia essas coisas, deixar bilhetinhos, fazer mini livros, surpreender…E agora, acabei de ser surpreendida! Devo admitir que é um sentimento ótimo, todo mundo deveria sentir! E é por isso também, que eu faço essas coisas. Sei o quanto uma pessoa se sente especial ao ser surpeendida por alguém.

Imagine só: estou eu lá no meu Twitter, follower vai, follower vem…Eis que um dia um cara começa a me seguir [vou chama-lo de Bartolomeu* pois ele prefere o anonimato]. Isso faz pouco tempo, menos de um mês ou sei lá. Eu retribuo o follow e vez ou outra trocamos replies.  Nada muito íntimo, não sabia nada sobre ele. Mas ele era simpático e eu o mantinha ali.

Hoje ele me mandou uma direct falando que queria ser meu amigo e perguntando onde era pra deixar o bilhete. Achei graça, claro, mas nem dei muita bola. Depois de algumas mensagens trocadas ele fala algo do tipo: “Estou indo até a placa torta deixar meu bilhete” e para de responder minhas outras mensagens. Eu fui ver meu seriado, jantar, whatever. Depois, quando voltei pro computador, vi uma mensagem dele dizendo que tinha deixado o bilhete ‘na floreira ao lado da placa torta’. Gente, COMO ASSIM? Pensei comigo mesma…Eu já tava toda de pijama, mas a curiosidade era muito maior.

Continue lendo…

 
18
Compartilhe esse post: